Portal O Debate
Grupo WhatsApp


A oportunidade das redes sociais para o mercado de TI

A oportunidade das redes sociais para o mercado de TI

21/08/2013 Mariano Gordinho

A última pesquisa do Ibope apontou que já somamos 94 milhões de brasileiros com acesso à internet.

Já de acordou com levantamento do Facebook, o Brasil alcançou 73 milhões de usuários.

Ou seja, quase quatro em cada cinco brasileiros conectados possui uma conta na rede social. Os números consolidam um crescimento de 630% desde fevereiro de 2011, quando o Facebook começou oficialmente sua operação no Brasil e abriu um escritório em São Paulo.

Na época, a rede social tinha 10 milhões de usuários no país. Segundo a companhia de Mark Zuckerberg, um a cada três brasileiros cadastrados já visita a rede social a partir de dispositivos móveis, como smartphones e tablets. Ao mesmo tempo, uma pesquisa encomendada pela Unisys à IDC sobre o fenômeno da “Consumerização de TI no Brasil” revela que houve aumento no acesso às redes sociais para fins comerciais no país, e 34% dos brasileiros entrevistados utilizam o Facebook para trabalho.

O Brasil lidera a lista dos países em que os profissionais acessam o site pelo menos uma vez por dia para fins corporativos e pessoais: 58,8% dos brasileiros entrevistados disseram navegar no Facebook diariamente, enquanto na Inglaterra eles são 44,3%e na França 35,9%. Para completar esse cenário, um estudo da consultoria McKinsey aponta que as tecnologias sociais têm o potencial de aumentar a produtividade de trabalhadores qualificados de 20% a 25%.

Especificamente no mercado de distribuição de TI, com mais de 3 mil revendas no país, criamos uma grande oportunidade. Afinal, desse alto número de empresas, mais de 80% delas contam com menos de dez profissionais e são companhias com cunho familiar, de acordo com a Pesquisa do Setor, Salarial e Censo de Revendas. Esse é o principal público que está conectado na rede social. É um empresário que utiliza em formato pessoal, mas ao mesmo tempo profissional. Ele está ali para se comunicar com os amigos, mas também em busca de negócios.

Cabe então ao distribuidor marcar presença nesse ambiente, utilizar as redes sociais para ter mais uma via de diálogo com o empreendedor que precisa de informações e de atenção. Com este objetivo, os distribuidores precisam passar a olhar as redes sociais e encará-las como oportunidade. As mídias sociais não são mais um luxo para qualquer empresa. Hoje é um canal para estar na frente do contato e ampliar a proximidade do cliente.

*Mariano Gordinho é Presidente da ABRADISTI – Associação Brasileira dos Distribuidores de Produtos e Serviços de TI.



O desafio da exigência de êxito

O famoso “Poema em Linha Reta” nos diz que todos os conhecidos do poeta eram verdadeiros campeões em tudo, sem derrotas ou fracassos.


Mudança nas relações humanas faz parte de realidade pós-pandemia nas empresas

“Nada é permanente, exceto a mudança”. “Só sei que nada sei”. “A única constância é a inconstância”.


Dia do Panificador, o pão e a fome

Oito de julho é o Dia do Panificador. Profissão humilde, raramente é lembrada.


O valor de uma obra

Naquela fria e sombria manhã de Inverno, do ano de 1967, estava à porta da “Livraria Silva”, na Praça de Sé, quando passa, de reluzentes divisas doiradas, o sargento Mário.


A pandemia, as perdas e o novo mundo

Apesar de, infelizmente, ter antecipado o fim da vida de 64,9 mil brasileiros e ainda estar por levar milhares de outros e prejudicar muitos na saúde ou na economia (ou em ambos), o coronavírus pode ser considerado um novo divisor de águas na sociedade.


7 dicas para se profissionalizar na comunicação virtual

De repente, veio a pandemia, a quarentena e, com elas, mudanças na rotina profissional e na forma de comunicação.


O sacrifício dos jovens

Mais de cem dias depois, a pandemia vai produzindo uma cauda longa de desarranjos que se fará sentir por muitos anos e esses efeitos vão atingir, principalmente, os mais jovens.


A “nova normalidade”

A denominada “nova normalidade” não venha nos empobrecer em humanidade.


A inevitável necessidade de prorrogação do auxílio emergencial

Recentemente, o ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou que o governo vai prorrogar por dois meses o pagamento do auxílio emergencial.


A empatia como chave para gestão de entregas e pessoas

Uma discussão que acredito ser muito pertinente em tempos de pandemia é como ficam, neste cenário quase caótico, as entregas?


Mass-Media “mascarada”

A semana passada, aventurei-me a sair, para um longo passeio, na minha cidade. Passeio a pé, porque ainda não frequentei o transporte público.


A quarentena e as artes

Schopenhauer foi um filósofo que penetrou no âmago do mundo.