Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Achegas para obter uma biblioteca

Achegas para obter uma biblioteca

04/02/2020 Humberto Pinho da Silva

Conta-se, que certa manhã, Camilo, estando na Praça Nova, no Porto, encontrou negociante seu conhecido, sobraçando grande quantidade de livros.

Ao Vê-lo, Camilo, disse-lhe a sorrir:

- “Tantos livros leva! …”

Respondeu-lhe o homem, com a boca cheia de risos:

- “São para meus filhos…São quatro quilos de conhecimento! …”

- “Quatro quilos de sabedoria!? …” - Repetiu o romancista. – “Veja lá se o roubaram no peso…”

Possuir muitos volumes, nas estantes do escritório, para deslumbrar amigos e conhecidos, é coisa, em regra, de novo-rico.

Livros alinhados, perfilhados, encadernados a pele, com lombadas a oiro, não representam, nem cultura, nem sabedoria.

Há quem compre colecções inteiras, convencido que ao adquirir livros a metro, se torna culto…apenas decoram estantes…

Não é fácil ter uma boa biblioteca; depende do gosto literário, da profissão, e da capacidade de cada um.

O advogado, o economista, o engenheiro, e o médico, por exemplo, necessitam, além das obras basilares, que todos devem conhecer, livros técnicos, que lhes forneçam informações úteis para a profissão.

Cada qual deve escolher, na imensidade das obras, que, quase diariamente, se edita, os livros que lhe agrada e que lhe possa ser útil.

Um pouco de tudo – a meu ver, – será o ideal, tendo em conta a idade.

Além dos autores basilares, na língua portuguesa (Camilo*, Eça, Machado de Assis, Garrett, Alexandre Herculano, etc. …etc. …) que convêm conhecer, pelo menos as obras mais conhecidas, há vantagem de possuir punhado de clássicos, principalmente os acessíveis à maioria dos leitores, como: Frei Heitor Pinto, Manuel Bernardes, Francisco Manuel de Melo, António Vieira, Frei Luís de Sousa, Francisco Rodrigues Lobo, por exemplo. (S. Tomás, aconselha: não ir directamente ao mar; mas pelos pequenos ribeiros. Tudo depende da capacidade e da preparação.)

Dos estrangeiros poderei, entre outros, citar: André Mairois, Ortega y Gasset, Pascal, Teilhard de Chardin, Bacon, Marco Aurélio, Platão, La Bruyère, Erasmo, Descartes, Montaigne, Balzac, Azorín, Shakespeare, Kant, Proust, Tolstoi, Claudel, Stendhal, e muitos outros, que por ser lista extensa, não devo mencioná-los em artigo de jornal.

Há, todavia, autores, para quem desejar informações úteis e proveitosos conselhos, (livros de cabeceira,) que são: - em minha opinião, – imprescindíveis: Carrel, Sertillanges, Jean Guiton, Mário Gonçalves Viana, Marden, Billy Graham, Fulton Sheen, Montapart e a Bíblia (pelo menos o Novo-Testamento).

Além dos mencionados, que considero basilares, há outros de igual quilate, mas seria impossível mencioná-los, aqui.

Termino, com palavras de André Mairois:

“Ter cultura, não é saber de tudo um pouco; também não é saber muito dum só assunto. É conhecer a fundo alguns grandes espíritos, alimentar-se deles, assimilá-los.”

Deve-se ler, reler, tresler, e meditar no que se leu.

Padre Manuel Bernardes aconselha, até, que é: “Mais frutuoso, e menos cara a lição moderada dos mesmos livros, do que a demasiada de vários.”

(*) “El Amor de Perdição”, de Camilo, es uno de los libros fundamentales de la literatura ibérica (castellana, portuguesa y catalana) – Unamuno- “Por tierras de Portugal y España”.

* Humberto Pinho da Silva

Fonte: Humberto Pinho da Silva



Cotas na residência médica: igualdade x equidade

Um grande amigo médico, respeitado, professor, preceptor de Residentes Médicos (com letras maiúsculas), indignado com uma reportagem publicada, em periódico do jornal Estado de São Paulo, no dia 05 do corrente mês, enviou-me uma cópia, requestando que, após a leitura, tecesse os comentários opinativos.

Autor: Bady Curi Neto


O impacto das enchentes no RS para a balança comercial brasileira

Nas últimas semanas, o Brasil tem acompanhado com apreensão os estragos causados pelas enchentes no Rio Grande do Sul.

Autor: André Barros


A força do voluntariado nas eleições

As eleições de 2022 contaram com mais de 1,8 milhão de mesários e mesárias, que trabalharam nos municípios de todo o país. Desse total, 893 mil foram voluntários.

Autor: Wilson Pedroso


A força da colaboração municipal

Quando voltamos nossos olhares para os municípios brasileiros espalhados pelo país, notamos que as paisagens e as culturas são diversas, assim como as capacidades e a forma de funcionamento das redes de ensino, especialmente aquelas de pequeno e médio porte.

Autor: Maíra Weber


As transformações universais que afetam a paz

Recentemente a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP) aprovou projeto proposto pelo governo estadual paulista para a criação de escola cívico-militar.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Por um governo a favor do Brasil

A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos estados, dos municípios e do Distrito Federal, constitui-se em estado democrático de direito e tem como fundamentos a soberania, a cidadania, a dignidade da pessoa humana, os valores sociais do trabalho, da livre iniciativa e do pluralismo político.

Autor: Samuel Hanan


Coração de Stalker

Stalking vem do Inglês e significa Perseguição. Uma perseguição obsessiva, implacável, com envolvimento amoroso e uma tentativa perversa de controle.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Na crise, informação

“Na gestão da crise, é muito importante a informação.” Com esta sentença afirmativa, o governador do Rio Grande do Sul abriu sua participação no Roda Viva, da TV Cultura.

Autor: Glenda Cury


Hiperconectividade: desafio ou poder da geração Alpha?

Qual adulto diante de um enigma tecnológico não recorreu ao jovem mais próximo? Afinal, “eles já nasceram com o celular!”.

Autor: Jacqueline Vargas


Governar não é negar direitos para distribuir favores

Ao se referir a governos, o economista e escritor norte-americano Harry Browne (1917/1986) disse que o governo é bom em uma coisa.

Autor: Samuel Hanan


Roubos de credenciais desviam 15 milhões da União

Nos últimos dias, a imprensa noticiou o desvio de valores do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi), do Ministério da Fazenda.

Autor: Diego Muniz


Escola cívico-militar, civismo e organização…

São Paulo teve o desprazer de assistir um grupo de jovens que se dizem secundaristas invadir o plenário da Assembleia Legislativa e parar a sessão com o propósito de impedir a votação do projeto, de autoria do governador, que institui a escola cívico-militar.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves