Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Degradação ambiental: recuperação de florestas, economia, saúde e vida

Degradação ambiental: recuperação de florestas, economia, saúde e vida

03/12/2021 Antonio Borges

O Brasil se movimenta para discutir as questões ambientais, e diversos países já acenam para os investimentos vindos do setor privado.

Degradação ambiental: recuperação de florestas, economia, saúde e vida

Crise hídrica, crise energética, escassez de recursos, produção industrial sem matéria prima, contas cada vez mais caras ao bolso do brasileiro. Apesar de muitos não saberem ou ignorarem o fato, o clima e o meio ambiente vem cobrando da humanidade os anos de exploração a preços altos.  De acordo com a organização internacional Global Forest Watch, entre 2018 e 2019, Brasil, Bolívia e Peru figuravam entre os cinco países que mais perderam florestas primárias no mundo.

A grilagem de terras, a expansão de fronteiras agropecuárias, a mineração e a exploração econômica descontrolada, entre outros fatores, são consideradas as principais atividades responsáveis pela perda de floresta. Outro fator menos abordado nas pautas diárias é a degradação, o fenômeno que acontece quando perturbações externas tiram daquele ecossistema sua capacidade de funcionar normalmente, como por exemplo, secas, incêndios, extração de madeira, etc. A grande questão aqui é que esse acontecimento tem um papel fundamental na maneira como as florestas se modificam e, atualmente, não há no Brasil nenhum tipo de política para se evitar a degradação.

Neste sentido, é importante dizer que os estados brasileiros possuem sim normativas diferentes para a realização de compensação ambiental, mas é preciso ir além. A “substituição” de uma floresta madura e conservada por uma outra em estágio inicial, passa longe de apenas realizar o plantio. É necessário que os investimentos que vão para a restauração também possam continuar sendo aplicados para a conservação do ecossistema, principalmente em um momento da vida em que essa vegetação ainda não aprendeu “a caminhar sozinha”.

Ainda de acordo com a pesquisa, nos últimos 10 anos, as taxas de perda de florestas primárias se mantiveram altas. No Brasil, saímos de menos de 1% em 2002 e chegamos a 7% em 2019, o que é preocupante, já que as florestas primárias são as que mais armazenam carbono. Para se ter uma ideia dessa dimensão, uma árvore de três metros de circunferência pode armazenar entre três a quatro toneladas de carbono, o que equivale entre 10 e 12 toneladas de CO2, o gás causador do efeito estufa, liberados novamente na atmosfera quando ela é cortada ou degradada.

Uma floresta “nova”, realizada por conta de compensação ambiental, necessita ser acompanhada por pelo menos cinco anos, para que crie a sua biodiversidade de forma natural e tenha um desenvolvimento consistente, sem o abandono frente à degradação. O Brasil se movimenta para discutir as questões ambientais, e diversos países já acenam para os investimentos vindos do setor privado, colocando na agenda o seu comprometimento com uma compensação ambiental segura e sadia. Na Década da Restauração, e no momento atual de diversas crises advindas de nossas florestas degradadas, precisamos que esse movimento se fortaleça e prevaleça para o bem de nossa economia, saúde e vida.

* Antonio Borges, CEO da PlantVerd, empresa que atua na execução de serviços ambientais para a recuperação de áreas degradadas em todo o Brasil.

Para mais informações sobre Meio Ambiente clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Máindi



Média anual de raios deve subir de 77,8 para 100 milhões no Brasil

País se mantém na liderança de incidência de raios.

Média anual de raios deve subir de 77,8 para 100 milhões no Brasil

Brasil pode liderar transição regenerativa no mundo

Faltam profissionais capacitados para pensar, criar, implantar, manejar e replicar sistemas produtivos biodiversos.

Brasil pode liderar transição regenerativa no mundo

Amazônia Legal tem o maior desmatamento em 14 anos

Medição do Instituto Imazon indica que a Amazônia perdeu, nos últimos 12 meses, uma área de mata nativa equivalente à metade do território de Sergipe.

Amazônia Legal tem o maior desmatamento em 14 anos

Soluções inteligentes para preservar a nossa biodiversidade

País com a maior biodiversidade do planeta, o Brasil possui mais de 20% do número total de espécies da Terra.

Soluções inteligentes para preservar a nossa biodiversidade

Rio São Francisco está em condição de cheia, informa ANA

Volume de chuva foi acima da média esperada para dezembro.

Rio São Francisco está em condição de cheia, informa ANA

Minas lança Plano de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica

Documento prevê um diagnóstico do bioma em Minas, com ações de regularização, fiscalização e incentivo à agricultura sustentável e proteção à fauna.

Minas lança Plano de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica

Ninhada de ovos de dinossauro é descoberta no interior paulista

Pesquisador já havia encontrado no local ovos de crocodilo.


A natureza como estratégia para restaurar a baía mais simbólica do Brasil

A Baía de Guanabara é um patrimônio do Estado do Rio de Janeiro e do Brasil. ,

A natureza como estratégia para restaurar a baía mais simbólica do Brasil

Turismo vai melhor com saneamento

A temporada de férias é o período de merecido descanso para milhares de brasileiros.

Turismo vai melhor com saneamento

O que sua empresa pode fazer pelo meio ambiente hoje?

O meio ambiente clama por mudanças urgentes, tanto para a geração atual, quanto para as futuras.

O que sua empresa pode fazer pelo meio ambiente hoje?

Natureza: o nosso melhor destino

Mesmo antes da pandemia e da maior percepção sobre a emergência climática, o turismo relacionado às belezas naturais vinha em franca expansão.

Natureza: o nosso melhor destino

Estado beneficia 673 municípios mineiros com repasse do ICMS Ecológico

Mecanismo tributário incentiva promoção de ações de preservação dos recursos naturais.

Estado beneficia 673 municípios mineiros com repasse do ICMS Ecológico