Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A geração Z. Prepare-se!

A geração Z. Prepare-se!

22/08/2012 José Bublitz

Enquanto boa parte da população brasileira ainda tem certa dificuldade em definir o que são as chamadas gerações baby boomers, X, Y e Z, estamos prestes a vivenciar um grande momento: a participação das quatro ao mesmo tempo no mercado de trabalho.

A geração Z, que tem em seu DNA o ato de Zapear, é a mais nova entrante no mercado, enquanto os pais da chamada geração X, os baby boomers, estão se aposentando. Isto significa que teremos Z criados por Y e por X. Entre as gerações Y e Z, como são digitais nativos, as diferenças são poucas ou imperceptíveis, mas ainda assim existem.

Se por um lado, a tecnologia já atende aos desejos dos novos consumidores, indivíduos sem barreiras e sem limites; do ponto de vista profissional existe uma grande apreensão entre os gestores de RH que começam a incluir esta nova geração no mercado de trabalho. Estes jovens nasceram conectados à web, assistem TV, fazem trabalho escolar, compartilham ideias nas mídias sociais e ainda ouvem sua música preferida pelo fone de ouvido, tudo ao mesmo tempo.

Se eles têm este perfil multitarefas, então teremos um super profissional! Ou o trabalho será apenas mais uma entre suas atividades exercidas superficialmente? Por conta de tantas mudanças, é chegada a hora do mercado corporativo entender melhor o perfil destes colaboradores.

Saber como eles agem no dia a dia para que seus cargos sejam bem definidos. Mas, somado a isso, é preciso que as próprias companhias se adaptem aos novos comportamentos. As novas gerações, por serem extremamente transparentes, postam nas mídias sociais o que fazem ou o que vão fazer, sem restrições de acesso.

Será que estas pessoas, quando inseridas no mercado corporativo, irão exigir esta mesma abertura de seus líderes e da empresa que os contrataram? Por outro aspecto, os Z vivem num ambiente de games digitais, onde tudo é conquistado em alguns dias ou poucas semanas, e talvez eles pensem que a vida profissional acontece dessa forma.

A velocidade da informação pode fazer do Z uma pessoa impaciente, com uma ansiedade incontrolável a ponto de não se adaptar à realidade corporativa. Dentro deste cenário, a empresa precisaria saber lidar com a reação de decepção deste colaborador. Os Y, ao se encontrarem com os Z, viverão um leve conflito causado pelas diferenças de um ‘gap’ tecnológico.

Esta integração é um desafio para as companhias, tanto quanto transformar a geração Y nos futuros gestores dos novatos. O conceito Home office já está em pleno andamento e a tendência é ter essa forma de trabalho consolidada.

Como consequência, os gestores terão que se preparar para comandar a distância, o que hoje é uma situação ainda pouco aceita em várias corporações. Neste novo tempo, esses grandes consumidores de tecnologia causarão um choque nas corporações, que só será positivo se estivermos preparados para recebê-los como potenciais profissionais.

José Bublitz, vice-presidente da ABRADISTI (Associação Brasileira de Distribuidores de TI).



As histórias que o padre conta

“Até a metade vai parecer que irá dar errado, mas depois dá certo!”

Autor: Dimas Künsch


Vulnerabilidades masculinas: o tema proibido

É desafiador para mim escrever sobre este tema, já que sou um gênero feminino ainda que com certa energia masculina dentro de mim, aliás como todos os seres, que tem ambas as energias dentro de si, feminina e masculina.

Autor: Viviane Gago


Entre o barril de petróleo e o de pólvora

O mundo começou a semana preocupado com o Oriente Médio.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Nome comum pode ser bom, mas às vezes complica!

O nosso nome, primeira terceirização que fazemos na vida, é uma escolha que pode trazer as consequências mais diversas.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


A Cilada do Narcisista

Nelson Rodrigues descrevia em suas crônicas as pessoas enamoradas de si mesmas com o termo: “Ele está em furioso enamoramento de si mesmo”.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Brasil, amado pelo povo e dividido pelos governantes

As autoridades vivem bem protegidas, enquanto o restante da população sofre os efeitos da insegurança urbana.

Autor: Samuel Hanan


Custos da saúde aumentam e não existe uma perspectiva que possa diminuir

Recente levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indica que os brasileiros estão gastando menos com serviços de saúde privada, como consultas e planos de saúde, mas desembolsando mais com medicamentos.

Autor: Mara Machado


O Renascimento

Hoje completa 2 anos que venci uma cirurgia complexa e perigosa que me devolveu a vida quase plena. Este depoimento são lembranças que gostaria que ficasse registrado em agradecimento a Deus, a minha família e a vários amigos que ficaram ao meu lado.

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


Argentina e Venezuela são alertas para países que ainda são ricos hoje

No meu novo livro How Nations Escape Poverty, mostro como as nações escapam da pobreza, mas também tenho alguns comentários sobre como países que antes eram muito ricos se tornaram pobres.

Autor: Rainer Zitelmann


Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


De quem é a América?

Meu filho tinha oito anos de idade quando veio me perguntar: “papai, por que os americanos dizem que só eles vivem na América?”.

Autor: Leonardo de Moraes