Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A história sempre se repete

A história sempre se repete

11/02/2020 Humberto Pinho da Silva

Quando não me apetece ler, folheio os livros da minha modesta biblioteca. Leio umas linhas e torno a fechá-los. Montaigne – se não estou em erro, – fazia o mesmo.

Desta vez, ao percorrer as lombadas, encontrei: “O Soldado Prático”, do nosso Diogo Couto (séc. XVI), e deparei, na Cena VI, uma grande verdade:

(…) “Há muitos anos, que senão costuma buscar homens para cargos, senão cargos para homens.”

Há muitos anos, diz o autor, já se criavam cargos (como agora,) para colocar homens: amigos, correligionários, parentes…

Décadas atrás, conheci pobre homem, que se aventurou a concorrer a certo lugar, na firma onde trabalhava. Ao entregar a candidatura, declarou:

- “Quando se faz capela, já se sabe quem é o santo! …” 

E não errou…

Sempre foi assim: quem não possui “padrinho” (pistolão,) por mais dedicado, por mais conhecedor, que seja, raras vezes passa da cepa torta, como o vulgo costuma dizer.

Em verdes anos, pensei, que o mal era a ditadura em que se vivia. Enganei-me redondamente: em democracia é muito pior…

Jovem que não nasce em família rica e influente, se quer alcançar lugar de relevo, é obrigado abraçar a política e bajular o líder, se quer receber benesses.

O essencial é que não hajam escrúpulos. Ser como o famoso duque se Sabóia, Carlos Manuel – o vira casacas. - Tudo lhe servia desde que o servisse.

Ferrenhos Salazaristas, em Portugal, após a Revolução dos Cravos, passaram a desempenhar importantes cargos, e asseveravam, que sempre foram de esquerda! … Por ingenuidade ou medo, acreditavam nas suas palavras…

Na queda da Monarquia, o mesmo aconteceu: António Manuel Pereira, em: “Do Marquês de Pombal ao Dr. Salazar”, afirma: que quem comandava a escolta dos cadáveres do Rei e do Príncipe, dizia aos soldados: “Se algum de vocês virem algum republicano, atira-lhe como a cães!”…. Proclamada a República, acabou nomeado Governador Civil! …

Fez, como fazia o duque de Sabóia….

O Homem é sempre o mesmo.

A História sempre se repete…

* Humberto Pinho da Silva

Fonte: Humberto Pinho da Silva



Há tempos são os jovens que adoecem

Há alguns anos o Netflix lançou uma série chamada “Thirteen Reasons Why”, ou, em tradução livre, “As Treze Razões”.


Administração estratégica: desafios para o sucesso em seu escritório jurídico

Nos últimos 20 anos o mercado jurídico mudou significativamente.


Qual o melhor negócio: investir em ações ou abrir a própria empresa?

Ser um empresário ou empresária de sucesso é o sonho de muitas pessoas.


Intercooperação: qual sua importância no pós- pandemia?

Nos últimos dois anos, o mundo enfrentou a maior crise sanitária dos últimos 100 anos.


STF e a Espada de Dâmocles

O Poder Judiciário, o Ministério Público e a Polícia Investigativa são responsáveis pela persecução penal.


Lista tríplice, risco ao pacto federativo

Desde o tempo de Brasil-Colônia, a lista tríplice tem sido o instrumento para a nomeação de promotores e procuradores do Ministério Público.


ESG: prioridade da indústria e um mar de oportunidades

Uma pesquisa divulgada recentemente pelo IBM Institute for Business Value mostra que a sustentabilidade tem ocupado um lugar diferenciado no ranking de prioridades de CEOs pelo mundo se comparado a levantamentos anteriores.


Como conciliar negócios e família?

“O segredo para vencer todas as metas e propostas é colocar a família em primeiro lugar.”, diz a co-fundadora da Minucci RP, Vivienne Ikeda.


O limite do assédio moral e suas consequências

De maneira geral, relacionamento interpessoal sempre foi um grande desafio para o mundo corporativo, sobretudo no que tange aos valores éticos e morais, uma vez que cada indivíduo traz consigo bagagens baseadas nas próprias experiências, emoções e no repertório cultural particular.


TSE, STF e a censura prévia

Sabe-se que a liberdade de expressão é um dos mais fortes pilares da democracia.


Sociedade civil e a defesa da democracia

As últimas aparições e discursos do presidente da República vêm provocando uma nova onda de empresários, instituições e figuras públicas em defesa da democracia e do sistema eleitoral no Brasil.


Para além do juramento de Hipócrates: a ética na prática médica

“Passarei a minha vida e praticarei a minha arte pura e santamente. Em quantas casas entrar, fá-lo-ei só para a utilidade dos doentes, abstendo-me de todo o mal voluntário e de toda voluntária maleficência e de qualquer outra ação corruptora, tanto em relação a mulheres quanto a jovens.” (Juramento de Hipócrates).