Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Planejando a transição de carreira

Planejando a transição de carreira

18/12/2018 Madalena Feliciano

Deixar um cargo certo para investir em um novo negócio é atitude cada vez mais comum. Como passar por esse processo?

Planejando a transição de carreira

Ano novo, mudanças, novos objetivos, novos sonhos e desejos... Não há hora melhor do que essa para investir nos planos que estão no papel há tempos – mas que insistem em não sair de lá.

Essa é a hora do décimo terceiro salário, das férias e, a princípio do descanso, mas muitas pessoas aproveitam o tempo livre e o dinheiro a mais para investirem em seus novos negócios e mudarem de vez a sua carreira.

Ainda existe certo tabu na hora de deixar um emprego certo para apostar em uma nova carreira, e muito disso acontece porque as pessoas, mesmo sem querer, acabam por criar um vínculo com a profissão que exercem, com o cargo ocupado e com o salário que recebem. Além disso, também há a pressão externa da família e amigos, que condenam o fato de deixar de lado uma carreira já consolidada para apostar em algo novo, ainda mais quando se trata de pessoas mais experientes. Mas apesar de todos esses obstáculos, é cada vez mais comum observar pessoas que deixam de lado a vida “certa” para seguirem o caminho que desejam, mesmo que isso exija maior esforço e traga menos retorno financeiro, pelo menos no início.

Segundo Madalena Feliciano, diretora de projetos da empresa Outliers Careers, deixar um trabalho certo e estável para abrir seu próprio negócio pode parecer assustador, e, para dar esse grande salto é preciso estar preparado, ter um bom planejamento e saber com quem contar. “Não existe receita para que o resultado seja 100% positivo, mas existem sim algumas atitudes que podem ser tomadas para fazer com que o período de transição traga consigo aprendizado e sucesso – mesmo que seja em um prazo maior”, explica.

Antes de qualquer atitude, o profissional precisa saber se tem uma boa ideia para colocar em prática, e, para isso, é preciso estudar a área de atuação, estudar os concorrentes, ter bons conselheiros, um capital inicial disponível para investir na empresa, ter a certeza de que esse novo emprego lhe trará mais satisfação que o antigo, acreditar que o negócio não quebrará em, no mínimo, três anos, uma boa rede de contatos e autoconhecimento, para saber se ele é disciplinado o suficiente para manter um negócio próprio.

“Além disso tudo, o profissional que deseja empreender precisa estar ciente de que muitas vezes o novo trabalho ocupa mais tempo do que o antigo, principalmente no início, e, por isso, deve ser algo prazeroso. Prepare-se para virar noites trabalhando e pensando sobre como resolver possíveis problemas”, exalta Madalena.

A profissional diz que o novo empreendedor deve ser capaz de descrever em poucas palavras o que seu serviço/produto é capaz de trazer como benefício para os clientes. “É a partir desse momento que se torna concreto o que você está fazendo, deixando claro que você sabe o que tem a oferecer ao mercado e como fará isso”, explica.

E especialista comenta que esse não é um objetivo fácil de ser atingido, mas que não existe idade máxima para ser realizado (diferentemente do que muitos pensam) e que, quando bem pensado, estudado e desenvolvido com atenção vale a pena o esforço. “Fazendo essa transição com dedicação e vontade, tudo acontece de forma mais natural, mesmo quando se trata da primeira experiência como empreendedor. É preciso passar por vários obstáculos que surgem no caminho, mas, no final não há nada como ter um negócio para chamar de seu – e ter orgulho disso”, conclui.

* Madalena Feliciano é Diretora de Projetos da Outliers Careers e Presidente do Instituto Profissional de Coaching.

Fonte: Toda Comunicação  



Efetivação de estagiários: quando deve ocorrer?

Encerramento do contrato com o estudante ainda gera dúvidas entre os gestores.

Efetivação de estagiários: quando deve ocorrer?

Setores de drones e geotecnologias esperam gerar 100 mil empregos

Os dois setores movimentarão no Brasil em 2019, R$ 1,5 bilhões

Setores de drones e geotecnologias esperam gerar 100 mil empregos

Censo 2020 vai contratar 234 mil trabalhadores temporários

A contratação dos profissionais depende de aprovação prévia em processo seletivo simplificado

Censo 2020 vai contratar 234 mil trabalhadores temporários

Empresas são obrigadas a contratar estagiários?

Entenda as regras impostas por lei para a atividade voltada aos estudantes.

Empresas são obrigadas a contratar estagiários?

Idosos ganham mais espaço no mercado de trabalho

Experiência, força de vontade e disposição são algumas das características desses profissionais que estão despertando interesse das empresas.

Idosos ganham mais espaço no mercado de trabalho

Petrobras abre inscrições para novo programa de estágio

São 72 vagas em diversas áreas de níveis superior e médio (técnico).


Mercado brasileiro fecha 43 mil empregos formais em março

Em fevereiro, o saldo havia ficado positivo, com 173.139 admissões

Mercado brasileiro fecha 43 mil empregos formais em março

Emprego no setor da construção civil em Minas cresce quase 90%

No primeiro bimestre de 2019, já foram criadas 7.800 novas vagas

Emprego no setor da construção civil em Minas cresce quase 90%

Autistas podem ser empregados exemplares

Trabalhadores com autismo costumam se destacar pelo alto grau de lealdade e dedicação.

Autistas podem ser empregados exemplares

Cientistas alemães buscam voluntários para ficarem deitados

Cientistas espaciais têm uma oferta de trabalho para você: testar os efeitos da microgravidade no corpo humano. Pagamento é de 16,5 mil euros.

Cientistas alemães buscam voluntários para ficarem deitados

O desafio de preparar jovens para profissões ainda inexistentes

Acreditamos que a sala de aula é o melhor local para a iniciação ao bom uso da tecnologia.

O desafio de preparar jovens para profissões ainda inexistentes

Tatuagem ainda é proibida em muitas empresas

Apesar de ainda ser tabu em algumas empresas, os empregadores não podem vetar tatuagens ou piercings no ambiente de trabalho, sendo crime de discriminação previsto em lei.

Tatuagem ainda é proibida em muitas empresas