Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Automóveis, um setor fundamental para a retomada da economia

Automóveis, um setor fundamental para a retomada da economia

11/12/2021 Luis Otávio Matias

Depois de praticamente dois anos de pandemia, a economia brasileira começa a dar sinais de recuperação.

Automóveis, um setor fundamental para a retomada da economia

Embora algumas áreas produtivas do país vejam uma ligeira melhora pós-pandêmica conforme a vacinação segue avançando, a maior parte do Brasil ainda sofre com problemas que envolvem a demanda dos consumidores, mas também o fluxo de componentes que não chega por parte dos fornecedores. Um desses setores é o mercado de veículos, principalmente os zero quilômetros.

E o impacto desse período de pausa pode ser sentido não apenas em empresas que se relacionam diretamente com ele. Atualmente, o setor automotivo brasileiro gera mais de 420 mil empregos diretos e é responsável por nada menos que 22% do Produto Interno Bruto (PIB) industrial brasileiro. Não à toa, vê-lo parado gera preocupação e consequências graves em outras áreas da economia nacional.

Durante a pandemia de covid-19, o setor não apenas parou de avançar, mas começou a regredir e apresentou o maior recuo de crescimento desde 2015. A queda atingiu todos os tipos de negócios que envolvem veículos: financiamentos, venda de carros novos e venda de carros usados. De acordo com a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) e a B3, em 2020 houve redução de 9,6%, 26,2% e 13,7% em cada uma dessas modalidades, respectivamente.

A falta de componentes dos mais variados tipos foi uma das responsáveis por esses resultados. A crise de chips eletrônicos e a crise logística mundial dificultaram significativamente a produção e distribuição de veículos zero quilômetro ao longo do último ano. Mas, a partir do quarto trimestre de 2020, sinais de uma melhora ainda lenta começaram a aparecer.

É claro que, quando o problema é grande, qualquer reação mínima será um bom resultado, mas a percepção é de que há alguma recuperação do setor neste ano. Em todo o primeiro semestre de 2021, os carros zero registraram um aumento de 33%, enquanto os financiamentos de veículos também subiram 26%, sempre em relação ao mesmo período do ano anterior. Ainda não se registra um crescimento significativo, mas esses são pequenos indícios de que poderemos avançar no futuro.

Se o Brasil ainda depende muito do agronegócio, outras áreas da economia se mostram igualmente vitais para o seu desenvolvimento. Como o país privilegia estruturas de transporte para veículos particulares, algumas novas opções podem ser uma saída para alavancar de uma vez por todas o crescimento do setor. Uma delas é o mercado de veículos por aluguel e por assinatura.

Entre abril e maio do ano passado foram registrados 7,7 milhões de acessos a 152 sites que oferecem esses serviços. Por sua vez, o mesmo período deste ano mostrou 12 milhões de acessos a esses mesmos sites. Um interesse que cresce à medida que o serviço começa a chegar a mais localidades, com maior número de empresas trabalhando a modalidade e maior quantidade de planos disponíveis para diferentes perfis de consumidores.

Embora a retomada ainda seja relativamente tímida, em comparação ao tamanho do setor e ao que ele já se mostrou capaz de movimentar em anos anteriores à pandemia, tendências como essa podem ser uma saída viável para que, em breve, concessionárias, montadoras, locadoras e outros players possam realmente voltar a ver seus negócios crescerem. Enquanto isso não acontece, recursos como a digitalização do processo de compra e até mesmo de financiamento de veículos continuam ganhando força com todos os públicos desse mercado.

Outro fator que merece um olhar atento é o da mudança no tipo de carro que os brasileiros estão dispostos a adquirir daqui em diante. Com as discussões a respeito das mudanças climáticas fervilhando em todo o mundo, espera-se que, cada vez mais, os usuários brasileiros comecem a procurar modelos mais amigáveis com o meio ambiente, por exemplo os veículos elétricos ou híbridos, em detrimento daqueles que usam combustíveis tradicionais, mais agressivos à natureza.

Assim como acontece com todos os setores da economia, será preciso compreender os anseios do mercado e recalibrar as estratégias para, somente então, acelerar rumo a novas linhas de chegada.

* Luis Otávio Matias é vice-presidente da Tecnobank.

Para mais informações sobre Automóveis clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Central Press



O atual cenário do setor de transportes na logística

Nos últimos anos, as empresas de transportes estão enfrentando turbulências provocadas por instabilidades econômicas, sociais ou até mesmo políticas.

O atual cenário do setor de transportes na logística

Home office alivia o peso do preço do combustível

As empresas e os trabalhadores aprenderam nos últimos anos como tornar o home office eficaz e funciona.

Home office alivia o peso do preço do combustível

Começou ruim, mas com boas perspectivas para melhorar

Esse primeiro semestre de 2022 foi de causar arrepios em toda cadeia automotiva.

Começou ruim, mas com boas perspectivas para melhorar

Produção de motocicletas aumenta 18% no primeiro semestre de 2022

Segundo a Abraciclo, a categoria mais vendida foi a de uso em cidades.

Produção de motocicletas aumenta 18% no primeiro semestre de 2022

Vendas de veículos caem 4,8% em junho, diz Anfavea

Produção recua 1,1% e exportação cresce 2,7%.

Vendas de veículos caem 4,8% em junho, diz Anfavea

Comprar ou alugar carro: o que vale mais a pena?

Especialista ajuda a decidir qual a melhor opção no atual momento da economia brasileira.

Comprar ou alugar carro: o que vale mais a pena?

Frota própria, transportadora e/ou primarização logística?

Era uma vez, um fazendeiro que vivia no litoral e tinha dificuldades de encontrar empregados.

Frota própria, transportadora e/ou primarização logística?

Nova pesquisa: escassez de motoristas aumenta, devendo saltar até 40% em 2022

A escassez crônica de motoristas comerciais está piorando, com milhões de vagas ainda não preenchidas


Por que as baterias trabalham mais no inverno?

As baterias são mais exigidas em temperaturas baixas.

Por que as baterias trabalham mais no inverno?

BB reduz taxa para financiamento de carro híbrido e elétrico

Medida pretende incentivar a compra de carros sustentáveis.

BB reduz taxa para financiamento de carro híbrido e elétrico

Emplacamento de veículos sobe 25,09% em maio, diz Fenabrave

Automóveis e comerciais leves têm alta de 27,15% e são destaque.

Emplacamento de veículos sobe 25,09% em maio, diz Fenabrave

Cartilha dá dicas para turistas em viagens de carro

Publicação também aborda direitos do consumidor durante a viagem.

Cartilha dá dicas para turistas em viagens de carro