Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Sem carros voadores, moradias do futuro estão cada vez mais próximas aos Jetsons

Sem carros voadores, moradias do futuro estão cada vez mais próximas aos Jetsons

17/01/2022 Eduardo Peralta

Os avanços tecnológicos trouxeram novo conceito e redesenho do meio urbano.

Sem carros voadores, moradias do futuro estão cada vez mais próximas aos Jetsons

Não, ainda não estamos falando de carros voadores nem de teletransporte, como previa o desenho animado “Os Jetsons”, sucesso nos já longínquos anos 1960. O seriado vislumbrava um dia a dia sem estresse no trânsito e repleto das facilidades da vida moderna vinculadas à tecnologia: arranha-céus, robôs domésticos, preparo instantâneo de comida, reuniões remotas, computadores portáveis, telefones móveis e daí em diante.

Boa parte desse lúdico exercício de futurismo proposto pelos Jetsons virou realidade e está em franco processo de disseminação no Brasil e no mundo. É o caso dos prédios e casas inteligentes. Por que inteligentes? Porque são edifícios conectados, eficientes, seguros e eco-friendly. As moradias inteligentes servem de apoio às cidades inteligentes numa cadeia sustentável e na qual a qualidade de vida é o propósito primordial.

Além disso, a tecnologia BIM (Building Information Modeling) ganha cada vez mais força e forma, especialmente em capitais como São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba e também em condomínios horizontais no Nordeste. Desde sua concepção, os prédios são projetados com o propósito de autogerirem e sustentarem. A Modelagem de Informação da Construção é a representação virtual de uma obra, permitindo uma pré-visualização do resultado final, com dados sobre toda a infraestrutura, serviços e estética. O BIM é uma espécie de DNA do prédio e vai lhe ser útil na manutenção, em obras futuras e na conexão com a cidade.

E aí surge a pergunta: afinal, como será a residência do brasileiro em 2031?

O levantamento “Casa do Futuro”, realizado em meados deste ano pela Hibou, uma empresa de pesquisa e monitoramento de mercado e consumo, ouviu 2.398 pessoas de todo o país para tentar responder à pergunta. A pesquisa mostrou que 89,2% esperam se conectar e carregar seus aparelhos eletroeletrônicos sem embolar fios pela casa, o que exige aplicação de indução eletromagnética e sistemas wifi, que já está à disposição no mercado.

Dos entrevistados, 45,2% querem automação de luzes e cortinas. Outros 24,8% preveem um assistente de voz que ajude a controlar o imóvel e realizar tarefas do cotidiano. Se os carros ainda não voam, podem, pelo menos, ser elétricos. Então, 22% sonham com tomadas para carregar os automóveis nas garagens.

Com a tecnologia, as casas vão se tornar mais personalizadas, sob medida para as necessidades dos moradores. Estados Unidos e países da Europa têm avançado muito rapidamente nesse sentido, o que só acelerou com a pandemia de Covid-19.

Os projetos para as casas estão criando espaços de descompressão, áreas abertas, como varandas, voltadas para o convívio com família e amigos. Espaços comuns também serão repensados, com mais verde, lazer, cantinho para crianças e também o destinado a animais. A segurança ganha muito também com o uso da tecnologia.

Diferentemente do que muitas pessoas pensam, a valorização do bem-estar está no centro dos temas que pautam arquitetos, engenheiros e empresas na hora de projetar e construir moradias inteligentes. Os avanços são graduais, mas sólidos. Que venha o futuro e seus novos desafios.

* Eduardo Peralta, CEO da Inloop.

Para mais informações sobre Tecnologias clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Visar Plan



Metaverso na construção civil: o futuro é virtual

O metaverso que constrói o mundo virtual de Snow Crash, livro de Neal Stephenson de 1992, é daqueles shows de ficção que enredam o leitor do começo ao fim.

Metaverso na construção civil: o futuro é virtual

Pode Mushe (XMU) vencer Decentraland e The Sandbox?

O token Mushe (XMU) criará forte competição para o Decentraland (MANA) e The Sandbox (SAND).

Pode Mushe (XMU) vencer Decentraland e The Sandbox?

Mercado de soluções 5G no Brasil deve chegar a R$ 101 bilhões

Estudo foi apresentado pelo Ministério da Economia.

Mercado de soluções 5G no Brasil deve chegar a R$ 101 bilhões

Quatro principais dúvidas sobre TVs QLED

Tecnologia segue evoluindo e garante imagens mais nítidas e reais.

Quatro principais dúvidas sobre TVs QLED

GOL anuncia integração com Alexa, inteligência artificial da Amazon

Disponível para download na Skill Store da Amazon, novidade permite que os Clientes da Companhia possam consultar o status de voo via comando de voz.

GOL anuncia integração com Alexa, inteligência artificial da Amazon

Publicidade customizada é o futuro da TV aberta

O novo recurso, já em desenvolvimento para a TV 3.0, permitirá que anunciantes e emissoras criem conteúdos mais direcionados à localização e às preferências do telespectador.

Publicidade customizada é o futuro da TV aberta

SpaceX inicia nova missão e coloca nanossatélite da UnB em órbita

Projeto pretende trazer novas soluções de enlaces nas faixas de frequências de rádio amador.

SpaceX inicia nova missão e coloca nanossatélite da UnB em órbita

Mais de 4 milhões de metros de cabos de telecomunicações foram roubados em 2021

Pelo terceiro ano seguido o volume de cabos roubados passa de 4 milhões de metros. Ações criminosas deixaram mais de 6 milhões de clientes sem serviço no ano passado.

Mais de 4 milhões de metros de cabos de telecomunicações foram roubados em 2021

Conselho Federal de Medicina regulamenta a cirurgia robótica

Regras para o procedimento foram publicadas no Diário Oficial da União.

Conselho Federal de Medicina regulamenta a cirurgia robótica

Brasília sedia a maior feira de tecnologia do mundo

Campus Party também será realizada em São Paulo, em julho.

Brasília sedia a maior feira de tecnologia do mundo

Tecnologia auxilia na gestão de instituições privadas

Softwares têm o desafio de conciliar administrativo e pedagógico; necessidade do ensino remoto intensificou o processo.

Tecnologia auxilia na gestão de instituições privadas

Como empresas de tecnologia podem aproveitar a estratégia para ampliar sua atuação

Em um cenário em que as empresas estão implantando políticas de ESG para enfrentar os desafios das mudanças climáticas e das novas demandas sociais, como a tecnologia pode contribuir para esse objetivo?

Como empresas de tecnologia podem aproveitar a estratégia para ampliar sua atuação