Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Tecnologia facilita trabalho de profissionais de segurança e investigação

Tecnologia facilita trabalho de profissionais de segurança e investigação

21/05/2019 Antoine Youssef Kamel

Como você mantém contato com seus amigos e colegas de trabalho?

Tecnologia facilita trabalho de profissionais de segurança e investigação

Possivelmente alguns se comunicam por mensagem de texto comum (torpedo ou SMS); talvez um de vocês escreva cartas; e a maioria, por mensagens no WhatsApp.

Mas como você conversa com seus clientes? Por telefone, na maior parte das vezes. E, possivelmente, por e-mail e por WhatsApp. Fazendo uma análise técnica, dentre essas opções o WhatsApp é, teoricamente, o mais seguro, pois as mensagens são criptografadas. Como o aplicativo criptografa as mensagens e ligações, mesmo que alguém consiga interceptar os dados de uma mensagem escrita ou ligação feita pelo Whatsapp, o interceptador não entenderia nada, pois as mensagens são incompreensíveis, cifradas, acessíveis somente pelo destinatário pretendido da mensagem.

Por que não o WhatsApp?

Apesar da segurança que oferece, o WhatsApp apresenta alguns pontos fracos em relação à privacidade. Ele e seu detentor, o Facebook, não conseguem ter acesso ao conteúdo das mensagens e ligações, porém, conhecem outras informações privativas, como seu avatar e a lista de seus contatos - visto que essas informações são enviadas aos servidores do aplicativo e não são protegidas por criptografia.

Comunicação 100% privativa

Profissionais da segurança e da investigação profissional podem utilizar outro recurso tecnológico para garantir comunicações privadas e seguras com o aplicativo Signal.

O aplicativo de comunicação é muito semelhante ao WhatsApp em suas funcionalidades, com o diferencial da privacidade. Tem código aberto, auditado mundialmente por qualquer interessado. O Signal, além da avançada criptografia de mensagens e ligações, não retém nenhuma dessas informações em seus servidores. Isso é garantido porque o código do aplicativo é totalmente aberto. As informações são transmitidas apenas entre o usuário e cada um dos seus interlocutores, sem que os servidores do Signal armazenem qualquer informação.

Entre outras pessoas que usam e avalizam o Signal, um software de código aberto, sem fins lucrativos e focado na privacidade e proteção de dados, estão Brian Acton, co-fundador do WhatsApp. Após a venda para o Facebook, decepcionado com o uso invasivo que o aplicativo passou a fazer com os dados de seus usuários, ele doou U$ 50 milhões (cinquenta milhões de dólares) para o Signal.[1] Outro usuário do Signal é Edward Snowden, que trabalhou na CIA e no NSA e ficou conhecido pelas informações secretas que divulgou sobre o governo norte-americano. Snowden afirmou — em tom de desafio a quem procura espioná-lo — que usa o Signal todos os dias.[2]

Aqueles que trabalham no ramo de investigação (ou quem possua conversas, por qualquer motivo, confidenciais e de conteúdo sensível) podem utilizar essa novidade para se comunicar com clientes. No mercado profissional, o uso do aplicativo contará um ponto positivo pela sua preocupação quanto à segurança dos dados dos clientes. Por isso, convém conhecê-lo como um possível diferencial de trabalho.

* Antoine Youssef Kamel é coordenador adjunto do curso superior tecnológico em Investigação Profissional do Centro Universitário Internacional Uninter.

Fonte: Pg1 Comunicação



Hora de planejar 2020: cuidado com os hypes

Tem sido comum, e não é de hoje, a indústria da tecnologia e consultoria especializada ditar tendências sobre gestão e modelos de negócio.


Aplicativos são alternativas para o fim das filas para conseguir emprego

O uso do app é uma revolução para a área de recursos humanos, diz especialista.

Aplicativos são alternativas para o fim das filas para conseguir emprego

Facebook proíbe vídeos ‘deepfakes’

Plataforma vai remover imagens alteradas para distorcer realidade.

Facebook proíbe vídeos ‘deepfakes’

Portal de Consulta de Linhas Pré-pagas entra em funcionamento

Por enquanto acesso é para consumidores da Região Norte.

Portal de Consulta de Linhas Pré-pagas entra em funcionamento

Amazon planeja abrir lojas físicas na Alemanha

A Amazon já opera lojas nos Estados Unidos e no Reino Unido.

Amazon planeja abrir lojas físicas na Alemanha

Facebook e Google lideram ranking de erros de segurança em 2019

Relatório aponta que falha humana é recorrente em casos de invasão de contas.

Facebook e Google lideram ranking de erros de segurança em 2019

Plataforma brasileira ajuda empresas a treinar e contratar hackers de forma remota

Usuários podem treinar suas habilidades de invasão no formato de campeonatos e descobrir falhas em sistemas de empresas reais.

Plataforma brasileira ajuda empresas a treinar e contratar hackers de forma remota

Aluna do CEFET-MG vence desafio de criação de jogos eletrônicos da Google

Estudante venceu o Desafio 'Change the Game', lançado pela Google Play.


As principais buscas do ano em Minas Gerais feitas no Google

Assuntos relacionados a futebol foram os principais temas de busca ao longo de 2019.

As principais buscas do ano em Minas Gerais feitas no Google

Startup que controla tempo de tela das crianças no celular ganha prêmio

AppGuardian recebeu prêmio de "Startup Destaque" na categoria Educação no Inovativa Experience.

Startup que controla tempo de tela das crianças no celular ganha prêmio

Netflix pode perder 4 milhões de assinantes nos EUA em 2020

Estados Unidos têm mais de um terço do número assinantes do total global.

Netflix pode perder 4 milhões de assinantes nos EUA em 2020

WhatsaApp é principal fonte de informação do brasileiro, diz pesquisa

79% dos entrevistados disseram receber notícias sempre pela rede social.

WhatsaApp é principal fonte de informação do brasileiro, diz pesquisa