Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Agronegócio para um novo Brasil

Agronegócio para um novo Brasil

05/02/2018 João Guilherme Sabino Ometto

É preciso considerar que os juros específicos para a agropecuária ainda estão muito elevados.

Para o bem da economia nacional, é de se esperar que se concretize na prática o anúncio do ministro da Agricultura em exercício, Eumar Novacki, feito no Summit Agronegócio 2017, de que a pasta tem o propósito de ampliar a participação da atividade no comércio exterior, de modo que o Brasil detenha 10% do mercado global.

Para isso, é fundamental o cumprimento do que estabelece o Plano Agrícola e Pecuário (PAP) 2017/2018, que prevê, segundo dados oficiais do governo, volume de crédito de R$ 188,3 bilhões, R$ 9,2 bilhões para a modernização de frotas e orçamento de R$ 550 milhões para o seguro rural no ano novo.

Há avanços nesses indicadores. Entretanto, é preciso considerar que os juros específicos para a agropecuária ainda estão muito elevados: 8,5% ao ano para custeio; 7,5%, investimento; e 6,5%, armazenagem e inovação tecnológica. Tais índices não fazem sentido, em especial se considerarmos que os produtores da Europa, Estados Unidos e outras nações fortes no setor desfrutam de taxas muito menores e que a inflação está abaixo da meta. O próprio mercado tem a expectativa de que não supere 4% em 2018, segundo a edição de 24 de novembro do Boletim Focus do Banco Central, última até o momento em que escrevi este artigo.

Também é preciso considerar algumas prioridades, como a melhoria dos sistemas de armazenamento, transportes e logística, cuja precariedade é causadora de inaceitáveis desperdícios de alimentos e commodities. Item que também merece atenção é o seguro rural, que precisa ser um efetivo garantidor dos riscos a que se submetem a cada safra os empresários do campo, de todos os portes, desde as intempéries até fatores mercadológicos imprevisíveis.

É pertinente entender, ainda, que o agronegócio — apesar de ser apontado por todos como o “salvador” o Brasil em meio à pior recessão de nossa história, de seu desempenho positivo no comércio exterior e curva ascendente de desempenho nas últimas décadas — enfrenta os mesmos problemas que afetam a competitividade da indústria, comércio e serviços. Juros altos, câmbio muito variável e nem sempre estimulador das exportações, insegurança jurídica, burocracia, elevada carga tributária, infraestrutura deficiente, a corrupção e a crise fiscal do setor público prejudicam a agropecuária na mesma proporção dos demais setores produtivos.

Tanto assim, que a Organização Mundial do Comércio (OMC), em relatório recentemente divulgado, revela que houve queda na participação dos nossos produtos agropecuários no mercado internacional. Temos a quarta maior área agrícola do mundo e continuamos sendo o terceiro maior exportador, atrás somente dos Estados Unidos e União Europeia. Porém, nossa fatia no mercado global recuou de 7,3%, em 2012, para 5,1%. Seguimos líderes na comercialização de açúcar, suco de laranja e café.

Os dados demonstram que a meta anunciada pelo ministro da Agricultura em exercício, Eumar Novacki, de ampliar nossa fatia no comércio exterior do agronegócio, não só é bem-vinda, como premente, para recuperarmos o espaço que perdemos. Com responsável otimismo, revigorado pela resiliência das instituições, a apuração e sanção legal sem precedentes da improbidade e a oportunidade que as eleições de 2018 nos oferecem de reescrever nossa própria história com o poder do voto, devemos acreditar muito em nossa capacidade de construir um novo Brasil, um país no qual as mulheres e os homens do campo continuarão semeando a esperança.

*João Guilherme Sabino Ometto, engenheiro (Escola de Engenharia de São Carlos - EESC/USP), é presidente do Conselho de Administração do Grupo São Martinho e membro da Academia Nacional de Agricultura.



Conab estima 284,4 milhões de toneladas de grãos para safra 2021/22

Estimativa indica crescimento de 12,5% sobre a colheita anterior.

Conab estima 284,4 milhões de toneladas de grãos para safra 2021/22

Prêmio da Região do Cerrado Mineiro reconhece os melhores cafés de 2021

Premiação apoiada pelo Sebrae Minas valoriza o trabalho dos produtores e a intercooperação.

Prêmio da Região do Cerrado Mineiro reconhece os melhores cafés de 2021

O avanço da diversidade no agronegócio do Brasil

A Covid-19, dentre as duras lições impostas à humanidade, deixou muito claro não ser mais possível postergar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas.

O avanço da diversidade no agronegócio do Brasil

O agro mais tech do que nunca

O agronegócio continua sendo destaque dentro da economia brasileira.

O agro mais tech do que nunca

Projetos de agricultura sustentável vão receber US$ 1,2 bi do BID

Valor será investido em pequenos negócios e regularização fundiária.

Projetos de agricultura sustentável vão receber US$ 1,2 bi do BID

Adubação orgânica aumenta rentabilidade no campo

Com aposta na alternativa, agricultores familiares apontam crescimento e diversificação da produção, além de melhoria na qualidade do solo.

Adubação orgânica aumenta rentabilidade no campo

Abate de frangos e suínos no Brasil registra recorde, diz IBGE

Foram abatidos 13,72 milhões de suínos e 1,54 bilhão de frangos

Abate de frangos e suínos no Brasil registra recorde, diz IBGE

Programa Irriga Minas beneficia mais de 700 agricultores familiares em 2021

Ações consistem na entrega e no suporte para a instalação de kits de irrigação.

Programa Irriga Minas beneficia mais de 700 agricultores familiares em 2021

João Pinheiro recebe o 1º Encontro Sucroenergético do Noroeste Mineiro

Sucronoroeste será realizado dia 4 de dezembro, no Sítio Chapecó, com entrada gratuita.

João Pinheiro recebe o 1º Encontro Sucroenergético do Noroeste Mineiro

Ipea prevê cenário positivo para a produção agrícola em 2022

Perspectiva é de safra recorde para a soja, diz Conab.

Ipea prevê cenário positivo para a produção agrícola em 2022

Mudanças climáticas já afetam portos brasileiros, aponta estudo

Setor portuário precisará se tornar mais resiliente para evitar uma série de prejuízos aos usuários e para a economia no futuro, diz estudo.

Mudanças climáticas já afetam portos brasileiros, aponta estudo

Projeto de Lei destina R$ 3 bilhões a produtores rurais

Crédito vai beneficiar ministérios e cerca de 14 mil produtores rurais.

Projeto de Lei destina R$ 3 bilhões a produtores rurais