Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A plenitude do amor de um pai

A plenitude do amor de um pai

12/08/2012 Erika de Souza Bueno

Nas mãos você tem a aspereza de quem já experimentou o peso de uma enxada ou de uma caneta ao ter que assinar um importante documento.

Nos braços você tem a força para dar colo e abrigo a quem hoje quer prestar esta homenagem. Nas aventuras contadas e recontadas tantas vezes está seu riso antecipado, riso de quem já conhece o final da história.

Na sua volta diária do trabalho, agradecemos a Deus por tê-lo em casa, papai, sorrindo e feliz mesmo diante do cansaço do dia. Em datas como esta, é imenso nosso empenho em querer presenteá-lo com algo muito superior a qualquer lembrancinha.


Em nossa memória ecoam suas palavras de repreensão que guiaram e guiam até hoje as nossas decisões. Nos seus olhos estão a segurança e a paz que tão de perto conhecemos e queremos que nossos filhos também reconheçam, um dia, em nós. No tom forte de sua voz está a força da atração que faz com que nossa atenção se volte mais uma vez para o senhor.
No calor do seu colo repousa o desejo de nunca mais sair desse lugar de harmonia, sossego e paz. Na sua vida assomam exemplos que devem ser seguidos por outras gerações, direcionando os passos daqueles que precisarão seguir em frente.
Já em nossas vidas estão as marcas dos ensinamentos que o senhor sempre ponderou, mostrando um caminho muito mais eficaz a ser seguido. Que sua sabedoria esteja conosco, pois, mesmo já crescidos, precisamos que ela nos advirta em tempo oportuno.
Que este dia seja de Paz para o senhor, pois é uma das formas mais eficazes de também a alcançarmos.
Feliz Dia dos Pais a você que, somente com um olhar, soube passar para nós o maior bem que alguém pode ter: a plenitude do seu amor.
* Erika de Souza Bueno é Editora do Portal Planeta Educação e Coordenadora Pedagógica da Planeta Educação. Fonte: Assessoria de imprensa da Planeta Educação e Ex-Libris Comunicação Integrada



Há tempos são os jovens que adoecem

Há alguns anos o Netflix lançou uma série chamada “Thirteen Reasons Why”, ou, em tradução livre, “As Treze Razões”.


Administração estratégica: desafios para o sucesso em seu escritório jurídico

Nos últimos 20 anos o mercado jurídico mudou significativamente.


Qual o melhor negócio: investir em ações ou abrir a própria empresa?

Ser um empresário ou empresária de sucesso é o sonho de muitas pessoas.


Intercooperação: qual sua importância no pós- pandemia?

Nos últimos dois anos, o mundo enfrentou a maior crise sanitária dos últimos 100 anos.


STF e a Espada de Dâmocles

O Poder Judiciário, o Ministério Público e a Polícia Investigativa são responsáveis pela persecução penal.


Lista tríplice, risco ao pacto federativo

Desde o tempo de Brasil-Colônia, a lista tríplice tem sido o instrumento para a nomeação de promotores e procuradores do Ministério Público.


ESG: prioridade da indústria e um mar de oportunidades

Uma pesquisa divulgada recentemente pelo IBM Institute for Business Value mostra que a sustentabilidade tem ocupado um lugar diferenciado no ranking de prioridades de CEOs pelo mundo se comparado a levantamentos anteriores.


Como conciliar negócios e família?

“O segredo para vencer todas as metas e propostas é colocar a família em primeiro lugar.”, diz a co-fundadora da Minucci RP, Vivienne Ikeda.


O limite do assédio moral e suas consequências

De maneira geral, relacionamento interpessoal sempre foi um grande desafio para o mundo corporativo, sobretudo no que tange aos valores éticos e morais, uma vez que cada indivíduo traz consigo bagagens baseadas nas próprias experiências, emoções e no repertório cultural particular.


TSE, STF e a censura prévia

Sabe-se que a liberdade de expressão é um dos mais fortes pilares da democracia.


Sociedade civil e a defesa da democracia

As últimas aparições e discursos do presidente da República vêm provocando uma nova onda de empresários, instituições e figuras públicas em defesa da democracia e do sistema eleitoral no Brasil.


Para além do juramento de Hipócrates: a ética na prática médica

“Passarei a minha vida e praticarei a minha arte pura e santamente. Em quantas casas entrar, fá-lo-ei só para a utilidade dos doentes, abstendo-me de todo o mal voluntário e de toda voluntária maleficência e de qualquer outra ação corruptora, tanto em relação a mulheres quanto a jovens.” (Juramento de Hipócrates).