Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A tecnologia com os pés bem firmes no chão

A tecnologia com os pés bem firmes no chão

13/02/2013 Antônio Sérgio Martins de Castro

Em um contexto de transformações tão intensas, ficam no ar algumas grandes tendências que permeiam a educação neste ano.

O que irá acontecer? Quais são os temas que mobilizarão a atenção dos educadores? Com uma enorme margem de incertezas, podemos tentar traçar alguns caminhos, que funcionam como sinalizadores do que vem ocorrendo. Certamente a tecnologia será um deles. Alguém pode dizer: “Que novidade!”, mas, em certo sentido, realmente há algo de novo.

Depois de muito tempo de um evidente descompasso entre tecnologias que avançam desconectadas das necessidades reais dos professores e de escolas que resistem cegamente a mudanças, há um movimento concreto de aproximação. A tecnologia coloca os pés no chão, com respostas mais diretas aos problemas reais da educação. Ao mesmo tempo, a difusão de tablets e smartphones acaba por impor às escolas uma nova adaptação aos recursos existentes.

Vivemos essa realidade no nosso sistema de ensino, que criou plataformas de educação digital, as quais são agora avidamente procuradas e usadas por nossos parceiros. Sim, há novidades, e precisamos estar de olhos e ouvidos bem abertos. No entanto, a tecnologia não muda nada sozinha.

A educação, como um todo, movimenta-se dentro do turbilhão da contemporaneidade. Nós, gestores, coordenadores e professores, estamos sentindo isso na pele. A escola não pode mais ser como sempre foi. A intenção de formar cidadãos plenos permanece, mas é preciso caminhar na direção de um ensino mais significativo, contextualizado e inovador, ligado aos problemas que vivemos no dia a dia.

A utilização do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem, como forma de acesso à universidade, é uma realidade para quem gosta e para quem não gosta da avaliação e terá um papel indutor cada vez mais claro para as práticas pedagógicas do ensino médio. Há outra questão que se mostra cada vez mais urgente: a atenção que nós, educadores, damos à qualidade do convívio.

Alguns preferem focar no bullying, que, realmente, é um tema em evidência. Mas os episódios de violência, sofrimento e humilhação na escola que caracterizam o bullying são sintoma, não o mal em si. A doença é o resultado da pouca eficácia com que os colégios vêm enfrentando as questões ligadas à convivência. Esse é um trabalho que precisa sair rapidamente do campo da retórica e entrar na veia da educação.

Formar cidadãos pode ser bonito de se falar ou escrever no papel, mas exige novas posturas dos gestores e dos professores. A educação para a convivência é, sim, uma prioridade que deve ser levada em conta, pois tem a ver - direta ou indiretamente - com os dois pontos já aventados anteriormente: escolas atentas ao interesse e à nova cultura dos jovens, que estimulam a participação, a colaboração e o diálogo, criam vacinas naturais contra o que se chama indistintamente de “indisciplina”.

Esses três pontos destacados são recorrentes quando se fala em educação. E um dos pontos comuns entre eles é o investimento na formação dos professores, que deve ser cada vez maior, com propostas realistas, aplicadas e contemporâneas. Essa é a chave para 2013. É tempo de “sacudir a poeira” e olhar para o futuro, que já se encontra no presente de todos nós.

* Antônio Sérgio Martins de Castro é Gerente de Mídias Digitais do Ético Sistema de Ensino, da Editora Saraiva.



Argentina e Venezuela são alertas para países que ainda são ricos hoje

No meu novo livro How Nations Escape Poverty, mostro como as nações escapam da pobreza, mas também tenho alguns comentários sobre como países que antes eram muito ricos se tornaram pobres.

Autor: Rainer Zitelmann


Como a integração entre indústria e universidade pode trazer benefícios

A parceria entre instituições de ensino e a indústria na área de pesquisa científica é uma prática consolidada no mercado que já rendeu diversas inovações em áreas como TI e farmacêutica.

Autor: Thiago Turcato


Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


De quem é a América?

Meu filho tinha oito anos de idade quando veio me perguntar: “papai, por que os americanos dizem que só eles vivem na América?”.

Autor: Leonardo de Moraes


Como lidar com a dura realidade

Se olharmos para os acontecimentos apresentados nos telejornais veremos imagens de ações terríveis praticadas por pessoas que jamais se poderia imaginar que fossem capazes de decair tanto.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


O aumento da corrupção no país: Brasil, que país é este?

Recentemente, a revista The Economist, talvez a mais importante publicação sobre a economia do mundo, mostrou, um retrato vergonhoso para o Brasil no que diz respeito ao aumento da corrupção no país, avaliação feita pela Transparência Internacional, que mede a corrupção em todos os países do mundo.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins


O voto jovem nas eleições de 2024

O voto para menores de 18 anos é opcional no Brasil e um direito de todos os adolescentes com 17 ou 16 anos completos na data da eleição.

Autor: Wilson Pedroso


Um novo e desafiador ano

Janeiro passou. Agora, conseguimos ter uma ideia melhor do que 2024 reserva para o setor de telecomunicações, um dos pilares mais dinâmicos e relevante da economia.

Autor: Rafael Siqueira


Desafios da proteção de dados e a fraude na saúde

Segundo o Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) R$ 34 bilhões dos gastos das operadoras médico-hospitalares com contas e exames, em 2022, foram consumidos indevidamente por fraudes, como, por exemplo, reembolso sem desembolso, além de desperdícios com procedimentos desnecessários no país.

Autor: Claudia Machado


Os avanços tecnológicos e as perspectivas para profissionais da área tributária

Não é de hoje que a transformação digital vem impactando diversas profissões.

Autor: Fernando Silvestre


Inteligência Artificial Generativa e o investimento em pesquisa no Brasil

Nos últimos meses, temos testemunhado avanços significativos na área da inteligência artificial (IA), especialmente com o surgimento da inteligência artificial generativa.

Autor: Celso Hartmann