Portal O Debate
Grupo WhatsApp

5 dicas sobre como fazer email marketing

5 dicas sobre como fazer email marketing

20/01/2012 Denis Zanini

Em novembro do ano passado, durante o Digitalks Day, realizado em São Paulo, um dos palestrantes que discorria sobre estratégias de email marketing resolveu provocar a platéia, perguntando se concordávamos com a catastrófica corrente de paladinos que prevê, para breve, o fim do email.

Sim, para alguns gurus, o nosso popular correio eletrônico, que diariamente nos fornece notícias, dicas de promoção, links para aprovacão de cadastros e, claro, toneladas de spam, está com os dias contados. Diante da relutância da platéia, ele resolveu fazer uma pequena enquete. Pediu para levantar a mão aqueles que haviam se inscrito no seminário depois de ter recebido uma mala direta eletrônica. Pelo menos 80% dos presentes se manifestaram sem titubear.

E vejam: não estamos falando de um público qualquer. Estamos falando de hard users de internet, ou seja, gente que além do email tem acesso a dezenas de outras ferramentas de comunicacão digital, como blogs, perfis em redes sociais, programas de mensagens instantânea, etc. Não é de se espantar: o email é a segunda maior ferramenta de comunicacão digital do mundo, perdendo apenas para os sites.

Segundo a empresa de monitoramento de tráfego na web Royal Pingdom existem cerca de 3 bilhões de contas de email no mundo, pertencentes a aproximadamente de 2 bilhões de pessoas (ou seja: muita gente tem mais de uma conta). O fluxo em 2010 foi de 107 trilhões de mensagens enviadas, dos quais 89,1% eram spams – isso corresponde a uma média de 262 bilhões de mensagens indesejadas por dia.

Esses dados nos fazem perceber o real valor do email e o quanto, infelizmente, uma significativa parcela das empresas ainda não sabe fazer o uso correto dessa ferramenta. Com isso, perdem dinheiro, clientes e reputação.  Para usar o correio eletrônico de maneira assertiva, seguindo os princípios do marketing inteligente, não é necessário fórmulas mirabolantes ou investimento maciço em pesquisas. Basta seguir as 5 regras abaixo:

1) Segmente seu mailling: de nada adianta comprar banco de dados de terceiros com milhões de nomes sem segmentação. É preciso separar os clientes, não apenas pelo perfil demográfico (idade, sexo, classe social), mas também pelo perfil psicográfico (gostos, aspiração social). Isso demora um bom tempo, mas construir uma base de dados sólida aumentará as chances de fidelizacão de clientes e de um retorno financeiro maior. Lembrando que o mailling deve ser fomentado por adesão, ou seja, o cliente autoriza a inclusão de seus dados no banco de dados. Ofereça brindes (iscas digitais) para obter o nome e email de potenciais clientes para prospecção.

2) Estabeleça periodicidade: Enviar mensagens de forma irregular não cria vínculo com o consumidor. É preciso gerar uma rotina, que resulte em familiaridade para o cliente. Mas para isso é necessário bom senso. Mandar várias mensagens por dia certamente resultará num opt out (quando o destinatário pede para que seu nome seja excluído do mailling) e uma por mês fará com que ele nem se lembre de você. Não há uma norma, uma verdade absoluta, mas recomenda-se pelo menos um ou dois envios por semana. Evite a segunda (quando a caixa postal costuma ficar cheia), a sexta e os finais de semana (quando as pessoas acessam menos suas caixas postais).

3) Use títulos chamativos no campo Assunto: para ganhar destaque em meio as dezenas ou centenas de mensagem que recebemos diariamente, é necessário criar mensagens chamativas. Frases com números ("25% de desconto em produtos de informática" ou "9 dicas na hora de comprar seu carro") ou em forma de questão ("Em dúvida do que vai comprar para sua namorada no Natal?") costumam ter maior índice de abertura. Mas lembre-se: a chamada precisa ter vínculo com a realidade. Nada de criar manchetes falsas.

4) Escolha bem as landing pages: as landing pages (páginas de aterrissagem) são as páginas para onde as pessoas são direcionadas após clicar num link do email, seja para ver mais informações de uma oferta ou para ler o restante de um texto. Essas páginas precisam cumprir o prometido, ou seja, ser a continuação do email, objetivando levar o internauta por um caminho que termine na conversão de uma compra, na resposta de uma pesquisa, na obtenção de seus dados cadastrais, etc. Páginas de aterrissagem que não tem nexo com a newsletter causa a perda da confiança do cliente.

5) Mensure os resultados: com os programas atuais de gerenciamento de emails, é possível saber quem recebeu a mensagem, quem abriu, em quais notícias clicou, se houve conversões, etc. Transforme esses dados em informações. Eles serão úteis na tomada de decisões e norteará a empresa nos desenvolvimento de novas campanhas de email marketing.

* Denis Zanini é consultor de marketing digital e criador do site Sua Empresa nas Mídias Sociais.



Nome comum pode ser bom, mas às vezes complica!

O nosso nome, primeira terceirização que fazemos na vida, é uma escolha que pode trazer as consequências mais diversas.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


A Cilada do Narcisista

Nelson Rodrigues descrevia em suas crônicas as pessoas enamoradas de si mesmas com o termo: “Ele está em furioso enamoramento de si mesmo”.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Brasil, amado pelo povo e dividido pelos governantes

As autoridades vivem bem protegidas, enquanto o restante da população sofre os efeitos da insegurança urbana.

Autor: Samuel Hanan


Custos da saúde aumentam e não existe uma perspectiva que possa diminuir

Recente levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indica que os brasileiros estão gastando menos com serviços de saúde privada, como consultas e planos de saúde, mas desembolsando mais com medicamentos.

Autor: Mara Machado


O Renascimento

Hoje completa 2 anos que venci uma cirurgia complexa e perigosa que me devolveu a vida quase plena. Este depoimento são lembranças que gostaria que ficasse registrado em agradecimento a Deus, a minha família e a vários amigos que ficaram ao meu lado.

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


Argentina e Venezuela são alertas para países que ainda são ricos hoje

No meu novo livro How Nations Escape Poverty, mostro como as nações escapam da pobreza, mas também tenho alguns comentários sobre como países que antes eram muito ricos se tornaram pobres.

Autor: Rainer Zitelmann


Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


De quem é a América?

Meu filho tinha oito anos de idade quando veio me perguntar: “papai, por que os americanos dizem que só eles vivem na América?”.

Autor: Leonardo de Moraes


Como lidar com a dura realidade

Se olharmos para os acontecimentos apresentados nos telejornais veremos imagens de ações terríveis praticadas por pessoas que jamais se poderia imaginar que fossem capazes de decair tanto.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


O aumento da corrupção no país: Brasil, que país é este?

Recentemente, a revista The Economist, talvez a mais importante publicação sobre a economia do mundo, mostrou, um retrato vergonhoso para o Brasil no que diz respeito ao aumento da corrupção no país, avaliação feita pela Transparência Internacional, que mede a corrupção em todos os países do mundo.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins


O voto jovem nas eleições de 2024

O voto para menores de 18 anos é opcional no Brasil e um direito de todos os adolescentes com 17 ou 16 anos completos na data da eleição.

Autor: Wilson Pedroso