Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Maternidade e carreira

Maternidade e carreira

08/05/2020 Maria Inês Vasconcelos

Como diz o ditado judaico: Deus não podia estar em todos os lugares, por isso fez as mães.

Maternidade e carreira

Conseguir exercer a tripla função de mãe, mulher e dona de casa, e ainda adequar com a carreira, é um malabarismo que nos exige equilíbrio e autoconhecimento. É preciso muito jogo de cintura para conciliar a agenda profissional com os filhos.

A maternidade é um grande obstáculo para a carreira das mulheres brasileiras. Segundo pesquisa divulgada pela empresa de recrutamento Catho, as mães deixam o mercado de trabalho cinco vezes mais que os pais. O levantamento também concluiu que 28% das mulheres deixam o emprego após a chegada dos filhos, versus 5% dos homens, apenas.

O preconceito e os entraves culturais são realidades que temos que enfrentar, nessa sociedade regida por um padrão piegas- machista, em que homem sai para trabalhar e volta sendo o rei da casa.

Os tempos mudaram e esse clichê tem que ser modelado, porque a mulher de hoje trabalha, cria os filhos e se não paga todas as contas da casa, divide com o homem o orçamento familiar. Tornamo-nos, igualmente, provedoras.

Dando aqui um grito de alerta, podemos dizer que as empresas não são muito parceiras das mães. Mesmo que obedeçam ao mínimo legal e cumpram as normas que as protegem, ainda não facilitam a carreira da mulher.

De acordo com pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), 50% das mulheres são demitidas até dois anos após a licença maternidade, por exemplo, e poucas chegam às posições de liderança.

É evidente que existe uma pressão, ainda que travestida, a desfavor da natalidade e com a posição de que a maternidade é onerosa; fora o aspecto da reposição, o direito à amamentação, que encurtada a jornada. E também o fetiche de que a mulher perde o ritmo, sai da cadência e se desatualiza. A maternidade não emburrece.

Segundo estudos da Royal Holloway, durante a gestação, as mães sofrem um aumento das atividades do lado direito do cérebro, o que significa melhora em suas habilidades cognitivas como criatividade e relacionamento interpessoal, aumentam.

Felizmente, há empresas sensíveis à questão da maternidade, apoiando e contribuindo para que as mães possam desempenhar seu papel duplo e ganhando com isso. E a releitura da organização do trabalho, sem dúvida, abriu um leque infinito de possibilidades e um novo olhar para a questão da maternidade. O trabalho hoje é "online" e a tecnologia não tem sexo.

Grandes empresas mundiais que estão atualizadas com a revolução tecnológica, já preferem mulheres-mães em postos estratégicos. São os que desejam que as posições de destaque sejam ocupadas por leoas. Já perceberam através da "analysis" que a mulher- mãe é veloz, decidida e que tem um sentido a mais. Mães também ficam menos a deriva, e perdem menos o rumo. Portanto, dão lucro.

Dizem que a aristocracia da espécie humana está na mulher. Algo genético, antropológico e hormonal. A maternidade é um lugar em que se é plena.

A perda do conforto de uma crença sem questionamentos é a realidade da mulher. O gestor homem saiu do retrocesso raso que exclui as mães, para reconhecer que a maternidade é um ganho, um predicado a mais.

E quanto aos nossos filhos estes serão sempre nossos parceiros, principalmente se soubermos nos dedicar e mostrar que eles são a melhor parte de nós. E assim, basta ir adiante. Quando saltamos, eles saltam conosco.

* Maria Inês Vasconcelos, advogada Trabalhista, especialista em direito do trabalho, professora universitária, escritora.

Fonte: Naves Coelho Comunicação



Mercado de carbono abre oportunidade na área ambiental

Com a emissão de cerca de 2 bilhões de toneladas de gás carbônico por ano na atmosfera, o Brasil é considerado um dos maiores emissores de gases de efeito estufa.

Autor: Divulgação


Feirão promove reinserção de trabalhadores no mercado

Além de encaminhamento para entrevistas, primeira edição do evento vai oferecer outros serviços no Centro de Referência das Juventudes, em Belo Horizonte.

Autor: Divulgação


Empresa anuncia 1000 vagas de emprego em Betim (MG)

Oportunidades serão para seleção de Auxiliar Logístico, disponíveis para impulsionar o e-commerce regional.

Autor: Divulgação


Rede Mater Dei de Saúde abre vagas para unidade Nova Lima

As oportunidades são para Enfermeiros e Técnicos de Enfermagem em diversos setores.

Autor: Divulgação


Profissões que estão em alta e devem permanecer existindo

Nos últimos anos, temos visto o mundo do trabalho mudar e ser impulsionada pela aceleração da digitalização, automação e inteligência artificial.

Autor: João Roncati


Ser feliz no trabalho é essencial

O tema da felicidade está sempre permeando nossa rotina e no trabalho não é diferente.

Autor: David Braga


Unimed-BH contrata mais 50 profissionais para atuar na assistência

Cerca de 150 vagas já foram preenchidas e ainda restam 50 posições em aberto para contratação imediata.

Autor: Divulgação


Fundação CDL-BH oferece 500 vagas para jovens aprendizes

Serão disponibilizadas 500 vagas para jovens de 17 a 22 anos por meio do Programa Educação e Trabalho (PET).

Autor: Divulgação

Fundação CDL-BH oferece 500 vagas para jovens aprendizes

AeC oferece 550 vagas em Belo Horizonte

Todos os postos são para operador de atendimento ao cliente e a contratação é imediata.

Autor: Divulgação


Divino Fogão abre mais de 600 postos de trabalho em todo o Brasil

Vagas são para diferentes cargos, desde gerente a ajudante de cozinha.

Autor: Divulgação


Faltam profissionais no mercado

As manchetes avisam que faltam profissionais no mercado. Então, por que a taxa de desemprego aumenta? Porque sobram amadores.

Autor: Cesar Eduardo da Silva

Faltam profissionais no mercado

Descubra a melhor maneira de dizer “não” ao chefe

Muitos profissionais já se viram diante do dilema de discordar ou recusar uma solicitação do chefe, uma situação que pode ser delicada e desafiadora.

Autor: Hosana Azevedo