Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Saiba quais são as tendências nas relações contratuais pós-pandemia

Saiba quais são as tendências nas relações contratuais pós-pandemia

11/05/2020 Lucimara da Silva Brito

A participação das entidades sindicais nas negociações coletivas é necessária para evitar abusos e proteger a classe trabalhadora.

Como modo de enfrentar a atual crise decorrente da COVID-19, causada pelo novo coronavírus, mudanças legais foram estabelecidas em contratos de diversas espécies. Alteração do regime de trabalho presencial para o teletrabalho, sem registro prévio e negociação, é um exemplo do contexto atual. Além disso, antecipação de férias, antecipação de feriados, férias coletivas sem prévia comunicação ao órgão ministerial e flexibilização da jornada compõem o rol de alterações legais estabelecidas desde março até o presente momento.

As medidas podem permanecer após a pandemia, destacando-se como tendências nas relações contratuais frente aos vindouros impactos econômicos. As mudanças nas relações de trabalho propostas por diversas Medidas Provisórias abrem caminho para o retrocesso social e fortalecimento da temida flexibilização da legislação trabalhista. Dessa forma, a participação das entidades sindicais nas negociações coletivas é necessária para evitar abusos e proteger a classe trabalhadora, com observância dos princípios constitucionais.

É possível destacar positivamente a opção de trabalho em home office, adotada pelas empresas nesse período emergencial, cujo resultado tem superado as expectativas. Vale ressaltar a conhecida previsão do teletrabalho no artigo 75-A da CLT e a utilização da modalidade em diversos segmentos antes da pandemia. 

Sem adentrar nas características que diferem o teletrabalho do trabalho em home office tratado na MP 927/2020, a tendência, pós-pandemia, é aumentar a frequência dessa modalidade de trabalho remoto. Além de proteger o trabalhador, se mostrou produtiva, satisfatória e eficaz na redução de custos - como exemplo, é possível citar a ausência de necessidade do fornecimento de vale-transporte.

Indiscutivelmente, o trabalho em home office, que vinha sendo explorado timidamente, vem se tornando um grande aliado para driblar a inevitável crise econômica. As videoconferências foram ferramentas que contribuíram para a modalidade nesse período, evitando deslocamentos desnecessários, riscos e gastos com viagens, aspectos que tendem modificar o cenário do mercado de trabalho.

Outro tema a ser explorado com maior frequência pós-pandemia é a modalidade de contratação intermitente, inserida no nosso ordenamento jurídico com a reforma trabalhista (Art. 443, § 3º da CLT). Reputamos abusiva e inconstitucional a adoção em todos os setores econômicos, no entanto, ante a previsão legal, há inúmeras decisões validando tal modalidade e sem dúvidas essa discussão se estenderá até posicionamento final no STF (Superior Tribunal de Justiça).

A pandemia gerada pelo novo coronavírus, que não pode ser visto a olho nu, coloca diante dos nossos olhos os resultados nefastos das suas ações, dizimando vidas, abalando emoções com o isolamento social e economia mundial. Não diferente, já alterou substancialmente a dinâmica das relações contratuais no âmbito trabalhista, com demissões, suspensão ou interrupção do contrato de trabalho, redução salarial e outras medidas.

O retrocesso social e econômico também reflete nos prestadores de serviços autônomos, extraindo de todos a arte de se reinventar, com a certeza de superação e de que “digno é o trabalhador de seu salário” (Lc.10:17), princípio também insculpido no artigo da 7º, IV da nossa Constituição Federal. 

* Dra. Lucimara da Silva brito é bacharela em Direito pela Universidade do Oeste Paulista, desde 1998, e inscrita na Ordem dos Advogados do Brasil sob o nº 167.553. A advogada pertence ao grupo de profissionais do escritório Aparecido Inácio e Pereira Advogados Associados.

Fonte: Agência Contatto



Os impactos que o ensino à distância na pandemia levou para jovens em início de carreira

Especialista em capacitação profissional alerta sobre os efeitos que os últimos 17 meses remotos podem ter na vida profissional dos jovens brasileiros.

Os impactos que o ensino à distância na pandemia levou para jovens em início de carreira

Com avanço digital, profissão de corretor de imóveis cresce 60% no país

De janeiro a agosto de 2021, cerca de 2.467 novos corretores de imóveis obtiveram o registro no CRECI para atuar na profissão.

Com avanço digital, profissão de corretor de imóveis cresce 60% no país

Minas Gerais teve o segundo melhor saldo de emprego no acumulado de 2021

Serviço e indústria somaram mais da metade do saldo gerado pelos pequenos negócios mineiros nos quatro primeiros meses do ano.

Minas Gerais teve o segundo melhor saldo de emprego no acumulado de 2021

Luandre tem 500 vagas para auxiliar de operações em Contagem

A Luandre, uma das maiores consultorias de RH do Brasil, tem 500 vagas abertas para auxiliar de operações, em Contagem, Minas Gerais.


Startup de viagens corporativas abre 20 vagas em Minas Gerais

A perspectiva é que a travel tech Onfly termine 2021 com uma movimentação de R$ 40 milhões e R$ 1 bilhão transacionado em 2024.


Grupo Ri Happy abre mais de 100 vagas temporárias em Minas Gerais

Varejista de brinquedos anuncia contratação para o período do Dia das Crianças em Belo Horizonte, Betim, Contagem, Juiz de Fora, Pouso Alegre e Uberlândia.


Precisamos ensinar a pescar e ir além

Ao ler um artigo assinado pelo Dep. Alexis Fonteyne, resolvi escrever este texto usando, inclusive, partes da publicação.

Precisamos ensinar a pescar e ir além

Empresa de tecnologia abre mais de 300 vagas em todo o Brasil

Oportunidades de trabalho são voltadas a engenheiros, contadores, profissionais da área Comercial e Recursos Humanos.


Mercado Livre contratará mais de 6 mil pessoas até o final de 2021

Em abril, a empresa superou as expectativas de contratar em 2021 a soma de 12 mil funcionários.

Mercado Livre contratará mais de 6 mil pessoas até o final de 2021

Maioria dos estudantes universitários brasileiros busca por vagas de trabalho remoto

Pesquisa Universum, realizada com 32 mil estudantes universitários em 2021, revela que para 83% dos entrevistados a modalidade de home office é mais atrativa.

Maioria dos estudantes universitários brasileiros busca por vagas de trabalho remoto

Mercado de trabalho: adesão ao modelo híbrido ou retorno ao presencial?

Impacto da pandemia no mercado de trabalho possibilitou que empresas testem novos formatos de trabalho, que devem se manter no longo prazo.

Mercado de trabalho: adesão ao modelo híbrido ou retorno ao presencial?

Currículo tradicional ou vídeo no Tik Tok?

Um ponto muito importante e que nem todos consideram é a descrição dos seus objetivos profissionais.

Currículo tradicional ou vídeo no Tik Tok?