Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Sucesso na parceria Brasil-China: lançamento do satélite Amazônia 1

Sucesso na parceria Brasil-China: lançamento do satélite Amazônia 1

26/02/2021 Renata Adriana Garbossa Silva

Desde o primeiro acordo até agora, foram lançados o CBERS 1, 2, 2B com características muito semelhantes para atender às necessidades dos dois países.

Sucesso na parceria Brasil-China: lançamento do satélite Amazônia 1

Mesmo com os altos custos de tecnologia para desenvolver satélites de sensoriamento remoto, os países em desenvolvimento, como é o caso do Brasil, têm nos últimos anos buscado parceria com outras nações. Não é de hoje, que o estado brasileiro tenta reverter esse quadro. Desde 1988, um acordo de parceria envolvendo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – INPE e a Academia Chinesa de Tecnologia Espacial – CAST- possibilitaram ao Brasil avanços de sensoriamento remoto, denominado Programa CBERS (China-Brazil Earth Resources Satellite, Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres), num convênio técnico-científico binacional envolvendo os dois países. A parceria entre os países é um esforço bilateral para derrubar as barreiras que impedem o desenvolvimento e a transferência de tecnologias sensíveis impostas pelos países desenvolvidos, afirmam os pesquisadores do INPE.

Desde o primeiro acordo até agora, foram lançados o CBERS 1, 2, 2B com características muito semelhantes para atender às necessidades dos dois países e para permitir o ingresso no emergente mercado de imagens de satélites até então dominado pelos que integram o bloco das nações desenvolvidas. Já os satélites CBERS 3, 4, foram assinados no início dos anos 2000 e representam uma evolução em relação aos dois primeiros satélites, uma vez que serão utilizadas no módulo carga útil quatro câmeras com desempenhos geométricos e radiométricos melhorados.

Porém, a busca por satélites mais potentes e que possam atender as próprias necessidades fará com que o Brasil, nos próximos dias, lance em órbita o primeiro satélite totalmente brasileiro da agência espacial indiana, Indian Space Research Organisation, de observação da Terra completamente projetado, integrado, testado e operado pelo Brasil, o satélite Amazônia 1. É um projeto coordenado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações e desenvolvido pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais em parceria com a Agência Espacial Brasileira. Criado para fornecer dados de sensoriamento remoto para observar e monitorar o desmatamento, não só da região Amazônica, mas também da agricultura em todo o território brasileiro, atuando em consonância com os programas ambientais existentes.

Segundo o INPE, o  lançamento do satélite poderá fornecer dados de um ponto específico em dois dias, ajudando na fiscalização de áreas que estejam sendo desmatadas, bem como, no monitoramento da região costeira, de reservatórios de água e de florestas, além da possibilidade de uso para observações de possíveis desastres ambientais, que estarão disponíveis tanto para a comunidade científica quanto para órgãos governamentais, e para toda a comunidade interessada em melhor compreender o ambiente terrestre.  

* Renata Adriana Garbossa Silva é professora nos cursos de Geografia e Ciências Biológicas do Centro Universitário Internacional Uninter.

Fonte: Pg1 Comunicação



Metaverso na construção civil: o futuro é virtual

O metaverso que constrói o mundo virtual de Snow Crash, livro de Neal Stephenson de 1992, é daqueles shows de ficção que enredam o leitor do começo ao fim.

Metaverso na construção civil: o futuro é virtual

Pode Mushe (XMU) vencer Decentraland e The Sandbox?

O token Mushe (XMU) criará forte competição para o Decentraland (MANA) e The Sandbox (SAND).

Pode Mushe (XMU) vencer Decentraland e The Sandbox?

Mercado de soluções 5G no Brasil deve chegar a R$ 101 bilhões

Estudo foi apresentado pelo Ministério da Economia.

Mercado de soluções 5G no Brasil deve chegar a R$ 101 bilhões

Quatro principais dúvidas sobre TVs QLED

Tecnologia segue evoluindo e garante imagens mais nítidas e reais.

Quatro principais dúvidas sobre TVs QLED

GOL anuncia integração com Alexa, inteligência artificial da Amazon

Disponível para download na Skill Store da Amazon, novidade permite que os Clientes da Companhia possam consultar o status de voo via comando de voz.

GOL anuncia integração com Alexa, inteligência artificial da Amazon

Publicidade customizada é o futuro da TV aberta

O novo recurso, já em desenvolvimento para a TV 3.0, permitirá que anunciantes e emissoras criem conteúdos mais direcionados à localização e às preferências do telespectador.

Publicidade customizada é o futuro da TV aberta

SpaceX inicia nova missão e coloca nanossatélite da UnB em órbita

Projeto pretende trazer novas soluções de enlaces nas faixas de frequências de rádio amador.

SpaceX inicia nova missão e coloca nanossatélite da UnB em órbita

Mais de 4 milhões de metros de cabos de telecomunicações foram roubados em 2021

Pelo terceiro ano seguido o volume de cabos roubados passa de 4 milhões de metros. Ações criminosas deixaram mais de 6 milhões de clientes sem serviço no ano passado.

Mais de 4 milhões de metros de cabos de telecomunicações foram roubados em 2021

Conselho Federal de Medicina regulamenta a cirurgia robótica

Regras para o procedimento foram publicadas no Diário Oficial da União.

Conselho Federal de Medicina regulamenta a cirurgia robótica

Brasília sedia a maior feira de tecnologia do mundo

Campus Party também será realizada em São Paulo, em julho.

Brasília sedia a maior feira de tecnologia do mundo

Tecnologia auxilia na gestão de instituições privadas

Softwares têm o desafio de conciliar administrativo e pedagógico; necessidade do ensino remoto intensificou o processo.

Tecnologia auxilia na gestão de instituições privadas

Como empresas de tecnologia podem aproveitar a estratégia para ampliar sua atuação

Em um cenário em que as empresas estão implantando políticas de ESG para enfrentar os desafios das mudanças climáticas e das novas demandas sociais, como a tecnologia pode contribuir para esse objetivo?

Como empresas de tecnologia podem aproveitar a estratégia para ampliar sua atuação