Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A procura por profissionais com maior qualificação

A procura por profissionais com maior qualificação

14/05/2018 Astrid Vieira

O desemprego continua a crescer e hoje atinge cerca de 13,7 milhões de trabalhadores no país.

A recuperação da economia brasileira está acontecendo de maneira mais morosa do que o esperado e com isso o desemprego continua a crescer e hoje atinge cerca de 13,7 milhões de trabalhadores no país.

Dados recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), destacam que, nos três primeiros meses de 2018, o total de pessoas empregadas no setor privado com carteira de trabalho assinada, foi de 2,9 milhões, o que representa um declínio de 1,2% em relação ao trimestre antecessor.

No mercado informal, o desemprego também aumentou. Entre os meses de janeiro e março deste ano, a quantidade de empregados no setor privado sem carteira de trabalho assinada (10,7 milhões de pessoas) recuou em 402 mil pessoas.

Com este panorama que ainda reflete as consequências da crise, o trabalhador atual precisa saber lidar com o desemprego e descobrir novas formas de conquistar um novo emprego.

Em consequência do desemprego e da instabilidade econômica, muitas pessoas vêm desenvolvendo distúrbios emocionais e físicos que atrapalham significativamente a sua recolocação no mercado.

Para essas pessoas, é importante que procurem pela ajuda profissional de um coach ou um psicólogo para que sejam desenvolvidas defesas e resistência contra doenças como a síndrome do pânico, depressão, ansiedade, gastrite nervosa, dentre outras.

Sugiro que o desempregado se mantenha ocupado durante o período que estiver ocioso. No tempo em que se encontra sem emprego, ele precisa permanecer ativo. Seja na procura por vagas de serviço, contatos com headhunters, recrutadores e consultores de recursos humanos, ou mesmo, participando de cursos intensivos, congressos, conferências e palestras.

É imprescindível que as pessoas que estão à procura de trabalho sejam flexíveis e aptas a lidar em áreas que não contemplem exatamente o campo de atuação usual ou ideal; saibam organizar o próprio tempo; aprendam a equilibrar os gastos; aprimorem sua capacitação e realizem algum trabalho voluntário.

Grande parte dos profissionais que se encontram desempregados, vem procurando pela ajuda de empresas de recolocação profissional, onde recebem apoio e acompanhamento de carreira.

Atualmente, realizo treinamentos com profissionais de diversos segmentos, dentre eles, consigo observar maior chance de recolocação nas áreas de comércio, compras, finanças, segurança do trabalho; e nos segmentos, de serviços, varejo, mineração, construção civil, instituição financeira e entidades de classe.

Para as pessoas que procuram abrir um negócio próprio, proponho investir em cursos de gestão e empreendedorismo, pois todos os problemas e benefícios desse novo investimento devem ser bem conhecidos.

Já para quem não tem a pretensão de ser empresário, mas quer atuar como colaborador para outras empresas, é necessário que desenvolvam uma rede profissional de relacionamentos que seja eficiente, sólida e equilibrada.

* Astrid Vieira é diretora e consultora da empresa Leaders HR Consultants.

Fonte: Naves Coelho Assessoria e Marketing



Liderança desengajada é obstáculo para uma gestão de mudanças eficaz

O mundo tem experimentado transformações como nunca antes, impulsionadas por inovações tecnológicas, crises econômicas e transições geracionais, dentre outros acontecimentos.

Autor: Francisco Loureiro


Neoindustrialização e a nova política industrial

Com uma indústria mais produtiva e competitiva, com equilíbrio fiscal, ganha o Brasil e a sociedade.

Autor: Gino Paulucci Jr.


O fim da ‘saidinha’, um avanço

O Senado Federal, finalmente, aprovou o projeto que acaba com a ‘saidinha’ (ou ‘saidão’) que vem colocando nas ruas milhares de detentos, em todo o país, durante os cinco principais feriados do ano.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Brasil e a quarta chance de deixar a população mais rica

O Brasil é perseguido por uma sina de jogar fora as oportunidades. Sempre ouvimos falar que o Brasil é o país do futuro. Um futuro que nunca alcançamos. Vamos relembrar as chances perdidas.

Autor: J.A. Puppio


Dia Bissexto

A cada quatro anos, a humanidade recebe um presente – um presente especial que não pode ser forjado, comprado, fabricado ou devolvido – o presente do tempo.

Autor: Júlia Roscoe


O casamento e a política relacional

Uma amiga querida vem relatando nas mesas de boteco a saga de seu filho, que vem tendo anos de relação estável com uma moça, um pouco mais velha, que tem uma espécie de agenda relacional bastante diferente do rapaz.

Autor: Marco Antonio Spinelli


O que esperar do mercado imobiliálio em 2024

Após uma forte queda em 2022, o mercado imobiliário brasileiro vem se recuperando e o ano de 2023 mostrou este avanço de forma consistente.

Autor: Claudia Frazão


Brasileiros unidos por um sentimento: a descrença nacional

Um sentimento – que já perdura algum tempo, a propósito - toma conta de muitos brasileiros: a descrença com o seu próprio país.

Autor: Samuel Hanan


Procurando o infinito

Vocês conhecem a história do dragãozinho que procurava sem parar o infinito? Não? Então vou te contar. Era uma vez….

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


A reforma tributária é mesmo Robin Hood?

O texto da reforma tributária aprovado no Congresso Nacional no fim de dezembro encerrou uma novela iniciada há mais de 40 anos.

Autor: Igor Montalvão


Administrar as cheias, obrigação de Governo

A revolução climática que vemos enfrentando é assustadora e mundial. Incêndios de grandes proporções, secas devastadoras, tempestades não vistas durante décadas e uma série de desarranjos que fazem a população sofrer.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Escravidão Voluntária

Nossa única revolução possível é a da Consciência. Comer com consciência. Respirar com consciência. Consumir com consciência.

Autor: Marco Antonio Spinelli