Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A escola e o potencial do Cinema na aprendizagem

A escola e o potencial do Cinema na aprendizagem

11/09/2012 Erika de Souza Bueno

Alunos que não questionam, que não produzem diante da folha em branco de uma redação, alunos que não conseguem entender a aplicabilidade prática de matérias como matemática, língua portuguesa, história, geografia e outras em seu dia a dia.

Alunos que praticam bullying porque têm dificuldades de aceitar o que é diferente de seu modo de ser e de viver, alunos que se fecham dentro de seu mundo porque desconhecem ou não se interessam pelas riquezas de manifestações artísticas.

Esse tem sido o cenário de muitas de nossas escolas hoje em dia e, para mudá-lo e corrigi-lo, o Cinema é uma rica fonte quando bem-utilizado em sala de aula, dado que, sozinho, o filme pouco pode fazer. Ainda que o aluno nunca tenha ido a uma sessão de cinema, é fato que este mesmo aluno está diariamente exposto a conteúdos fílmicos ao ligar a televisão de sua casa, em qualquer horário, estando ou não acompanhado por um adulto.

Num cenário como esse, torna-se cada vez mais evidente a necessidade de trabalharmos o olhar de nosso aluno, tornando-o um crítico diante de todas as informações que lhe são ofertadas por meio de conteúdos televisivos (programas, novelas, filmes e noticiários), internet (sites, jogos eletrônicos, blogs, redes sociais), propagandas (fôlderes, folhetos, carros de som) e diversas outras fontes de expressão.

Essas fontes revelam o pensamento de alguém que intenciona persuadir, mudar conceitos, levar pessoas a pensar e a agir diferente, tendo as mais diferentes intenções. Para verdadeiramente construir e agregar conhecimentos, o aluno precisa identificar em sua realidade o que está sendo ensinado pelo professor em sala de aula e, para isso, o filme é um recurso com grande potencial que não pode ser deixado de lado, dado que encanta, emociona e impacta a vida de crianças, jovens, adultos, famílias e toda a sociedade.

Isso pode ser facilmente compreendido porque, por meio da linguagem cinematográfica, o espectador experimenta sensações de choro, tédio, revolta, amor, simpatia, tal como se estivesse numa segunda realidade, tal como num sonho. Dessa forma, a Sétima Arte precisa ser levada mais a sério em nossas escolas, dado que adentra a casa e a vida de famílias e sociedade por meio da televisão, sessões de cinema, filmes alugados ou emprestados e, até mesmo, baixados na internet.

Quando a exibição de filmes tem a ação de um profissional que consegue aproveitar seus conteúdos e transformá-los em aprendizagens - potencializando os conteúdos de disciplinas escolares, abordagens dos temas transversais, tratamento de informações e aproximação de conteúdos modernos e atuais de conteúdos que contam a história da humanidade -,  há mudanças e transformações que afetam o presente e o futuro não apenas da comunidade da qual o aluno faz parte, mas todo o futuro de nossa nação, que contará com cidadãos mais preparados para o completo exercício da cidadania.

Erika de Souza Bueno é Editora do Portal Planeta Educação e Coordenadora Pedagógica do Planeta Educação.



O que a pandemia nos ensinou sobre fortalecer nossas parcerias

A pandemia da COVID-19 forçou mudanças significativas na operação de muitas empresas.


O barulho em torno do criado-mudo

Se você entrar agora no site da Amazon e escrever (ou digitar) “criado-mudo”, vai aparecer uma resposta automática dizendo que você não deve usar essa expressão porque ela é racista.


Reputação digital: é possível se proteger contra conteúdos negativos

O ano é 2022 e há quem pense que a internet ainda é uma terra sem lei. A verdade é que a sociedade avançou e o mundo virtual também.


Questão de saúde pública, hanseníase ainda é causa de preconceito e discriminação

Desde 2016, o Ministério da Saúde realiza a campanha Janeiro Roxo, de conscientização sobre a hanseníase.


Desafios para o Brasil retomar o rumo

A tragédia brasileira está em cartaz há décadas.


Mortes e lama: até quando, Minas?

Tragédias no Brasil são quase sempre pré-anunciadas. É como se pertencessem e integrassem a política de cotas. Sim, há cotas também para o barro e a lama. Cota para a dor.


Proteção de dados de sucesso

Pessoas certas, processos corretos e tecnologia adequada.


Perspectivas e desafios do varejo em 2022

Como o varejo lida com pessoas, a sua dinâmica é fascinante. A inclusão de novos elementos é constante, tais como o “live commerce” e a “entrega super rápida”.


Geração millenials, distintas facetas

A crise mundial – econômica, social e política – produzida pela transformação sem precedentes da Economia 4.0 coloca, de forma dramática, a questão do emprego para os jovens que ascendem ao mercado de trabalho.


Por que ESG e LGPD são tão importantes para as empresas?

ESG e LGPD ganham cada vez mais espaço no mundo corporativo por definirem novos valores apresentados pelas empresas, que procuram melhor colocação no mercado, mais investimentos e consumidores satisfeitos.


O Paradoxo de Fermi e as pandemias

Em uma descontraída conversa entre amigos, o físico italiano Enrico Fermi (1901-1954) perguntou “Onde está todo mundo?” ao analisarem uma caricatura de revista que retratava alienígenas, em seus discos voadores, roubando o lixo de Nova Iorque.


Novo salário mínimo em 2022 e o impacto para os trabalhadores autônomos

O valor do salário mínimo em 2022 será de R$ 1.212,00.