Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Planejando a transição de carreira

Planejando a transição de carreira

18/12/2018 Madalena Feliciano

Deixar um cargo certo para investir em um novo negócio é atitude cada vez mais comum. Como passar por esse processo?

Planejando a transição de carreira

Ano novo, mudanças, novos objetivos, novos sonhos e desejos... Não há hora melhor do que essa para investir nos planos que estão no papel há tempos – mas que insistem em não sair de lá.

Essa é a hora do décimo terceiro salário, das férias e, a princípio do descanso, mas muitas pessoas aproveitam o tempo livre e o dinheiro a mais para investirem em seus novos negócios e mudarem de vez a sua carreira.

Ainda existe certo tabu na hora de deixar um emprego certo para apostar em uma nova carreira, e muito disso acontece porque as pessoas, mesmo sem querer, acabam por criar um vínculo com a profissão que exercem, com o cargo ocupado e com o salário que recebem. Além disso, também há a pressão externa da família e amigos, que condenam o fato de deixar de lado uma carreira já consolidada para apostar em algo novo, ainda mais quando se trata de pessoas mais experientes. Mas apesar de todos esses obstáculos, é cada vez mais comum observar pessoas que deixam de lado a vida “certa” para seguirem o caminho que desejam, mesmo que isso exija maior esforço e traga menos retorno financeiro, pelo menos no início.

Segundo Madalena Feliciano, diretora de projetos da empresa Outliers Careers, deixar um trabalho certo e estável para abrir seu próprio negócio pode parecer assustador, e, para dar esse grande salto é preciso estar preparado, ter um bom planejamento e saber com quem contar. “Não existe receita para que o resultado seja 100% positivo, mas existem sim algumas atitudes que podem ser tomadas para fazer com que o período de transição traga consigo aprendizado e sucesso – mesmo que seja em um prazo maior”, explica.

Antes de qualquer atitude, o profissional precisa saber se tem uma boa ideia para colocar em prática, e, para isso, é preciso estudar a área de atuação, estudar os concorrentes, ter bons conselheiros, um capital inicial disponível para investir na empresa, ter a certeza de que esse novo emprego lhe trará mais satisfação que o antigo, acreditar que o negócio não quebrará em, no mínimo, três anos, uma boa rede de contatos e autoconhecimento, para saber se ele é disciplinado o suficiente para manter um negócio próprio.

“Além disso tudo, o profissional que deseja empreender precisa estar ciente de que muitas vezes o novo trabalho ocupa mais tempo do que o antigo, principalmente no início, e, por isso, deve ser algo prazeroso. Prepare-se para virar noites trabalhando e pensando sobre como resolver possíveis problemas”, exalta Madalena.

A profissional diz que o novo empreendedor deve ser capaz de descrever em poucas palavras o que seu serviço/produto é capaz de trazer como benefício para os clientes. “É a partir desse momento que se torna concreto o que você está fazendo, deixando claro que você sabe o que tem a oferecer ao mercado e como fará isso”, explica.

E especialista comenta que esse não é um objetivo fácil de ser atingido, mas que não existe idade máxima para ser realizado (diferentemente do que muitos pensam) e que, quando bem pensado, estudado e desenvolvido com atenção vale a pena o esforço. “Fazendo essa transição com dedicação e vontade, tudo acontece de forma mais natural, mesmo quando se trata da primeira experiência como empreendedor. É preciso passar por vários obstáculos que surgem no caminho, mas, no final não há nada como ter um negócio para chamar de seu – e ter orgulho disso”, conclui.

* Madalena Feliciano é Diretora de Projetos da Outliers Careers e Presidente do Instituto Profissional de Coaching.

Fonte: Toda Comunicação  



FIDI abre vagas para analista jr de Informática

Para se candidatar, é preciso ter mais de 18 anos e nível superior completo e/ou cursando.


Fintech abre dez vagas de trabalho nas áreas de tecnologia e finanças

Os interessados devem enviar seus currículos para a Paketá.


Como preparar nossas crianças para os empregos do futuro?

O que acontecerá com as crianças de hoje e que desempenharão funções do futuro.


Setor solar fotovoltaico vai gerar 672 mil empregos no País

Para a ABSOLAR, geração distribuída é um dos melhores investimentos que o País pode fazer para ampliar as ofertas de trabalho.

Setor solar fotovoltaico vai gerar 672 mil empregos no País

Qual a diferença entre estágio e emprego?

As modalidades possuem regras e benefícios específicos.

Qual a diferença entre estágio e emprego?

USP São Carlos abre concurso para professor em matemática

Docente selecionado atuará no ICMC com salário inicial de R$ 10.830,94

USP São Carlos abre concurso para professor em matemática

Especialista aponta que novas vagas em concursos devem ser ofertadas em breve

Os concursos públicos vão acabar? Como lidar com a insegurança no noticiário?

Especialista aponta que novas vagas em concursos devem ser ofertadas em breve

Concursos públicos na área fiscal têm salários de até R$ 19 mil

A maior renumeração é ofertada na Secretaria da Fazenda da Bahia, para o cargo de auditor fiscal. A exigência é de nível superior.

Concursos públicos na área fiscal têm salários de até R$ 19 mil

Confira essas dicas antes de se candidatar a um novo emprego

Conseguir uma nova oportunidade de trabalho nem sempre é uma tarefa fácil, principalmente se a situação econômica do país não está muito boa, se você ficou fora do mercado de trabalho por muito tempo ou se não tem muita experiência (ou nenhuma experiência) na área.

Confira essas dicas antes de se candidatar a um novo emprego

Veja as profissões que estarão em alta

Quais as profissões que prometem marcar forte presença no mercado? Existem profissões que se destacam e que devem ter uma boa procura durante o ano de 2019.

Veja as profissões que estarão em alta

Comece a investir com o salário de estagiário

Quem investe, multiplica o que tem e tem sempre!

Comece a investir com o salário de estagiário

3,8 milhões de brasileiros tem os aplicativos como principal fonte de renda

“O trabalho pelo aplicativo é muito útil, pois gera uma entrada de renda.

3,8 milhões de brasileiros tem os aplicativos como principal fonte de renda