Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A publicidade no Instagram

A publicidade no Instagram

27/11/2013 Fátima Bana

E enfim, começou. No mês passado começamos a ser impactados por mídia dentro do Instagram, que já se consolidou como favorita entre os usuários das redes sociais, e comprova os dados de diversos estudos que dizem que a nossa atenção na internet móvel é de no máximo 7 segundos.

Claro que a propaganda patrocinada (como o instagram gosta de chamar essa mídia) ainda está em fase de “maturação” e os executivos da empresa não disponibilizaram ainda dados mais efetivos da campanha inicial nos EUA, como o ROI ou o número de usuários da rede que gostaram ou rejeitaram a nova ação.

O que sabemos é que muitos internautas não aceitaram este tipo de atividade dentro dos seus perfis no Instagram, denunciando a publicação. Entretanto, quando a publicidade patrocinada também foi adotada pelo Facebook houve a mesma insatisfação, porém a poeira baixou e a propaganda continua lá, sendo que cada vez mais e mais empresas percebem a importância em investir em publicidade nas mídias sociais, ou seja, o mesmo tende a acontecer com a queridinha da Internet móvel.

O que os executivos do Instagram nos dizem é que os anúncios poderão aparecer em fotos ou vídeos no feed dos usuários, claro que a ideia é ganhar dinheiro com essa rede gratuita que há pouco foi comprada pelo Facebook, e consequentemente, maximizar os lucros. Acredito no potencial do mercado e me arrisco a dizer que o retorno sobre esse investimento deve ultrapassar o ROI do Facebook com facilidade.

O que sabemos (via Business Insider) é que dentro das primeiras 18 horas da primeira postagem o anúncio da Michael Kors (marca de luxo e queridíssima no Instagram) gerou 218 mil likes (370% a mais que um post comum); 4,4 milhões de impressões e 33 mil novos seguidores para a marca. Se formos levar em consideração os comentários, 20 % foram negativos e 1% refletiu em interesse de compra do produto. Acredito que os números referentes ao interesse de compra devem crescer à medida que os usuários passem a seguir a marca e assim que os comentários os levem para as lojas dos produtos, ou seja, é um investimento em médio prazo.

Claro que há muito ainda para ver nesta nova modalidade de mídia patrocinada. Até porque é preciso identificar padrões, desenvolver campanhas criativas e que atinjam o público-alvo, avaliar resultados e muitos outros pontos a ser considerado na hora de investir em publicidade nas redes sociais, mas confesso, as expectativas são ótimas e estou muito ansiosa para saber até aonde as nossas redes sociais podem levar a nossa publicidade digital. Vamos aproveitar!

*Fátima Bana é mestre em comportamento digital do consumidor pela UCLA/USA. Certificada EFMD (European Foundation for Management Development) com o selo CEL.



Entre o barril de petróleo e o de pólvora

O mundo começou a semana preocupado com o Oriente Médio.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Nome comum pode ser bom, mas às vezes complica!

O nosso nome, primeira terceirização que fazemos na vida, é uma escolha que pode trazer as consequências mais diversas.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


A Cilada do Narcisista

Nelson Rodrigues descrevia em suas crônicas as pessoas enamoradas de si mesmas com o termo: “Ele está em furioso enamoramento de si mesmo”.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Brasil, amado pelo povo e dividido pelos governantes

As autoridades vivem bem protegidas, enquanto o restante da população sofre os efeitos da insegurança urbana.

Autor: Samuel Hanan


Custos da saúde aumentam e não existe uma perspectiva que possa diminuir

Recente levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indica que os brasileiros estão gastando menos com serviços de saúde privada, como consultas e planos de saúde, mas desembolsando mais com medicamentos.

Autor: Mara Machado


O Renascimento

Hoje completa 2 anos que venci uma cirurgia complexa e perigosa que me devolveu a vida quase plena. Este depoimento são lembranças que gostaria que ficasse registrado em agradecimento a Deus, a minha família e a vários amigos que ficaram ao meu lado.

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


Argentina e Venezuela são alertas para países que ainda são ricos hoje

No meu novo livro How Nations Escape Poverty, mostro como as nações escapam da pobreza, mas também tenho alguns comentários sobre como países que antes eram muito ricos se tornaram pobres.

Autor: Rainer Zitelmann


Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


De quem é a América?

Meu filho tinha oito anos de idade quando veio me perguntar: “papai, por que os americanos dizem que só eles vivem na América?”.

Autor: Leonardo de Moraes


Como lidar com a dura realidade

Se olharmos para os acontecimentos apresentados nos telejornais veremos imagens de ações terríveis praticadas por pessoas que jamais se poderia imaginar que fossem capazes de decair tanto.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


O aumento da corrupção no país: Brasil, que país é este?

Recentemente, a revista The Economist, talvez a mais importante publicação sobre a economia do mundo, mostrou, um retrato vergonhoso para o Brasil no que diz respeito ao aumento da corrupção no país, avaliação feita pela Transparência Internacional, que mede a corrupção em todos os países do mundo.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins