Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Cãoterapia ganha novas funções

Cãoterapia ganha novas funções

09/02/2017 Ana Paula Morais

Crescimento da terapia com animais e os benefícios na prática.

Cãoterapia ganha novas funções

A IAA (Intervenção Assistida por Animais), mais conhecida como “cãoterapia”, aumentou suas funções nos últimos anos: a terapia, atividade ou educação assistida por animais. São iniciativas que levam os animais para o centro de transformação nos tratamentos de pacientes com doenças graves, comportamentais e transtornos me geral. Leonardo Ogata, parceiro da Comac (Comissão de Animais de Companhia) do Sindan e fundador da Tudo de Cão, empresa especializada em adestramento e treinamento de animais, explica que "existem, na verdade, os dois tipos de projetos: um em que o cão é utilizado como uma ferramenta no tratamento de pacientes, dentro de um consultório de psicologia, por exemplo, e outro em que são organizadas atividades em grupos, onde animais visitam casas de repouso e hospitais”. A terapia assistida com animais é comum em casos como autismo, tratamentos com idosos e crianças, transtornos alimentares e cognitivos comportamentais (dependências químicas, hiperatividade, entre outros). Com um contato mais próximo, as pessoas conseguem criar vínculos e desenvolver melhorias em seu estado físico/mental, diminuir níveis de estresse, aumentando a socialização com outras pessoas, a adesão ao tratamento e até aliviando o sofrimento de sua condição. O uso de animais em terapias vem crescendo no Brasil e diversas ONGs têm aplicado esses programas em hospitais pediátricos, clínicas de repouso e clínicas para dependentes químicos para que desenvolvam sentimentos de afeto e carinho, diminuam o estresse e assim respondam melhor ao tratamento. Realização Para a realização deste trabalho, os cães tem treinamentos específicos, adestramento compatível, vacinas em dia e personalidade própria para lidar com todos os tipos de pessoa, desde crianças a idosos. Para participar destes projetos, os animais são submetidos a avaliações de estresse e comportamento, a fim de que interajam e convivam pacificamente com outros indivíduos. Existem algumas raças que possuem um perfil mais próximo ao que se busca em uma terapia, como: Golden Retriever, Labrador, Bernese Mountain Dog, e também os SRDs. Segundo Ogata, “não é só a raça que conta, vários fatores da personalidade do animal são analisados e temos muitos animais sem raça definida que são aprovados no processo”. A prática beneficia não somente os humanos, mas também os animais que estão sempre em contato com outras pessoas, mantendo-se ativos e sociáveis com outros pets e humanos. “Esses são momentos muito especiais para os cães. Mas é necessário que se tenha uma avaliação completa do seu perfil para que saibamos se realmente será positivo para ele”, completa Ogata. E se você quiser saber se o seu cão é apto para essas atividades, fique atento a algumas dicas: - Leve seu pet ao veterinário com frequência. O estudo Árvore de Valor da Comac mostra que a média de visitas ao veterinário é de apenas duas vezes ao ano, em cães e gatos. Se você quer deixar seu pet preparado para as atividades assistidas, o acompanhamento veterinário é fundamental. - Esteja preparado caso o perfil do seu cão não seja o mais adequado para a terapia assistida com humanos, afinal, eles também têm suas personalidades próprias. - Lembre-se que a atividade deve também ser prazerosa para os animais e caso o perfil dele não seja escolhido, prefira passear em locais abertos, parques e, com certeza, o seu cão estará mais feliz. - Realize os testes com seu cão e promova um momento alegre para ele. Esta fase é essencial para analisar seu perfil.



Férias: como viajar com meu cachorro?

A veterinária responsável pela Monello Select, Luana Sartori, dá algumas dicas para que a experiência seja agradável para o bichinho.

Férias: como viajar com meu cachorro?

Seis dicas para proteger o Pet do barulho dos fogos no Reveillón

Tutores podem tomar alguns cuidados simples para evitar acidentes domésticos.

Seis dicas para proteger o Pet do barulho dos fogos no Reveillón

Três receitas de Natal boas para cachorro

DogHero ensina a montar uma ceia completa (entrada, prato principal e sobremesa) com ingredientes que o seu cãozinho pode consumir.

Três receitas de Natal boas para cachorro

Depressão: Cães e gatos também sofrem com a doença

Às vezes, a mudança de ambiente pode desencadear o problema.

Depressão: Cães e gatos também sofrem com a doença

Cuidados essenciais com o cachorro no fim do ano

Um guia com as principais dicas para garantir que o seu filhote de quatro patas tenha um Natal e um Ano Novo seguros.

Cuidados essenciais com o cachorro no fim do ano

Pets como presente de Natal? Veterinário lista os prós e os contras

Responsabilidades e tempo médio de vida dos bichos devem ser levados em conta antes da compra ou adoção.

Pets como presente de Natal? Veterinário lista os prós e os contras

Decoração de Natal pode ser um perigo para os pets

Pisca-piscas e bolas de vidro estão entre os itens mais prejudiciais à saúde dos animais domésticos, alerta veterinário.

Decoração de Natal pode ser um perigo para os pets

Devo levar meu cão ao shopping?

Estamos falando do local mais frequentado nos finais de semana: o shopping.

Devo levar meu cão ao shopping?

Conheça as plantas venenosas para seu cãozinho

Você já se perguntou quais são as plantas tóxicas para seu melhor amigo?

Conheça as plantas venenosas para seu cãozinho

Como proteger meu pet do calor?

O verão está chegando e algumas cidades brasileiras já registram temperaturas acima dos 28 graus.

Como proteger meu pet do calor?

Cães podem comer açúcar?

Veterinário diz que tipo de alimentos adocicado os cães podem consumir.

Cães podem comer açúcar?

Pesquisa revela que permitir pets nos escritórios ajuda a reter e atrair talentos

Dos empregadores ouvidos, 87% dizem conseguir reter e atrair mais talentos por serem “pet friendly”.

Pesquisa revela que permitir pets nos escritórios ajuda a reter e atrair talentos