Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Ações logísticas "inteligentes"?

Ações logísticas "inteligentes"?

19/03/2018 Reinaldo A. Moura

Comparando a Logística dos primórdios até os atuais dias, algo crítico mudou - a inteligência.

Nos bancos escolares aprendemos que o sucesso do fim da 2a Guerra Mundial foi a operação conjunta dos aliados (várias tropas de diversos países) no famoso Dia D (6/6/1942) na Normandia.

Será que os inimigos sabiam antecipadamente desta data? O fato é que foi utilizada a inteligência no deslocamento das tropas, munições e mantimentos... tudo isso em segredo! Já no caso das forças armadas e militares invadindo o Estado do Rio de Janeiro numa ação conjunta de intervenção, os inimigos já sabiam de tudo, seja por vazamento de informações (via políticos), seja por entrevistas às diversas mídias por força da pressão existente.

Ou seja, faltou sigilo e tudo que veio acontecer já era do conhecimento de todos. Como pode vazar estas informações estratégicas e táticas, afugentando o inimigo, se qualquer curso de práticas anti guerrilhas da AMAN - Academia Militar de Agulhas Negras, CPOR´s etc. pede segredo das ações.

Neste caso não houve derramamento de sangue mas também não prendeu-se o inimigo e suas armas. Enquanto as forças se deslocavam para as primeiras "blitz", os inimigos já tinham passado por ali dias antes (e não horas!) até atingirem estradas vicinais. Cruzaram, com segurança, as fronteiras dos 3 estados e já estavam longe quando se iniciou a intervenção.

Isto por terra, e pelo mar? São quase 2000 km de mar recortado por inúmeras ilhas e baias na Costa Fluminense fiscalizados apenas em alguns pontos próximos aos portos. Outro item que deveria ser sigiloso, até o último minuto, são os mandados de busca e apreensão individual (já que a constituição não permite o coletivo, mesmo nestes casos de exceção), quando sabemos que a forma que foram construídos os barracos naqueles cortiços possuem uma capilaridade inatingível por sistemas de navegação.

Enfim, a Logística que se aplicou (e vem sendo aplicada) deixou muito a desejar. Cabe a pergunta: Onde estão os ex-formados da Escola Superior de Guerra? Imaginem na Logística Empresarial seu concorrente saber antecipadamente do abastecimento de um novo produto com lançamento regional numa rede de supermercados num certo dia e hora?

Como resultado, se não houver espaço nas gôndolas, numa ação surpresa, seria uma estratégia para sua empresa, mas um desastre para os concorrentes. Se uma ação sigilosa, que necessite de códigos e senhas, já é difícil entre 2 pessoas, imagine quando envolve coligadas.

Resumindo: Logística não é tudo, mas tudo depende de uma boa Logística e com inteligência agregada!

* Reinaldo A. Moura é engenheiro e mestre em Ciências e Engenharia de Produção pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo e fundador do Grupo IMAM entidade dedicada ao treinamento de curta duração. 



Proliferação de municípios, caminho tortuoso

Este é um ano de eleições municipais no Brasil. Serão eleitos 5.570 prefeitos, igual número de vice-prefeitos e milhares de vereadores.

Autor: Samuel Hanan


“Vaquinha virtual” nas eleições de 2024

A campanha para as eleições municipais de 2024 ainda não foi iniciada de fato, mas o financiamento coletivo já está autorizado.

Autor: Wilson Pedroso


Cotas na residência médica: igualdade x equidade

Um grande amigo médico, respeitado, professor, preceptor de Residentes Médicos (com letras maiúsculas), indignado com uma reportagem publicada, em periódico do jornal Estado de São Paulo, no dia 05 do corrente mês, enviou-me uma cópia, requestando que, após a leitura, tecesse os comentários opinativos.

Autor: Bady Curi Neto


O impacto das enchentes no RS para a balança comercial brasileira

Nas últimas semanas, o Brasil tem acompanhado com apreensão os estragos causados pelas enchentes no Rio Grande do Sul.

Autor: André Barros


A força do voluntariado nas eleições

As eleições de 2022 contaram com mais de 1,8 milhão de mesários e mesárias, que trabalharam nos municípios de todo o país. Desse total, 893 mil foram voluntários.

Autor: Wilson Pedroso


A força da colaboração municipal

Quando voltamos nossos olhares para os municípios brasileiros espalhados pelo país, notamos que as paisagens e as culturas são diversas, assim como as capacidades e a forma de funcionamento das redes de ensino, especialmente aquelas de pequeno e médio porte.

Autor: Maíra Weber


As transformações universais que afetam a paz

Recentemente a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP) aprovou projeto proposto pelo governo estadual paulista para a criação de escola cívico-militar.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Por um governo a favor do Brasil

A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos estados, dos municípios e do Distrito Federal, constitui-se em estado democrático de direito e tem como fundamentos a soberania, a cidadania, a dignidade da pessoa humana, os valores sociais do trabalho, da livre iniciativa e do pluralismo político.

Autor: Samuel Hanan


Coração de Stalker

Stalking vem do Inglês e significa Perseguição. Uma perseguição obsessiva, implacável, com envolvimento amoroso e uma tentativa perversa de controle.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Na crise, informação

“Na gestão da crise, é muito importante a informação.” Com esta sentença afirmativa, o governador do Rio Grande do Sul abriu sua participação no Roda Viva, da TV Cultura.

Autor: Glenda Cury


Hiperconectividade: desafio ou poder da geração Alpha?

Qual adulto diante de um enigma tecnológico não recorreu ao jovem mais próximo? Afinal, “eles já nasceram com o celular!”.

Autor: Jacqueline Vargas


Governar não é negar direitos para distribuir favores

Ao se referir a governos, o economista e escritor norte-americano Harry Browne (1917/1986) disse que o governo é bom em uma coisa.

Autor: Samuel Hanan