Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A polêmica da escola cívico-militar

A polêmica da escola cívico-militar

20/05/2021 Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves

A criação da primeira escola cívico-militar no Estado de São Paulo está causando tensão em Sorocaba.

O conselho escolar e o Ministério Público rejeitam a adoção do novo regime na Escola Municipal Matheus Maylasky que, mesmo assim, recebeu, na última segunda-feira (17), a equipe de 13 militares para sua gestão.

Desde o ano passado, a transformação vem causando controvérsias. Uma liminar emitida pela Vara da Infância e da Juventude, em ação proposta pela promotora Cristina Palma, suspendeu o processo de instalação militar, sob o argumento de que a pesquisa sobre a mudança de regime abrangeu apenas 30% da comunidade escolar e o conselho da escola a rejeitou por 11 votos a 4.

Também argumentou a representante do MP que, localizada no centro da cidade, a escola aprova 99% do seu alunado, estando assim fora do objetivo do Programa Nacional de Escolas Cívico-Militares (Pecim), de contribuir para melhorar o ensino, além de reduzir os índices de violência, repetência e abandono escolar. A tese é que o programa deve se implantar em escolas vulneráveis.

Durante a apresentação dos militares, pais de alunos protestaram contra a mudança e, no dia seguinte, a juíza Erna Thecla Maria Hakvood determinou a suspensão da militarização, apontando que a prefeitura não esperou a conclusão das análises pedidas pelo Conselho Municipal de Educação sobre o cumprimento das normas do Pecim. Também fixou multa diária de R$ 5 mil em caso de descumprimento da ordem judicial.

A polêmica, salvo melhor juízo, é desnecessária e agora vai exigir equilíbrio e modulação diante das barreiras estabelecidas. Parece ser mais um caso de inadequação da mudança para a escola escolhida do que rejeição ao sistema de aprendizado cívico-militar.

Espera-se que o prefeito sorocabano e sua equipe consigam achar o ponto de equilíbrio com a comunidade escolar e a contenda se resolva satisfatoriamente.

Mas toda discussão deixa subsídios. Desta restará a lição de que a mudança de regime escolar-disciplinar não deve ser aplicada a escolas com boa avaliação e produtividade, como se  informa ser o caso da Matheus Maylasky.

O ensino cívico-militar, que tem o apoio pessoal do presidente Jair Bolsonaro, apresenta bons resultados em diferentes pontos do país e poderá ser a solução em pontos problemáticos da rede escolar. É preciso, no entanto, ter sólidas justificativas para ser adotado.

É importante declarar que esse sistema não pode ser o simples contraponto à nefasta ideologização ocorrida no magistério e no meio escolar durante as ultimas décadas. Sua aplicação tem de ser voltada para critérios cívicos e sociais, sem a aplicação de viés político-ideológico.

Trocar a esquerda pela direita seria a manutenção do indevido, visto que o aluno deve ser levado a conhecer, raciocinar e, ele próprio, com o resultado do aprendizado, fazer a sua opção ou, se assim o pretender, manter-se em neutralidade.

A escola não pode ser meio difusor de doutrinas políticas e ideologias, mas de formatos e meios para que cada um encontre o caminho que lhe seja mais adequado.

Quanto à escola cívico-militar, espera-se que sejam disseminadas e bem recebidas pelas comunidades como mais um serviço à disposição da população e jamais possam ser usadas como meio de ativismo político-ideológico.

A cultura militar, apesar de todo o proselitismo que as correntes políticas criaram em nosso país, é apolítica e voltada para as boas práticas. Se aplicada de outra forma, não atende às necessidades do povo.

Que se mantenham e ampliem as escolas e todas elas sejam centros apolíticos de aprendizado e qualificação de nossos jovens. Capazes de ensinar o aluno a conhecer, refletir e tomar a melhor decisão para a sua vida e a comunidade.

Sem qualquer conotação ao movimento que ganha corpo no país, precisamos das escolas sem partido. Que os partidos e a política – também importantes para o país – fiquem em seus devidos lugares, mas nunca dentro da sala de aula…

* Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves é dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo).

Para mais informações sobre escola cívico-militar clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!



Setembro Amarelo: a diferença entre ouvir e escutar

Acender um alerta na sociedade para salvar vidas quando se fala em prevenção ao suicídio é tão complexo quanto o comportamento de uma pessoa com a intenção de tirar a própria vida.


Desafios para a Retomada Econômica

A divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre mostrou uma leve retração da atividade produtiva de 0,1% em relação ao trimestre imediatamente anterior.


Setembro Amarelo: é preciso praticar o amor ao próximo

Um domingo ensolarado é um dia perfeito para exercitar a felicidade, passear no parque, levar as crianças na piscina ou encontrar os amigos com seus sorrisos largos e escancarados.


Setembro Amarelo: é preciso ter ferramentas para lidar com o mundo

No semáforo, a cor amarela é frequentemente associada com desaceleração. O motorista precisa reduzir a velocidade ou até mesmo parar.


Da apropriação ilícita dos símbolos da Nação

Uma nova prática vem sendo efetivada por políticos e partidos radicais em âmbito mundial, a apropriação dos símbolos da nação como se fossem bandeiras de suas filosofias.


Tecnologia é fundamental para facilitar o processo de legalização de novos negócios no Brasil

Imagine se todo o recurso humano e dinheiro envolvidos no processo de abertura e legalização de uma empresa no Brasil fossem utilizados para promover mais eficiência e valor agregado para a sociedade?


Como a tecnologia pode criar uma cultura de reciclagem

Diante das diversas transformações no mundo dos negócios e no modelo de atendimento aos consumidores, empresas de todos os segmentos estão sendo obrigadas a buscarem soluções que permitam acelerar a inovação e a eficiência de seus negócios.


As regras essenciais para o uso de vagas de garagem em condomínios

A garagem traz para o condômino segurança e comodidade para os moradores.


Como usar a sua voz para compartilhar as suas ideias?

Você já se perguntou quantas palavras fala diariamente?


A jornada de inovação dos caixas eletrônicos

Quando os primeiros caixas eletrônicos chegaram ao Brasil, no início dos anos 1980, a grande novidade era a possibilidade de retirar dinheiro ou emitir um extrato de forma automatizada.


A nota oficial do Presidente da República

Após o excesso de retórica do mandatário maior da nação ocorrida no dia de uma das maiores manifestações já realizadas e vistas pelo povo brasileiro, o Presidente da República, veio a público, através de nota oficial, prestar a seguinte declaração, da qual destaca-se os seguintes parágrafos:


Combate ao terrorismo após 11 de setembro: incertezas e desafios

Faz 20 anos que acompanhamos, principalmente pela televisão, o maior ataque terrorista da história contemporânea.