Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A diferença entre o artista e o empresário

A diferença entre o artista e o empresário

30/11/2020 Valdez Monterazo

Em primeiro lugar, deixe-me esclarecer: quando se fala em artista no mundo dos negócios, se fala no profissional ou técnico que tem determinado conhecimento específico ou habilidade.

Isto é, o engenheiro, o contador, o advogado, o dentista etc. Todos eles são técnicos, artistas de suas respectivas artes ou profissões.

Nesse sentido, a grande pergunta que fica para donos de empresa é: ser um excelente artista, ou técnico, garante sucesso nos negócios?

Como você pode imaginar, com certeza não. Mesmo sendo imprescindível uma empresa ter uma excelente qualidade de entrega de serviços e produtos, só isso não garante sucesso, existem várias outras competências que um empresário deve desenvolver.

Na verdade, focar somente na visão técnica, ou seja, a parte operacional da empresa e esquecer outros fatores importantes que veremos a seguir, é uma das principais causas da mortalidade e estagnação de empresas dos mais variados segmentos.

O que quero dizer é que existem competências e atividades muito específicas a serem feitas e desenvolvidas quando se tem uma empresa. Na maioria das vezes, ou o empresário não sabe quais são, ou não cumpre o seu papel por qualquer outra razão.

Dito isto, qual o real papel do empresário? Para responder, vou introduzir os três principais papéis que o dono de empresa exerce ou deveria exercer.

O Técnico ou Artista

Usar a visão do técnico significa garantir a excelência na entrega do produto ou serviço. Em muitas empresas o dono precisa, literalmente, pôr as mãos à obra.

O Gestor

Em resumo, o gestor é a figura que cuida de dois aspectos importantíssimos: o time e os indicadores. Usar o papel do gestor significa motivar e desenvolver a equipe, além de acompanhar os principais indicadores e índices do negócio, tais como: Indicadores de vendas, financeiros e de fluxo e caixa, evolução de projetos etc.

O Empresário

O empresário tem o papel de cuidar de fatores externos à empresa, como seu posicionamento frente aos clientes e concorrentes, além de olhar para o futuro e a perpetuidade do negócio.

Muitas vezes, donos de empresas estão presos em atividades relacionadas ao papel do técnico ou artista, ficam tão sobrecarregados com essas atividades operacionais que não conseguem mais exercer o papel de gestor ou de dono de seu próprio negócio.

O resultado disso todos nós já conhecemos: um número avassalador de empresas endividadas ou quebradas, sem falar na própria qualidade e estilo de vida do dono, que fica em segundo plano.

Frente ao que foi exposto, convido você a responder a si mesmo os seguintes questionamentos: onde está o seu foco na maior parte do tempo? No papel do técnico ou artista? Sente-se sobrecarregado pela operação?

Está no papel de gestor? Vem cuidando dos indicadores e da equipe? Ou está no papel de empresário? Já tem planejado o futuro da empresa?

Muitos donos de empresa ficam assustados ao perceber que gastam sua energia em atividades erradas e negligenciam aspectos importantes do negócio.

Caso você se identifique, saiba que sempre há tempo de fazer mudanças significativas para colher melhores frutos.

O papel de um coach de negócios é exatamente o de assessorar e desenvolver os donos de empresa para que possam assumir e exercer os papéis de Gestor e Empresário com excelência, isso de forma sistemática e embasada nos mais consagrados conceitos e metodologias de gestão.

Espero que esse conhecimento tenha contribuído para que você possa expandir sua visão empresarial. Ao exercer com maestria o papel de gestor e empresário, você poderá planejar e tomar ótimas decisões, para desfrutar de maiores e melhores resultados nos negócios, além de uma jornada profissional muito mais próspera e significativa.

* Valdez Monterazo é associado sênior na Sociedade Brasileira de Coaching, especializado em negócios, liderança e psicologia positiva.

Fonte: Case Comunicação Integrada



Manifestações do TDAH

Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade em adultos e crianças.


Cuidar da saúde mental do colaborador é fator de destaque e lucratividade para empresa

O Setembro Amarelo é uma campanha nacional de prevenção ao suicídio, mas que coloca em evidência toda a temática da saúde mental.


Setembro Amarelo: a diferença entre ouvir e escutar

Acender um alerta na sociedade para salvar vidas quando se fala em prevenção ao suicídio é tão complexo quanto o comportamento de uma pessoa com a intenção de tirar a própria vida.


Desafios para a Retomada Econômica

A divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre mostrou uma leve retração da atividade produtiva de 0,1% em relação ao trimestre imediatamente anterior.


Setembro Amarelo: é preciso praticar o amor ao próximo

Um domingo ensolarado é um dia perfeito para exercitar a felicidade, passear no parque, levar as crianças na piscina ou encontrar os amigos com seus sorrisos largos e escancarados.


Setembro Amarelo: é preciso ter ferramentas para lidar com o mundo

No semáforo, a cor amarela é frequentemente associada com desaceleração. O motorista precisa reduzir a velocidade ou até mesmo parar.


Da apropriação ilícita dos símbolos da Nação

Uma nova prática vem sendo efetivada por políticos e partidos radicais em âmbito mundial, a apropriação dos símbolos da nação como se fossem bandeiras de suas filosofias.


Tecnologia é fundamental para facilitar o processo de legalização de novos negócios no Brasil

Imagine se todo o recurso humano e dinheiro envolvidos no processo de abertura e legalização de uma empresa no Brasil fossem utilizados para promover mais eficiência e valor agregado para a sociedade?


Como a tecnologia pode criar uma cultura de reciclagem

Diante das diversas transformações no mundo dos negócios e no modelo de atendimento aos consumidores, empresas de todos os segmentos estão sendo obrigadas a buscarem soluções que permitam acelerar a inovação e a eficiência de seus negócios.


As regras essenciais para o uso de vagas de garagem em condomínios

A garagem traz para o condômino segurança e comodidade para os moradores.


Como usar a sua voz para compartilhar as suas ideias?

Você já se perguntou quantas palavras fala diariamente?


A jornada de inovação dos caixas eletrônicos

Quando os primeiros caixas eletrônicos chegaram ao Brasil, no início dos anos 1980, a grande novidade era a possibilidade de retirar dinheiro ou emitir um extrato de forma automatizada.