Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A diferença entre o artista e o empresário

A diferença entre o artista e o empresário

30/11/2020 Valdez Monterazo

Em primeiro lugar, deixe-me esclarecer: quando se fala em artista no mundo dos negócios, se fala no profissional ou técnico que tem determinado conhecimento específico ou habilidade.

Isto é, o engenheiro, o contador, o advogado, o dentista etc. Todos eles são técnicos, artistas de suas respectivas artes ou profissões.

Nesse sentido, a grande pergunta que fica para donos de empresa é: ser um excelente artista, ou técnico, garante sucesso nos negócios?

Como você pode imaginar, com certeza não. Mesmo sendo imprescindível uma empresa ter uma excelente qualidade de entrega de serviços e produtos, só isso não garante sucesso, existem várias outras competências que um empresário deve desenvolver.

Na verdade, focar somente na visão técnica, ou seja, a parte operacional da empresa e esquecer outros fatores importantes que veremos a seguir, é uma das principais causas da mortalidade e estagnação de empresas dos mais variados segmentos.

O que quero dizer é que existem competências e atividades muito específicas a serem feitas e desenvolvidas quando se tem uma empresa. Na maioria das vezes, ou o empresário não sabe quais são, ou não cumpre o seu papel por qualquer outra razão.

Dito isto, qual o real papel do empresário? Para responder, vou introduzir os três principais papéis que o dono de empresa exerce ou deveria exercer.

O Técnico ou Artista

Usar a visão do técnico significa garantir a excelência na entrega do produto ou serviço. Em muitas empresas o dono precisa, literalmente, pôr as mãos à obra.

O Gestor

Em resumo, o gestor é a figura que cuida de dois aspectos importantíssimos: o time e os indicadores. Usar o papel do gestor significa motivar e desenvolver a equipe, além de acompanhar os principais indicadores e índices do negócio, tais como: Indicadores de vendas, financeiros e de fluxo e caixa, evolução de projetos etc.

O Empresário

O empresário tem o papel de cuidar de fatores externos à empresa, como seu posicionamento frente aos clientes e concorrentes, além de olhar para o futuro e a perpetuidade do negócio.

Muitas vezes, donos de empresas estão presos em atividades relacionadas ao papel do técnico ou artista, ficam tão sobrecarregados com essas atividades operacionais que não conseguem mais exercer o papel de gestor ou de dono de seu próprio negócio.

O resultado disso todos nós já conhecemos: um número avassalador de empresas endividadas ou quebradas, sem falar na própria qualidade e estilo de vida do dono, que fica em segundo plano.

Frente ao que foi exposto, convido você a responder a si mesmo os seguintes questionamentos: onde está o seu foco na maior parte do tempo? No papel do técnico ou artista? Sente-se sobrecarregado pela operação?

Está no papel de gestor? Vem cuidando dos indicadores e da equipe? Ou está no papel de empresário? Já tem planejado o futuro da empresa?

Muitos donos de empresa ficam assustados ao perceber que gastam sua energia em atividades erradas e negligenciam aspectos importantes do negócio.

Caso você se identifique, saiba que sempre há tempo de fazer mudanças significativas para colher melhores frutos.

O papel de um coach de negócios é exatamente o de assessorar e desenvolver os donos de empresa para que possam assumir e exercer os papéis de Gestor e Empresário com excelência, isso de forma sistemática e embasada nos mais consagrados conceitos e metodologias de gestão.

Espero que esse conhecimento tenha contribuído para que você possa expandir sua visão empresarial. Ao exercer com maestria o papel de gestor e empresário, você poderá planejar e tomar ótimas decisões, para desfrutar de maiores e melhores resultados nos negócios, além de uma jornada profissional muito mais próspera e significativa.

* Valdez Monterazo é associado sênior na Sociedade Brasileira de Coaching, especializado em negócios, liderança e psicologia positiva.

Fonte: Case Comunicação Integrada



O fim da reeleição de governantes

Está tramitando pelo Congresso Nacional mais um projeto que revoga a reeleição de Presidente da República, Governador de Estado e Prefeito Municipal.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


PEC das drogas

O que esperar com a sua aprovação?

Autor: Marcelo Aith


PEC do Quinquênio simboliza a metástase dos privilégios no Brasil

Aprovar a PEC significará premiar, sem justificativa plausível, uma determinada categoria.

Autor: Samuel Hanan


O jovem e o voto

Encerrou-se no dia 8 de maio o prazo para que jovens de 16 e 17 anos pudessem se habilitar como eleitores para as eleições municipais deste ano.

Autor: Daniel Medeiros


Um mundo fragmentado

Em fevereiro deste ano completaram-se dois anos desde a invasão russa à Ucrânia.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Leitores em extinção

Ontem, finalmente, tive um dia inteiro de atendimento on-line, na minha casa.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Solidariedade: a Luz de uma tragédia

Todos nós, ou melhor dizendo, a grande maioria de nós, está muito sensibilizado com o que está sendo vivido pela população do Rio Grande do Sul.

Autor: Renata Nascimento


Os fios da liberdade e o resistir da vida

A inferioridade do racismo é observada até nos comentários sobre os cabelos.

Autor: Livia Marques


Violência urbana no Brasil, uma guerra desprezada

Reportagem recente do jornal O Estado de S. Paulo, publicada no dia 3 de março, revela que existem pelo menos 72 facções criminosas nas prisões brasileiras.

Autor: Samuel Hanan


Mundo de mentiras

O ser humano se afastou daquilo que devia ser e criou um mundo de mentiras. Em geral o viver passou a ser artificial.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Um País em busca de equilíbrio e paz

O ambiente político-institucional brasileiro não poderia passar por um tempo mais complicado do que o atual.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Nem Nem: retratos do Brasil

Um recente relatório da OCDE coloca o Brasil em segundo lugar entre os países com maior número de jovens que não trabalham e nem estudam.

Autor: Daniel Medeiros