Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Como estar preparado e aumentar ganhos na captação de investimentos?

Como estar preparado e aumentar ganhos na captação de investimentos?

05/12/2023 Gustavo Michel Arbach

Atingir o status de unicórnio é o sonho de muitas startups, mas o caminho até lá não é nada simples.

Como estar preparado e aumentar ganhos na captação de investimentos?

A fim de escalar o negócio, o caminho natural é partirem para as rodadas de investimentos, com o objetivo de obter os recursos financeiros necessários para tracionar o empreendimento. Contudo, uma startup bem estruturada pode gerar ganhos adicionais e minimizar riscos tanto para os investidores quanto para a própria empresa. Para mitigá-los, a assessoria jurídica é fundamental.

De acordo com o relatório Panorama Tech, da plataforma Distrito, entre 2019 e 2023, as startups brasileiras receberam cerca de R$ 108,4 bilhões em investimentos por meio de 3.471 mil rodadas de financiamento. Entretanto, toda essa movimentação financeira requer uma série de cuidados para garantir os direitos e deveres de todas as partes interessadas.

Além de uma solução inovadora, as startups precisam apresentar viabilidade técnica, econômica e operacional para se provarem sustentáveis no longo prazo. Para isso, é necessário dispor de um bom plano de negócios, cujo objetivo é evidenciar, no detalhe, o passo a passo da empresa no horizonte futuro.

Usualmente, quando um investidor, seja pessoa física ou jurídica, manifesta interesse em aportar recursos em uma startup, o primeiro instrumento legal recomendado é a assinatura de um NDA, do inglês Non Disclosure Agreement, que nada mais é do que um acordo de confidencialidade entre as partes. Com este documento devidamente firmado, o investidor terá acesso a informações estratégicas do negócio, tendo a startup a garantia do sigilo desses dados.

A partir daí, o investidor dá início à due diligence, principal momento para analisar questões jurídicas, contábeis e fiscais de uma empresa, compreendendo a receita, despesas, projeções de faturamento, questões societárias, incluindo o levantamento de passivos trabalhistas, previdenciários e tributários. Além de analisar a situação atual da empresa, essa auditoria tem a função de mapear riscos futuros, identificando possíveis fragilidades na conduta da empresa.  

Caso após este estudo o investidor mantiver o interesse em investir na startup, é preciso formular um contrato de mútuo conversível em participação societária (modelo mais usado pelo mercado), que consiste em um ajuste contratual por meio do qual o investidor, considerado mutuante, empresta um valor à sociedade empresária, sendo que tal empréstimo é “pago” com participação societária da startup, considerada mutuária.

Neste documento, deve constar o valor investido, o percentual de referência na participação societária e as disposições gerais sobre acordo de acionistas, sendo que o investidor figura juridicamente como um credor, não devendo constar no contrato social da empresa. É importante se atentar ainda a regras de confidencialidade, a escolha do modelo societário, o atendimento às regras regulatórias aplicáveis ao negócio e até a garantia à propriedade intelectual.

Somado a isso, o mútuo conversível deve explicitar regras como limite para tomada de empréstimo em bancos, teto de salário dos fundadores e colaboradores, além de não contratação de partes relacionadas, garantindo que o aporte será utilizado exclusivamente para o crescimento da empresa. Caso as regras não sejam cumpridas, o investidor pode solicitar o vencimento antecipado do contrato, podendo os sócios da startup arcarem, em alguns casos, com bens da pessoa física para liquidar eventuais débitos.

Quando há um consenso entre as partes, é possível também que o investidor se torne um acionista, sendo necessário elaborar uma minuta de acordo de acionistas, onde devem constar as ações vinculadas ao acordo, direito a voto, restrição de venda das ações, regras de distribuição de dividendos e demais cláusulas gerais sobre a condução do negócio.

Independentemente de constar ou não no contrato social da empresa, é extremamente recomendado ao investidor acompanhar o desempenho da startup, visando contribuir para o seu crescimento. Nem sempre as coisas saem conforme o planejado, devendo o investidor estar ciente dos altos riscos envolvidos no aporte em uma empresa que atua em um contexto de grande volatilidade e incerteza.

Tanto na fase contratual quanto na due diligence, gera valor à operação de investimento uma startup organizada, com práticas (principalmente trabalhistas e fiscais) validadas pelo jurídico, contratos fortes com clientes e fornecedores, organização societária e processos claros e eficientes. Um investidor olha com bons olhos uma empresa com este perfil, aumentando seu valuation e acelerando um processo de investimento que, em alguns casos, demora meses.

Por este motivo, a assessoria jurídica a statups que pretendem receber investimentos e aos investidores em um momento de investimento é decisiva a fim de analisar todos os riscos envolvidos e delinear acordos e garantias que atendam as necessidades e anseios de ambos os lados.

* Gustavo Michel Arbach é sócio fundador do Arbach&Farhat Advogados e líder das áreas societária, M&A, contratos e mercado de capitais.

Para mais informações sobre investimentos clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp

Fonte: Informa Mídia



Startup cresce mais de 300% conectando “talentos tech” com empresas

Growyx foi fundada em 2021 e já conta com mais de 20 mil profissionais cadastrados na plataforma.

Autor: Divulgação

Startup cresce mais de 300% conectando “talentos tech” com empresas

Startup paulista propõe o uso de drones para erradicar o mosquito da dengue

O projeto teve apoio do Programa FAPESP Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE).

Autor: Divulgação

Startup paulista propõe o uso de drones para erradicar o mosquito da dengue

Os insights que a crise dos investimentos trouxe para as startups

Cada crise é única, e as lições aprendidas podem variar dependendo da natureza e do alcance da crise.

Autor: Rafael Kenji Hamada

Os insights que a crise dos investimentos trouxe para as startups

Como criar uma equipe poderosa para sua startup

Contar com uma equipe poderosa, que ajude a construir o crescimento da empresa, é o sonho de qualquer empreendedor.

Autor: Divulgação

Como criar uma equipe poderosa para sua startup

Startup mineira facilita contratos com órgãos públicos

Licitei, parte do portfólio da Dome Ventures, acaba de ganhar aporte de 150 mil dólares da Microsoft.

Autor: Diogo Catão

Startup mineira facilita contratos com órgãos públicos

Você tem perfil para ser CEO de startup?

Características importantes para quem pretende iniciar um modelo de negócio.

Autor: Marilucia Silva Pertile

Você tem perfil para ser CEO de startup?

Cinco dicas para uma startup conquistar sucesso em 2024

Com a proximidade de um novo ano, empreendedores podem aproveitar para dar um novo gás aos seus negócios.

Autor: Marilucia Silva Pertile

Cinco dicas para uma startup conquistar sucesso em 2024

Mortalidade de startups cresce em 2023: como reverter esse cenário?

O importante é que busquem o apoio de uma consultoria especializada no tema para que identifiquem a melhor opção conforme sua realidade e objetivos e se estruturem da melhor formato possível.

Autor: Alexandre Pierro

Mortalidade de startups cresce em 2023: como reverter esse cenário?

4 dicas jurídicas para abrir e manter startups

Inovar e criar soluções tecnológicas para diversos tipos de segmentos são um dos principais objetivos de uma startup.

Autor: Patrícia Zanlorenci

4 dicas jurídicas para abrir e manter startups

Startups iniciantes: o que saber antes de investir?

Existe uma diferença muito grande entre startups em fases iniciais, que também chamamos de early-stage, e companhias consolidadas, principalmente no que diz respeito ao risco do investimento.

Autor: Rafael Kenji Hamada

Startups iniciantes: o que saber antes de investir?

Startup de IA de Elon Musk lança plataforma rival do ChatGPT

A plataforma Grok, lançada pela xAI será disponibilizada inicialmente aos assinantes do X, antigo Twitter, e irá competir com o ChatGPT, que ainda domina o mercado.

Autor: Marcelo Crespo

Startup de IA de Elon Musk lança plataforma rival do ChatGPT

Como um trabalho de mentoria pode ajudar uma startup?

Ajuda especializada pode impulsionar empreendedor que está enfrentando desafios.

Autor: Marilucia Silva Pertile

Como um trabalho de mentoria pode ajudar uma startup?