Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Os avanços da tecnologia antifraude para as transações on-line

Os avanços da tecnologia antifraude para as transações on-line

20/07/2020 Marco Aurélio Rodrigues

Em tempos de coronavírus e de isolamento social, estamos utilizando mais do que nunca o comércio eletrônico.

Os avanços da tecnologia antifraude  para as transações on-line

Para garantir segurança a todos os consumidores, as empresas estão diante de novos desafios como o uso de sistemas antifraude para garantir segurança e proteção para as transações financeiras.

Afinal de contas, você já imaginou quantos dados estão circulando nesse exato instante no Brasil para manter em dia os pedidos e pagamentos feitos por meio de smartphones, computadores, caixas eletrônicos, maquininhas móveis e até mesmo TVs? Se antes da pandemia os números do comércio digital brasileiro já indicavam forte crescimento, agora o horizonte indica um caminho ainda mais desafiador pelo exponencial aumento de vendas por causa da quarentena do COVID-19.

Estimamos que o número de pedidos on-line em alguns segmentos mais que dobrou durante o mês de março, período que o Brasil e diversos países adotaram medidas restritivas de mobilidade. Até mesmo áreas que ainda não tinham grande expressão no comércio digital, como a de supermercados, estão trabalhando para se adaptar o mais rápido possível a esse panorama de vendas multicanais.

Estamos diante de uma nova realidade, com um volume maior de transações a serem gerenciadas. São bilhões de operações ocorrendo simultaneamente, e muitas delas produzidas – ou interceptadas – por agentes maliciosos dos mais diversos tipos e origens. É preciso entender esse cenário e proteger as informações.

Vale destacar que os clientes têm um papel importante como agentes de segurança. Manter as medidas de proteção é um cuidado indispensável e que precisa ser encarado com serenidade por todos nós, incluindo ações para checagem de sites, links, promoções e afins. Ainda assim, é inegável que toda a inteligência interna, que fica escondida dentro dos sistemas, é essencial para evitar que problemas aconteçam.

A boa notícia é que já contamos com uma série de soluções e suítes específicas para proteção contra fraudes on-line (OFD, de On Line Fraud Detection, em inglês). A indústria está evoluindo essas ofertas, agregando ferramentas que permitem o cruzamento ativo de registros gerados por inúmeros dispositivos com um banco de dados continuamente alimentado e avaliado.

Hoje, ao unir diferentes informações e implementar tecnologia avançada para a autenticação ininterrupta das transações, a indústria de automação bancária e de pagamentos pode oferecer aos consumidores uma gama completa de recursos de segurança extra, com suporte recorrente e análises inteligentes – capaz, inclusive, de avaliar as operações em uma abordagem baseada em comportamentos suspeitos para diminuir fraudes eletrônicas.

Seja via smartphone, PC ou em um ATM, os serviços de proteção antifraude mais modernos estão prontos para rastrear e identificar as origens das transações, oferecer blindagem dos endpoints, com estrutura instalada nos dispositivos de pagamento e monitoramento ativo, em tempo real. O compromisso deve ser dividido em três pilares: proteção do cliente, proteção do canal e operação BackOffice contínua.

 As soluções de OFD são estratégicas para o crescimento dos negócios no mundo digital, sobretudo por permitir que bancos, empresas de cartões de crédito e demais companhias da cadeia de negócios de pagamentos possam ampliar a segurança da informação de seus clientes e a confiabilidade de seus serviços. É importante ressaltar, ainda, que o cuidado com os dados pessoais não é apenas importante diante do avanço das ofertas e ameaças do comércio digital em tempos de coronavírus, mas também porque as legislações e processos regulatórios são cada vez mais exigentes em relação a esse tema.

Trabalhar incessantemente para reduzir os crimes de fraude e combater as ações maliciosas certamente ajudará a atrair novos consumidores às empresas de e-commerce, bem como novos usuários de serviços de pagamento digital.

É hora da aproveitar as oportunidades que surgem, mesmo em tempos de coronavírus, para otimizar o atendimento e a experiência dos consumidores. Isso exige, de todos nós, a busca constante por inovações, unindo experiência e inteligência estratégica para o aprimoramento constante da segurança digital disponível aos usuários. Essa é a condição essencial para habilitar o comércio conectado, abrindo os caminhos para ampliar as vendas dos canais físicos e virtuais.

* Marco Aurélio Rodrigues, Diretor de Software e Serviços Profissionais da Diebold Nixdorf no Brasil

Fonte: Planin



Cultura organizacional e o sucesso das estratégias de segurança digital

As pessoas são o maior patrimônio de uma empresa.


Empreendedores menos escolarizados têm mais dificuldade de digitalizar os negócios

Pesquisa mostra resistência ou desinformação desses empresários sobre vendas pela internet.

Empreendedores menos escolarizados têm mais dificuldade de digitalizar os negócios

Faça backup das conversas do WhatsApp de Android para iPhone

Você comprou um novo iPhone e pretende copiar todas as suas conversas do seu antigo android para este novo smartphone?

Faça backup das conversas do WhatsApp de Android para iPhone

Startups em logística: um novo negócio

No meio acadêmico, universidades já orientam os estudantes para essa tendência.

Startups em logística: um novo negócio

Brasil, o país do podcast

Já sabemos que podcasts estão em alta.

Brasil, o país do podcast

Twitter lança ferramenta de combate à violência doméstica

Recurso pode ser usado por vítimas e por testemunhas.

Twitter lança ferramenta de combate à violência doméstica

Inbound x Outbound: qual o melhor para o seu negócio

Venha descobrir neste post sobre as maiores vantagens e desvantagens do Inbound e Outbound Marketing para o seu negócio!

Inbound x Outbound: qual o melhor para o seu negócio

Brasil teve mais de 1,6 bilhão de ataques cibernéticos em três meses

OMS, Departamento de Saúde dos Estados Unidos e outras organizações também foram alvos dos hackers nos últimos meses.

Brasil teve mais de 1,6 bilhão de ataques cibernéticos em três meses

Consumidores que compraram alimentos pela internet chegam a 53%

Isolamento social causado pela covid-19 influencia pesquisa.

Consumidores que compraram alimentos pela internet chegam a 53%

A crise no boicote ao Facebook

O problema disso é que a única forma de monetização do Facebook é com anúncios.

A crise no boicote ao Facebook

TikTok, Covid-19 e Cyberwar: nunca fomos tão vigiados

Como no filme “A vida de Truman”, o cidadão comum é cada dia mais vigiado, não só no Brasil, mas, de modo geral, em todos os lugares do mundo.


Hackers russos são pegos atacando empresas farmacêuticas e universidades

Alvos são pesquisas sobre o desenvolvimento da vacina contra o COVID-19.

Hackers russos são pegos atacando empresas farmacêuticas e universidades