Portal O Debate
Grupo WhatsApp


A despedida do guerreiro

A despedida do guerreiro

01/04/2011 Juan Quirós

O vice-presidente José Alencar despede-se dos brasileiros com um grande exemplo de coragem, inesgotável ânimo de lutar pela vida e as causas nas quais se acredita. Sem dúvida, entra para a história como um referencial de empreendedorismo na iniciativa privada, competência e visão moderna na gestão do setor público, ética e estoicismo.

Homem cuja sabedoria lhe poupou arroubos de vaidade, José Alencar desempenhou função muito importante no tocante ao avanço da economia brasileira: estabeleceu um canal mais fluido de comunicação entre a iniciativa privada e o Estado, contribuindo de modo significativo para a remoção de alguns obstáculos burocráticos e para que algumas medidas importantes para o crescimento do PIB fossem adotadas.

Sem jamais descumprir os compromissos de lealdade com o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, nos dois mandados aos quais foram eleitos por milhões de brasileiros para governar a Nação, José Alencar nunca permitiu que se descaracterizasse sua crença no empreendedorismo, na importância do empresariado, na livre iniciativa, na economia de mercado e na necessidade de se adotarem medidas voltadas ao estímulo do nível de atividade. Sempre que necessário e pertinente, defendeu a redução dos juros e a revisão do “Custo Brasil”. Sua presença no governo, sem dúvida, ajudou muito no sentido de se romperem anacrônicos paradigmas da interação entre governo e setor privado.

No primeiro mandato de Lula, José Alencar e Luiz Fernando Furlan, então ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), foram autênticos embaixadores dos setores produtivos perante o governo, cultivando uma abordagem arejada, moderna e de maior produtividade da máquina estatal. Exemplo prático e concreto dessa visão empresarial no governo foi o grande salto das exportações, por meio de um arrojado e bem-sucedido programa de comércio exterior. Participei e acompanhei isso de perto, como presidente da Apex Brasil.

Que a semente plantada por José Alencar continue gerando e multiplicando frutos no setor público, para que o Brasil possa contar com mais ações governamentais realizadas com a participação de empresários. Nesse sentido, temos muitos desafios pela frente, em especial na retomada das exportações, no resgate dos gargalos da infraestrutura, nos programas de fomento no âmbito do MDIC e nas obras relativas à Copa do Mundo de 2014 e Olimpíada de 2016. Neste momento de sua triste despedida, nosso grande vice-presidente nos deixa um legado de trabalho, probidade, coragem e de certezas quanto à eficácia e pertinência de ações coesas e sinergéticas do Estado e da sociedade na conquista do desenvolvimento.

* Juan Quirós é presidente do Grupo Advento e vice da FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) e da ABDIB (Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base).



Prisão após condenação em segunda instância

Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 410/18, que deixa clara a possibilidade de prisão após condenação em segunda instância, avança na CCJ da Câmara Federal.


Sou uma péssima professora!

Sou uma péssima professora! Primeiramente, porque ser professor não foi minha primeira escolha de carreira.


As ferramentas tecnológicas e a educação

Os avanços tecnológicos podem estar a serviço da Educação, na medida em que permitem um maior acesso à informação e mais rapidez nas trocas do conhecimento.


Eu, professor

Comecei a dar aulas aos 18 anos. Meus alunos, em um supletivo de bairro, eram todos mais velhos que eu.


Gestão pública é o caminho contra a corrupção

A corrupção é pré-requisito do desenvolvimento, já dizia Gunnar Myrdall, Prêmio Nobel de Economia, em 1974.


Quando a desinformação é menos tecnológica e mais cultural

Cenário é propício para o descrédito de pesquisas, dados, documentos e uma série de evidências de veracidade.


Igualdade como requisito de existência

Na última cerimônia de entrega do EMMY, o prêmio da TV Norte Americana, um ator negro foi premiado, fruto de reconhecimento praticamente unânime de seu trabalho.


Liderança é comunicação, conexão e confiança

Cada dia que passa, percebo que uma boa comunicação e liderança têm total relação com conexão.


“A educação é a arma mais poderosa…” mas para quem?

Tudo o que se cria ou se ensina no mundo tem dois lados. Geralmente as intenções são boas e as pessoas as tornam ruins.


“Golpe do Delivery”

Entregadores usam máquina de cartão para enganar consumidor.


A inclusão educacional e o mês das crianças

O tema da inclusão está na ordem do dia, dominando as agendas no mês das crianças.


A velha forma de fazer política não tem fim

Ser político no Brasil é um grande negócio, uma dádiva caída do céu, visto as grandes recompensas de toda a ordem obtidas pelos políticos.