Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Automóveis, um setor fundamental para a retomada da economia

Automóveis, um setor fundamental para a retomada da economia

11/12/2021 Luis Otávio Matias

Depois de praticamente dois anos de pandemia, a economia brasileira começa a dar sinais de recuperação.

Automóveis, um setor fundamental para a retomada da economia

Embora algumas áreas produtivas do país vejam uma ligeira melhora pós-pandêmica conforme a vacinação segue avançando, a maior parte do Brasil ainda sofre com problemas que envolvem a demanda dos consumidores, mas também o fluxo de componentes que não chega por parte dos fornecedores. Um desses setores é o mercado de veículos, principalmente os zero quilômetros.

E o impacto desse período de pausa pode ser sentido não apenas em empresas que se relacionam diretamente com ele. Atualmente, o setor automotivo brasileiro gera mais de 420 mil empregos diretos e é responsável por nada menos que 22% do Produto Interno Bruto (PIB) industrial brasileiro. Não à toa, vê-lo parado gera preocupação e consequências graves em outras áreas da economia nacional.

Durante a pandemia de covid-19, o setor não apenas parou de avançar, mas começou a regredir e apresentou o maior recuo de crescimento desde 2015. A queda atingiu todos os tipos de negócios que envolvem veículos: financiamentos, venda de carros novos e venda de carros usados. De acordo com a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) e a B3, em 2020 houve redução de 9,6%, 26,2% e 13,7% em cada uma dessas modalidades, respectivamente.

A falta de componentes dos mais variados tipos foi uma das responsáveis por esses resultados. A crise de chips eletrônicos e a crise logística mundial dificultaram significativamente a produção e distribuição de veículos zero quilômetro ao longo do último ano. Mas, a partir do quarto trimestre de 2020, sinais de uma melhora ainda lenta começaram a aparecer.

É claro que, quando o problema é grande, qualquer reação mínima será um bom resultado, mas a percepção é de que há alguma recuperação do setor neste ano. Em todo o primeiro semestre de 2021, os carros zero registraram um aumento de 33%, enquanto os financiamentos de veículos também subiram 26%, sempre em relação ao mesmo período do ano anterior. Ainda não se registra um crescimento significativo, mas esses são pequenos indícios de que poderemos avançar no futuro.

Se o Brasil ainda depende muito do agronegócio, outras áreas da economia se mostram igualmente vitais para o seu desenvolvimento. Como o país privilegia estruturas de transporte para veículos particulares, algumas novas opções podem ser uma saída para alavancar de uma vez por todas o crescimento do setor. Uma delas é o mercado de veículos por aluguel e por assinatura.

Entre abril e maio do ano passado foram registrados 7,7 milhões de acessos a 152 sites que oferecem esses serviços. Por sua vez, o mesmo período deste ano mostrou 12 milhões de acessos a esses mesmos sites. Um interesse que cresce à medida que o serviço começa a chegar a mais localidades, com maior número de empresas trabalhando a modalidade e maior quantidade de planos disponíveis para diferentes perfis de consumidores.

Embora a retomada ainda seja relativamente tímida, em comparação ao tamanho do setor e ao que ele já se mostrou capaz de movimentar em anos anteriores à pandemia, tendências como essa podem ser uma saída viável para que, em breve, concessionárias, montadoras, locadoras e outros players possam realmente voltar a ver seus negócios crescerem. Enquanto isso não acontece, recursos como a digitalização do processo de compra e até mesmo de financiamento de veículos continuam ganhando força com todos os públicos desse mercado.

Outro fator que merece um olhar atento é o da mudança no tipo de carro que os brasileiros estão dispostos a adquirir daqui em diante. Com as discussões a respeito das mudanças climáticas fervilhando em todo o mundo, espera-se que, cada vez mais, os usuários brasileiros comecem a procurar modelos mais amigáveis com o meio ambiente, por exemplo os veículos elétricos ou híbridos, em detrimento daqueles que usam combustíveis tradicionais, mais agressivos à natureza.

Assim como acontece com todos os setores da economia, será preciso compreender os anseios do mercado e recalibrar as estratégias para, somente então, acelerar rumo a novas linhas de chegada.

* Luis Otávio Matias é vice-presidente da Tecnobank.

Para mais informações sobre Automóveis clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Central Press



Vendas financiadas de veículos tiveram alta de 6,8% em 2021

O segmento de veículos pesados e de motos foram os destaques.

Vendas financiadas de veículos tiveram alta de 6,8% em 2021

A hora e a vez das bicicletas

Não é de hoje que as bicicletas vêm tomando conta das ruas.

A hora e a vez das bicicletas

Venda de veículos elétricos dispara em 2021

Nissan Leaf foi o carro totalmente elétrico mais vendido do Brasil.

Venda de veículos elétricos dispara em 2021

A mobilidade conectada a um carregador

A eletricidade está invadindo o setor automobilístico. E isso porque há um abismo de vantagens separando as opções de fontes de energia hoje disponíveis.

A mobilidade conectada a um carregador

2022: um ano para a aviação brasileira decolar

Setor no Brasil apresenta melhora no ambiente de negócio com aquecimento da atividade turísticas, privatizações de aeroportos e mudanças na legislação.

2022: um ano para a aviação brasileira decolar

Mobilidade elétrica: como o setor elétrico se adapta à tendência

Nos tempos atuais, é cada vez mais nítida a ideia de que os veículos do futuro serão elétricos.

Mobilidade elétrica: como o setor elétrico se adapta à tendência

Emplacamentos em 2021 crescem 10,5%, diz Fenabrave

Para 2022, a Fenabrave prevê um crescimento de 5,2% do setor.

Emplacamentos em 2021 crescem 10,5%, diz Fenabrave

Uma boa nova para pessoas com deficiência começarem 2022

A proposta surgiu durante as observações que fiz em minhas viagens de trabalho pelo Brasil.

Uma boa nova para pessoas com deficiência começarem 2022

Voltam a valer regras antigas para remarcação de passagens

Agora, o passageiro que fizer o cancelamento do voo pode ter que pagar multa.

Voltam a valer regras antigas para remarcação de passagens

Motorista não pagará DPVAT pelo segundo ano seguido

Excedente de recursos cobrirá indenizações em 2022.

Motorista não pagará DPVAT pelo segundo ano seguido

Prepare seu carro para uma viagem segura

Usando veículo próprio ou alugado, é preciso tomar alguns cuidados para não ficar na estrada.

Prepare seu carro para uma viagem segura

Os novos furgões elétricos Citroën Ë-Jumpy e Peugeot e-Expert

O e-Expert e Ë-Jumpy são o mesmo carro, diferenciado apenas os logos e alguns detalhes visuais de acabamento.

Os novos furgões elétricos Citroën Ë-Jumpy e Peugeot e-Expert