Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Aos amigos tudo, aos inimigos a força da lei

Aos amigos tudo, aos inimigos a força da lei

08/11/2015 Bady Curi Neto

Não se sabe ao certo a origem ou autoria do jargão popular “aos amigos tudo, aos inimigos a força da lei”.

A célebre frase parece estar imbuída na vida de alguns políticos e governantes, como se a lei pudesse ser aplicada somente para seus desafetos e nunca para os eles.

Por uma pequena digressão lembramos alguns posicionamentos de políticos que demonstram a triste realidade que coadunam com o adágio citado.

- A presidente disse em sua campanha para reeleição: "Nós podemos fazer o diabo na hora da Eleição”. Ora, o processo eleitoral é a maior manifestação popular da democracia, onde se conhece as propostas dos candidatos para que haja uma escolha consciente. O desrespeito às regras eleitorais contamina todo o processo democrático, em um verdadeiro crime lesa-pátria.

Talvez em razão de ter feito o diabo para ganhar a Eleição, o Tribunal Superior Eleitoral determinou o prosseguimento da Ação de Impugnação de Mandado Eletivo para investigar as contas de sua Campanha Eleitoral.

- O ex-presidente Lula, um dos principais articuladores do impeachment de Collor de Mello, que conclamava a presença maciça da população para as ruas, denominadas caras pintadas, agora diz que as manifestações públicas contra Dilma são elitistas e que o Impeachment é um golpe da oposição.

Não pode haver dois pesos e duas medidas, o processo do Impeachment desde que observado à legislação vigente e aos princípios de direito que norteiam a matéria é um instituto jurídico a que se sujeita qualquer governante. O discurso de que “pra eles” é para o bem do Brasil e “para nós” é golpe é uma falácia.

- O Instituto da Delação Premiada tem sido alvo de ataques de vários políticos que tem seu nome citado em alguma delação na operação lava-jato. O que chama a atenção são os argumentos utilizados para atacar o instituto como forma de desmoralizar o ordenamento jurídico. A presidente já manifestou que não respeita delator e o seu antecessor textualmente disse, em recente discurso: “O cidadão é preso e esse cidadão tem a promessa de ser solto se ele delatar alguém.

Aí, ele passa a delatar até a mãe, se for o caso, para poder sair da cadeia. O dado concreto é que nós estamos vivendo quase um estado de exceção. ” Importa esclarecer que para obter os benefícios da delação premiada, o réu ou o investigado tem que indicar outros elementos probatórios que comprovem seu depoimento. Lado outro, quando um delator cita opositores, como no caso do Eduardo Cunha, não há crítica, evidenciando a dicotomia de posicionamentos.

- Outro exemplo que se tem notícia pela imprensa é a insatisfação do ex-Presidente com o Ministro da Justiça que não tem intercedido na Polícia Federal contra as investigações de pessoas aliadas ao seu governo, culminando na busca e apreensão na empresa de seu filho, que em resposta, sem citar nomes, falou em recente entrevista: “não esperem de mim que eu diga não investiguem A, B C ou D, um Ministro da Justiça não pode conduzir investigações, seja para punir amigos ou inimigos''.

Salvador Allende, socialista, disse: “Não basta que todos sejam iguais perante a lei. É preciso que a lei seja igual perante todos”.

* Bady Curi Neto, advogado fundador do Escritório Bady Curi Advocacia Empresarial, ex-juiz do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG).



Administração estratégica: desafios para o sucesso em seu escritório jurídico

Nos últimos 20 anos o mercado jurídico mudou significativamente.


Qual o melhor negócio: investir em ações ou abrir a própria empresa?

Ser um empresário ou empresária de sucesso é o sonho de muitas pessoas.


Intercooperação: qual sua importância no pós- pandemia?

Nos últimos dois anos, o mundo enfrentou a maior crise sanitária dos últimos 100 anos.


STF e a Espada de Dâmocles

O Poder Judiciário, o Ministério Público e a Polícia Investigativa são responsáveis pela persecução penal.


Lista tríplice, risco ao pacto federativo

Desde o tempo de Brasil-Colônia, a lista tríplice tem sido o instrumento para a nomeação de promotores e procuradores do Ministério Público.


ESG: prioridade da indústria e um mar de oportunidades

Uma pesquisa divulgada recentemente pelo IBM Institute for Business Value mostra que a sustentabilidade tem ocupado um lugar diferenciado no ranking de prioridades de CEOs pelo mundo se comparado a levantamentos anteriores.


Como conciliar negócios e família?

“O segredo para vencer todas as metas e propostas é colocar a família em primeiro lugar.”, diz a co-fundadora da Minucci RP, Vivienne Ikeda.


O limite do assédio moral e suas consequências

De maneira geral, relacionamento interpessoal sempre foi um grande desafio para o mundo corporativo, sobretudo no que tange aos valores éticos e morais, uma vez que cada indivíduo traz consigo bagagens baseadas nas próprias experiências, emoções e no repertório cultural particular.


TSE, STF e a censura prévia

Sabe-se que a liberdade de expressão é um dos mais fortes pilares da democracia.


Sociedade civil e a defesa da democracia

As últimas aparições e discursos do presidente da República vêm provocando uma nova onda de empresários, instituições e figuras públicas em defesa da democracia e do sistema eleitoral no Brasil.


Para além do juramento de Hipócrates: a ética na prática médica

“Passarei a minha vida e praticarei a minha arte pura e santamente. Em quantas casas entrar, fá-lo-ei só para a utilidade dos doentes, abstendo-me de todo o mal voluntário e de toda voluntária maleficência e de qualquer outra ação corruptora, tanto em relação a mulheres quanto a jovens.” (Juramento de Hipócrates).


O sentido da educação

A educação requer uma formação pessoal, capaz de fazer cada ser humano estar aberto à vida, procurando compreender o seu significado, especialmente na relação com o próximo.