Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Pandemia, imprudência no trânsito e o desprezo pela vida

Pandemia, imprudência no trânsito e o desprezo pela vida

10/09/2020 Dr. Alysson Coimbra

Os veículos passaram a ser cada vez mais utilizados, já que se tornaram um meio de segurança epidemiológica.

Pandemia, imprudência no trânsito e o desprezo pela vida

As cenas de praias lotadas em todo Brasil e de aglomeração em bares sem o uso de máscaras durante a pandemia ganharam destaque na imprensa e causaram perplexidade neste feriado de 7 de Setembro. Mas o descuido com a própria saúde e a disposição em arriscar a vida foram vistos também nas rodovias do país: a cada 14 abordagens feita pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) durante o feriado, houve 1 flagrante de pessoa sem cinto de segurança ou de motociclista sem capacete.

O fato é que a quarentena modificou a forma como os brasileiros vivem, se relacionam, trabalham e até mesmo se comportam no trânsito. Os veículos passaram a ser cada vez mais utilizados, já que se tornaram um meio de segurança epidemiológica, em detrimento do transporte coletivo, e isso teve consequências no comportamento do motorista brasileiro, com a exacerbação do perfil agressivo e individualista.

O brasileiro passou a entender o trânsito como um espaço individualizado, e não mais coletivo. Isso se reflete em várias situações do dia a dia, como as agressões, a intolerância e o crescente desrespeito à lei. O eu e o meu se sobrepõem ao nosso e ao coletivo, guiado por uma orientação ideológica daqueles que foram eleitos para manterem controles rigorosos e fiscalizatórios sobre todos nós.

O que vemos no trânsito é uma clara sinalização da falsa falta de necessidade de obediência às leis, à cultura, história, ciência e de todos os principais pilares que conduziram a nossa sociedade até aqui. Sim, os brasileiros estão mais intolerantes, agressivos e imprudentes no trânsito.

Segundo balanço divulgado pela PRF, mais de 3646 motoristas foram flagrados sem cinto de segurança e outros 1072 não estavam usando capacete. Estamos falando de regras de trânsito já conhecidas e que se incorporaram há muito aos hábitos de segurança no trânsito. A desobediência a essas normas pode fazer a diferença entre a vida e a morte.

Também chama atenção o número de motoristas alcoolizados flagrados pela polícia: 704. Há 12 anos a Lei Seca foi implantada e, desde então, entidades médicas e governo fazem campanhas sobre a combinação perigosa e criminosa de álcool e direção. Não faltam informações, mas sobra desrespeito.

Outras infrações que revelam o desprezo do brasileiro pela segurança viária foram 5.728 ultrapassagens indevidas e as 531 crianças transportadas sem os dispositivos de retenção (cadeirinha). Se com regras e normas rígidas já temos um desfile de imprudência nas estradas e rodovias do Brasil , o cenário que desponta no horizonte com a flexibilização do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) não é nada promissor.

Durante os dias da Operação Independência, as estradas federais registraram 933 acidentes, que resultaram em 1.103 feridos e 97 mortos. Os índices são altos e justificam o Brasil ser o quarto país com o trânsito mais violento do mundo. A flexibilização das regras e o desprezo pela vida certamente farão crescer o número de vítimas do trânsito.

Por isso, mais do que nunca, é imprescindível lutar para que as leis que tornem o trânsito mais seguro sejam mantidas e aprimoradas. Um exemplo é o PL 98/2015, que prevê a avaliação periódica da saúde mental de todos aqueles que se propõem a conduzir veículos. O ato de dirigir vem exigindo dos cidadãos uma complexidade de sentimentos e de formações que estão sendo deixados de lado com as mudanças recentes na nossa sociedade. Por isso é urgente que cuidemos também da saúde mental dos condutores, o que vai ao encontro do modelo biopsicossocial de saúde, para que não tenhamos cada vez mais mortes e casos de invalidez no trânsito. Precisamos interromper a violência no trânsito que vem vitimando todos os dias cada vez mais jovens.

Onde faltam leis e regras, as pessoas pagam com a vida e a saúde. A desburocratização e a economia de recursos não podem ser usadas como desculpas para afrouxar normas que salvam vidas. Não há como estipular um valor para a vida humana.

* Dr. Alysson Coimbra, médico especialista em trânsito

Fonte: AKM Comunicação



Alta dos combustíveis? Conheça outras opções para aliviar o bolso

Apostar nos recursos tecnológicos é também uma alternativa para garantir praticidade durante o trajeto até o destino.

Alta dos combustíveis? Conheça outras opções para aliviar o bolso

Volkswagen antecipa novos NFTs após primeira coleção esgotar em poucas horas

Projeto desenvolvido pela startup brasileira OnePercent vende primeira coleção logo após o lançamento e anuncia novas coleções e funcionalidades.

Volkswagen antecipa novos NFTs após primeira coleção esgotar em poucas horas

Somente metade dos brasileiros usam cinto de segurança no banco de trás do carro

O uso do cinto impede que o passageiro seja arremessado, diz especialista.

Somente metade dos brasileiros usam cinto de segurança no banco de trás do carro

Produção de veículos aumenta 11,4% em março, diz Anfavea

Na comparação com março do ano passado, produção foi 7,8% inferior.

Produção de veículos aumenta 11,4% em março, diz Anfavea

Governo Federal cria programa para renovação de frota de caminhões

Entre os objetivos do programa está a retirada de circulação da frota com mais de 30 anos de fabricação.

Governo Federal cria programa para renovação de frota de caminhões

Aeroporto Internacional de Belo Horizonte inaugura Passarela Mineira

Espaço de convivência faz parte do projeto de modernização do Terminal de Passageiros 1.

Aeroporto Internacional de Belo Horizonte inaugura Passarela Mineira

Projeto de mobilidade elétrica é lançado em Fernando de Noronha

Serão inseridos 14 carros elétricos e uma rede de eletropostos com 12 pontos de recarga interligados na ilha.

Projeto de mobilidade elétrica é lançado em Fernando de Noronha

Reciclagem de baterias de veículos elétricos pode ser realidade no país em poucos anos

Ação visa o desenvolvimento de processo de reciclagem de células de baterias de íon-lítio dos veículos da BMW.

Reciclagem de baterias de veículos elétricos pode ser realidade no país em poucos anos

Mesmo caminhando a passos lentos, carros elétricos dominarão o transporte público

O setor de mobilidade urbana ainda precisa cumprir algumas tarefas para ser um exemplo de eficiência no Brasil.

Mesmo caminhando a passos lentos, carros elétricos dominarão o transporte público

Mercedes-Benz reduz dependência da Cemig na fábrica de Juiz de Fora (MG)

A área dispõe de placas de energia fotovoltaica capazes de produzir uma potência de 10.000 kwh/mês.

Mercedes-Benz reduz dependência da Cemig na fábrica de Juiz de Fora (MG)

Será que ainda vale a pena ter carro?

Essa é uma pergunta que toda pessoa que quer ou tem um carro se faz, ainda mais nos dias de hoje em que temos facilidades adicionais com os aplicativos.

Será que ainda vale a pena ter carro?

Aeroportos da Infraero são destaques no Programa “Aeroportos Sustentáveis” da Anac 

Programa busca incentivar a adoção de boas práticas de gestão ambiental nos aeroportos do Brasil. 

Aeroportos da Infraero são destaques no Programa “Aeroportos Sustentáveis” da Anac