Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A força das marcas regionais de compras coletivas

A força das marcas regionais de compras coletivas

22/12/2011 Paulo Funada

Em um mundo cada vez mais globalizado, as marcas regionais de compra coletiva precisam encontrar diferenciais para sobreviver frente à concorrência das grandes empresas nacionais e internacionais.

A força das marcas regionais de compras coletivas

Sem poder competir com os vastos recursos, enormes estruturas e profissionais gabaritados das empresas de grande porte, as empresas locais assumem uma identidade própria e uma dinâmica toda especial para sobreviver em um mercado de livre concorrência. Dentre o arsenal das marcas regionais se encontram virtudes como agilidade, conhecimento local, cultura regional, logística, confiança da comunidade e proximidade de relacionamento, que, no final, contam pontos decisivos na hora da conquista pela preferência do consumidor que mora ao lado. Entender as particularidades de cada região, encontrando soluções que atendam as necessidades do ambiente é uma das grandes dificuldades que os gigantes do mercado de compra coletiva enfrentam.

Pois, instintivamente, querem replicar a padronização e nivelação dos produtos e serviços advindos da matriz, mas que nem sempre são os mais indicados para o lugar. As marcas regionais por terem nascido dentro da comunidade local, naturalmente possuem um contato muito mais próximo com o consumidor e com os fornecedores, entendem melhor a cultura do povo e transmitem uma sensação maior de cumplicidade, respeito e acolhimento. Apesar de objetivos similares, como a busca por maiores fatias de mercado, audiência, aumento de rentabilidade e expansão dos negócios, os pontos intangíveis de ligação com a marca regional pode fazer toda a diferença na preferência dos clientes e dos parceiros comerciais na hora de fechar negócio. Outra questão importante refere-se à visão com relação ao mercado local, enquanto que, para as grandes empresas uma determinada região significa apenas mais um pontinho no mapa, para uma empresa local aquilo é o seu mundo todo, afinal suas raízes e a sua vida estão lá.

Em decorrência disto, as atitudes, a dedicação e os interesses das empresas regionais tendem a ser muito mais sociais, abrangentes e sustentáveis do que as empresas “de fora”.  Segundo Jaime Troiano, presidente do Grupo Troiano de Branding: “As origens, hábitos locais e o folclore são respeitados pelas marcas regionais. Os consumidores se sentem mais confiantes por saberem que a fábrica está localizada na sua cidade ou Estado. Além disso, essas marcas confirmam a presença da pessoa no local em que consome, criam o sentimento de pertencer a um grupo, o que gera mais segurança”. É preciso lembrar, apenas, que a grande empresa não é grande por acaso, ela também começou como uma marca regional de sucesso em alguma localidade, e o seu crescimento e desenvolvimento são frutos de méritos e esforços. A experiência de um modelo de negocio testado e aprovado, com certeza, ajuda nos momentos de expansão e na busca de novos horizontes.

Portanto, não existe um modelo ideal onde as marcas regionais reinam ou as marcas globais imperam, existe sim, um ambiente competitivo de mercado onde cada uma, precisa encontrar o seu espaço e correr atrás de seus valores e objetivos. O importante é manter um jogo justo e leal, onde haja união de esforços para preservar e fortalecer o mercado de compras coletivas, pois, sempre que um determinado site ou determinada oferta não cumpre com o prometido ou desrespeita o código de defesa do consumidor, isso recai negativamente sobre todos os outros, independente do porte ou da localidade. A luta é árdua, no campo de batalha onde “sardinhas” e “tubarões” se encontram atrás das mentes, corações e bolsos dos consumidores em qualquer lugar do mundo, apenas uma coisa é certa, quem sempre dá a palavra final é o cliente, que no meio de tudo isso, possui cada vez mais opções e se beneficia de produtos e serviços de melhor qualidade.

Paulo Funada* é diretor executivo do site Mercado Zero.



Entre o barril de petróleo e o de pólvora

O mundo começou a semana preocupado com o Oriente Médio.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Nome comum pode ser bom, mas às vezes complica!

O nosso nome, primeira terceirização que fazemos na vida, é uma escolha que pode trazer as consequências mais diversas.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


A Cilada do Narcisista

Nelson Rodrigues descrevia em suas crônicas as pessoas enamoradas de si mesmas com o termo: “Ele está em furioso enamoramento de si mesmo”.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Brasil, amado pelo povo e dividido pelos governantes

As autoridades vivem bem protegidas, enquanto o restante da população sofre os efeitos da insegurança urbana.

Autor: Samuel Hanan


Custos da saúde aumentam e não existe uma perspectiva que possa diminuir

Recente levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indica que os brasileiros estão gastando menos com serviços de saúde privada, como consultas e planos de saúde, mas desembolsando mais com medicamentos.

Autor: Mara Machado


O Renascimento

Hoje completa 2 anos que venci uma cirurgia complexa e perigosa que me devolveu a vida quase plena. Este depoimento são lembranças que gostaria que ficasse registrado em agradecimento a Deus, a minha família e a vários amigos que ficaram ao meu lado.

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


Argentina e Venezuela são alertas para países que ainda são ricos hoje

No meu novo livro How Nations Escape Poverty, mostro como as nações escapam da pobreza, mas também tenho alguns comentários sobre como países que antes eram muito ricos se tornaram pobres.

Autor: Rainer Zitelmann


Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


De quem é a América?

Meu filho tinha oito anos de idade quando veio me perguntar: “papai, por que os americanos dizem que só eles vivem na América?”.

Autor: Leonardo de Moraes


Como lidar com a dura realidade

Se olharmos para os acontecimentos apresentados nos telejornais veremos imagens de ações terríveis praticadas por pessoas que jamais se poderia imaginar que fossem capazes de decair tanto.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


O aumento da corrupção no país: Brasil, que país é este?

Recentemente, a revista The Economist, talvez a mais importante publicação sobre a economia do mundo, mostrou, um retrato vergonhoso para o Brasil no que diz respeito ao aumento da corrupção no país, avaliação feita pela Transparência Internacional, que mede a corrupção em todos os países do mundo.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins