Portal O Debate
Grupo WhatsApp


A procura por profissionais com maior qualificação

A procura por profissionais com maior qualificação

14/05/2018 Astrid Vieira

O desemprego continua a crescer e hoje atinge cerca de 13,7 milhões de trabalhadores no país.

A recuperação da economia brasileira está acontecendo de maneira mais morosa do que o esperado e com isso o desemprego continua a crescer e hoje atinge cerca de 13,7 milhões de trabalhadores no país.

Dados recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), destacam que, nos três primeiros meses de 2018, o total de pessoas empregadas no setor privado com carteira de trabalho assinada, foi de 2,9 milhões, o que representa um declínio de 1,2% em relação ao trimestre antecessor.

No mercado informal, o desemprego também aumentou. Entre os meses de janeiro e março deste ano, a quantidade de empregados no setor privado sem carteira de trabalho assinada (10,7 milhões de pessoas) recuou em 402 mil pessoas.

Com este panorama que ainda reflete as consequências da crise, o trabalhador atual precisa saber lidar com o desemprego e descobrir novas formas de conquistar um novo emprego.

Em consequência do desemprego e da instabilidade econômica, muitas pessoas vêm desenvolvendo distúrbios emocionais e físicos que atrapalham significativamente a sua recolocação no mercado.

Para essas pessoas, é importante que procurem pela ajuda profissional de um coach ou um psicólogo para que sejam desenvolvidas defesas e resistência contra doenças como a síndrome do pânico, depressão, ansiedade, gastrite nervosa, dentre outras.

Sugiro que o desempregado se mantenha ocupado durante o período que estiver ocioso. No tempo em que se encontra sem emprego, ele precisa permanecer ativo. Seja na procura por vagas de serviço, contatos com headhunters, recrutadores e consultores de recursos humanos, ou mesmo, participando de cursos intensivos, congressos, conferências e palestras.

É imprescindível que as pessoas que estão à procura de trabalho sejam flexíveis e aptas a lidar em áreas que não contemplem exatamente o campo de atuação usual ou ideal; saibam organizar o próprio tempo; aprendam a equilibrar os gastos; aprimorem sua capacitação e realizem algum trabalho voluntário.

Grande parte dos profissionais que se encontram desempregados, vem procurando pela ajuda de empresas de recolocação profissional, onde recebem apoio e acompanhamento de carreira.

Atualmente, realizo treinamentos com profissionais de diversos segmentos, dentre eles, consigo observar maior chance de recolocação nas áreas de comércio, compras, finanças, segurança do trabalho; e nos segmentos, de serviços, varejo, mineração, construção civil, instituição financeira e entidades de classe.

Para as pessoas que procuram abrir um negócio próprio, proponho investir em cursos de gestão e empreendedorismo, pois todos os problemas e benefícios desse novo investimento devem ser bem conhecidos.

Já para quem não tem a pretensão de ser empresário, mas quer atuar como colaborador para outras empresas, é necessário que desenvolvam uma rede profissional de relacionamentos que seja eficiente, sólida e equilibrada.

* Astrid Vieira é diretora e consultora da empresa Leaders HR Consultants.

Fonte: Naves Coelho Assessoria e Marketing



O desafio da exigência de êxito

O famoso “Poema em Linha Reta” nos diz que todos os conhecidos do poeta eram verdadeiros campeões em tudo, sem derrotas ou fracassos.


Mudança nas relações humanas faz parte de realidade pós-pandemia nas empresas

“Nada é permanente, exceto a mudança”. “Só sei que nada sei”. “A única constância é a inconstância”.


Dia do Panificador, o pão e a fome

Oito de julho é o Dia do Panificador. Profissão humilde, raramente é lembrada.


O valor de uma obra

Naquela fria e sombria manhã de Inverno, do ano de 1967, estava à porta da “Livraria Silva”, na Praça de Sé, quando passa, de reluzentes divisas doiradas, o sargento Mário.


A pandemia, as perdas e o novo mundo

Apesar de, infelizmente, ter antecipado o fim da vida de 64,9 mil brasileiros e ainda estar por levar milhares de outros e prejudicar muitos na saúde ou na economia (ou em ambos), o coronavírus pode ser considerado um novo divisor de águas na sociedade.


7 dicas para se profissionalizar na comunicação virtual

De repente, veio a pandemia, a quarentena e, com elas, mudanças na rotina profissional e na forma de comunicação.


O sacrifício dos jovens

Mais de cem dias depois, a pandemia vai produzindo uma cauda longa de desarranjos que se fará sentir por muitos anos e esses efeitos vão atingir, principalmente, os mais jovens.


A “nova normalidade”

A denominada “nova normalidade” não venha nos empobrecer em humanidade.


A inevitável necessidade de prorrogação do auxílio emergencial

Recentemente, o ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou que o governo vai prorrogar por dois meses o pagamento do auxílio emergencial.


A empatia como chave para gestão de entregas e pessoas

Uma discussão que acredito ser muito pertinente em tempos de pandemia é como ficam, neste cenário quase caótico, as entregas?


Mass-Media “mascarada”

A semana passada, aventurei-me a sair, para um longo passeio, na minha cidade. Passeio a pé, porque ainda não frequentei o transporte público.


A quarentena e as artes

Schopenhauer foi um filósofo que penetrou no âmago do mundo.