Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A escola e o potencial do Cinema na aprendizagem

A escola e o potencial do Cinema na aprendizagem

11/09/2012 Erika de Souza Bueno

Alunos que não questionam, que não produzem diante da folha em branco de uma redação, alunos que não conseguem entender a aplicabilidade prática de matérias como matemática, língua portuguesa, história, geografia e outras em seu dia a dia.

Alunos que praticam bullying porque têm dificuldades de aceitar o que é diferente de seu modo de ser e de viver, alunos que se fecham dentro de seu mundo porque desconhecem ou não se interessam pelas riquezas de manifestações artísticas.

Esse tem sido o cenário de muitas de nossas escolas hoje em dia e, para mudá-lo e corrigi-lo, o Cinema é uma rica fonte quando bem-utilizado em sala de aula, dado que, sozinho, o filme pouco pode fazer. Ainda que o aluno nunca tenha ido a uma sessão de cinema, é fato que este mesmo aluno está diariamente exposto a conteúdos fílmicos ao ligar a televisão de sua casa, em qualquer horário, estando ou não acompanhado por um adulto.

Num cenário como esse, torna-se cada vez mais evidente a necessidade de trabalharmos o olhar de nosso aluno, tornando-o um crítico diante de todas as informações que lhe são ofertadas por meio de conteúdos televisivos (programas, novelas, filmes e noticiários), internet (sites, jogos eletrônicos, blogs, redes sociais), propagandas (fôlderes, folhetos, carros de som) e diversas outras fontes de expressão.

Essas fontes revelam o pensamento de alguém que intenciona persuadir, mudar conceitos, levar pessoas a pensar e a agir diferente, tendo as mais diferentes intenções. Para verdadeiramente construir e agregar conhecimentos, o aluno precisa identificar em sua realidade o que está sendo ensinado pelo professor em sala de aula e, para isso, o filme é um recurso com grande potencial que não pode ser deixado de lado, dado que encanta, emociona e impacta a vida de crianças, jovens, adultos, famílias e toda a sociedade.

Isso pode ser facilmente compreendido porque, por meio da linguagem cinematográfica, o espectador experimenta sensações de choro, tédio, revolta, amor, simpatia, tal como se estivesse numa segunda realidade, tal como num sonho. Dessa forma, a Sétima Arte precisa ser levada mais a sério em nossas escolas, dado que adentra a casa e a vida de famílias e sociedade por meio da televisão, sessões de cinema, filmes alugados ou emprestados e, até mesmo, baixados na internet.

Quando a exibição de filmes tem a ação de um profissional que consegue aproveitar seus conteúdos e transformá-los em aprendizagens - potencializando os conteúdos de disciplinas escolares, abordagens dos temas transversais, tratamento de informações e aproximação de conteúdos modernos e atuais de conteúdos que contam a história da humanidade -,  há mudanças e transformações que afetam o presente e o futuro não apenas da comunidade da qual o aluno faz parte, mas todo o futuro de nossa nação, que contará com cidadãos mais preparados para o completo exercício da cidadania.

Erika de Souza Bueno é Editora do Portal Planeta Educação e Coordenadora Pedagógica do Planeta Educação.



Insetos na dieta

Aproximadamente dois bilhões de pessoas em 130 países já comem insetos regularmente.


Habilidades socioemocionais podem ser aprendidas

Desde o início da infância, as pessoas aprendem um conjunto de comportamentos que são utilizados nas diferentes interações sociais.


Entenda porque amor é diferente de paixão

Você sabe diferenciar o amor da paixão?


A finalidade e controle das ONGs

O mais adequado não é combatê-las, mas manter sob controle as suas ações como forma de evitar desvio de finalidade, corrupção e outras distorções.


A reforma da máquina pública

A aprovação da reforma da Previdência, pela Câmara dos Deputados, é um avanço do governo.


Os desafios da maternidade e do mercado de trabalho

Ter filhos não é fator de impedimento para uma mulher trabalhar.


Todos querem ser ricos…

Mais vale pobreza, com paz e consciência limpa, que riqueza, sem sossego, alma escurecida, e pesados de remorsos.


A importância de empoderar nossas meninas

Fatores culturais de valorização do masculino, enraizados desde sempre na nossa sociedade, afetam a autoestima e a confiança feminina.


Advogados e Cursos jurídicos

Onze de Agosto é o Dia da Fundação dos Cursos de Direito e é também o Dia do Advogado.


Empresas e paternidade: uma mudança a ser nutrida

Daqui a cinco ou dez anos, nem você nem ninguém se lembrará com precisão da tarefa que está fazendo no trabalho neste minuto.


Ética de advogados e juízes

A advocacia e a magistratura têm códigos de ética diferentes.


Quem se beneficia da coisa pública é corrupto

Coisa pública não pode ser confundida com coisa privada.