Portal O Debate
Grupo WhatsApp


O mercado de trabalho depois do câncer de mama

O mercado de trabalho depois do câncer de mama

08/10/2019 Marisse Bonfim

O câncer ainda é visto, de maneira geral, como sinônimo de grande adversidade para muitas pessoas.

Com o avanço tecnológico dos últimos anos, porém, as chances de um diagnóstico precoce e as taxas de sobrevida aumentaram consideravelmente. Isso significa que muitos ex-pacientes podem seguir a vida normalmente, o que inclui voltar ao mercado de trabalho. A questão é como o mercado está preparado para receber tais profissionais no retorno da licença ao fim do período de tratamento.

Na minha experiência eu sentia que venceria a batalha contra o câncer, mas um dos momentos mais difíceis foi o retorno ao trabalho. Fui diagnosticada com um tumor benigno na mama aos 39 anos. Logo em seguida, sempre realizando o autoexame, percebi outro nódulo, que a princípio foi dado também como benigno. Mas suas características eram diferentes do anterior, o que me fez buscar uma segunda opinião médica, quando então foi detectado um tumor maligno: um câncer de mama.

Como o tratamento era muito extenuante, precisei me afastar do trabalho. Quando terminei a terapia, apta a retornar às minhas atividades e cheia de planos, senti que a empresa onde trabalhava não soube lidar com minha volta. É difícil para os dois lados, pois o mundo não para durante nosso tratamento, mas não houve um cuidado com relação à minha reinserção. O olhar de compaixão e ao mesmo tempo de dúvida no ambiente é algo que nos fere. Muitos duvidavam da minha capacidade de tocar projetos mais longos, apesar de eu já estar saudável. Com o tempo, fui reconquistando meu espaço, até que decidi procurar novos horizontes profissionais.

Isso demonstra, de forma não generalizada, que as empresas, mesmo fazendo campanhas de prevenção no Outubro Rosa, ainda não se sensibilizaram com todas as questões que envolvem o câncer de mama, e uma delas é como lidar com o retorno das mulheres que tiveram a doença aos seus postos de trabalho. Assim, as reações iniciais são quase sempre de pena ou de dúvida em relação à capacidade daquela colaboradora, que precisará provar seu valor mais uma vez para a organização. Muitas não conseguem se reposicionar no mercado de trabalho e partem para atividades alternativas, ou começam a duvidar da própria capacidade, abandonam as carreiras e passam a apresentar sintomas de depressão.

 

No Brasil, a taxa de retorno ao trabalho após dois anos do diagnóstico de câncer de mama é de 60%, segundo pesquisa do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp). O levantamento também revela que mulheres com remuneração acima de dois salários mínimos ou que passaram por cirurgia que preserva a maior parte da mama tiveram mais chance de se recolocar no mercado de trabalho. Outro fator que auxilia essas funcionárias é a flexibilidade no ambiente de trabalho, mas apenas 29% conseguem esse benefício.

Esses dados indicam que as campanhas do Outubro Rosa devem ir além da prevenção ao câncer de mama e do autoexame. Deve ser discutida também sob a ótica da recolocação dessas mulheres no mercado, de que maneira isso pode ser feito, formas adequadas de tratamento, bem como políticas para facilitar a reinserção dessas profissionais.

* Marisse Bonfim é coordenadora fiscal da Hughes.

Fonte: RPM Comunicação



Inscrições abertas em concurso para o Hospital Universitário da UFSCar

No total, são 59 vagas para as áreas Médica e Assistencial, além de cadastro reserva para a área Administrativa


Transição do emprego

Volta a contratação na indústria em 2020.


Vagas temporárias também exigem capacitação

Candidatos com mais conhecimento têm melhores chances de conquistar uma das oportunidades oferecidas pelo mercado de trabalho no fim do ano.

Vagas temporárias também exigem capacitação

Empresas reveem vantagens na contratação de profissionais maduros

As corporações que estão deixando de lado o preconceito com a idade procuram no profissional maduro a redução dos riscos aos quais a organização se expõe.

Empresas reveem vantagens na contratação de profissionais maduros

O novo mundo profissional

Nós estudamos o perfil de cada um e mostramos os caminhos que há para alcançar aquilo que se deseja.

O novo mundo profissional

Plano de carreira é coisa do passado

A carreira deixa de ser responsabilidade da empresa e passa a caber ao indivíduo.

Plano de carreira é coisa do passado

Entenda as diferenças entre temporários e terceirizados

Especialista da Luandre detalha o que foi atualizado com o novo decreto e o que muda para contratantes e contratados.


Evento em São Paulo oferece 2,2 mil vagas para pessoas com deficiência

Há oportunidades em supermercados atacadistas, call centers, tratamento de resíduos, saneamento, recursos humanos, hospitais e restaurantes.


Começa a corrida para as contratações temporárias

Para atender o aumento de vendas de cerca de 13% no Natal, lojistas precisarão elevar contratações temporárias e deverão ficar atentos às obrigações legais para as vagas.

Começa a corrida para as contratações temporárias

Consultoria de RH inova e lança aplicativo gratuito que conecta empresas a profissionais

Acesso ilimitado e gratuito a diversas oportunidades de emprego, a qualquer hora, na palma da mão.

Consultoria de RH inova e lança aplicativo gratuito que conecta empresas a profissionais

CNI e Senai listam 30 profissões promissoras para a indústria 4.0

Profissões estarão ligadas ao setor automotivo, indústria de alimentos e bebidas e construção civil.

CNI e Senai listam 30 profissões promissoras para a indústria 4.0

Estágio x Emprego: entenda a diferença!

A modalidade não se configura como um trabalho formal, mas uma atividade voltada ao aprendizado.

Estágio x Emprego: entenda a diferença!