Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Apagão profissional e mão de obra assistida

Apagão profissional e mão de obra assistida

28/09/2012 Vagner Jaime Rodrigues

A carência de recursos humanos qualificados em quantidade suficiente para atender à demanda de uma economia aquecida como a brasileira nos últimos anos é um desafio para as empresas e o País.

Trata-se de uma clara evidência de que nosso sistema educacional, ainda refletindo equívocos do passado, está em descompasso com o mercado de trabalho, num Brasil que vem crescendo, dentre outros fatores, com base na inclusão socioeconômica e ascensão das classes C e D.

A conversão do ensino de excelência em provedor de capital humano de alto nível em caráter intensivo é um processo de longa maturação. Se agregássemos de imediato a devida qualidade a partir da Educação Infantil, colheríamos esse fruto somente daqui a vinte anos, quando essa nova geração estaria se formando nas universidades. Enquanto isso não ocorre, seguimos enfrentando uma situação no mínimo paradoxal, para não dizer irônica: temos uma das mais baixas taxas de desemprego de toda a nossa história, mas faltam profissionais qualificados.

Nesse contexto, uma alternativa eficaz, que apresentou ótimos resultados à época das vacas gordas na Europa e nos Estados Unidos, é a alocação de mão de obra assistida, algo novo no Brasil, um país que vai incorporando soluções indispensáveis para economias em franco desenvolvimento.

Trata-se de um modelo capaz de atender empresas que necessitam de profissionais especializados por um tempo pré-definido. A modalidade é, na maioria das vezes, demandada pelas áreas administrativas, como finanças, recursos humanos e, principalmente, tributos e contabilidade, pois nestas duas últimas surgem de modo frequente novas normas, instruções e leis, às quais as organizações precisam adaptar-se com agilidade.

Diferentemente do serviço de alocação tradicional, o profissional da mão de obra assistida passa por um treinamento antes de assumir seu posto e continua sendo treinado caso seja identificado um gap técnico durante o tempo de permanência no projeto. As empresas buscam esse tipo de serviço quando estão passando por expansão de seus negócios e reestruturações, para trabalhos extras e/ou contingenciais, como conciliações atrasadas, reconciliações, elaboração e revisão de obrigações acessórias, regularização de livros ficais e contábeis, dentre outras demandas.

Além disso, a mão de obra assistida é providencial para as firmas que têm limites de headcount  ou têm dificuldades na liberação de profissionais para férias ou dispensa médica por ocasião de gravidez e atuam em atividades nas quais se verifica maior carência de recursos humanos qualificados. No caso atual do Brasil, todas essas situações encontram-se em fase aguda, dado o aquecimento do mercado de trabalho, contraposto à grande defasagem histórica de nosso sistema educacional.

Numa nação na qual o ensino é capaz de prover em profusão capital humano de alto nível, a mão de obra assistida já faz muito sentido. Imagine aqui, onde o descaso com a escola foi uma das grandes marcas negativas de nossa história no século passado.

Vagner Jaime Rodrigues é mestre em contabilidade, sócio da Trevisan Gestão & Consultoria e professor da Trevisan Escola de Negócios. 



Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


De quem é a América?

Meu filho tinha oito anos de idade quando veio me perguntar: “papai, por que os americanos dizem que só eles vivem na América?”.

Autor: Leonardo de Moraes


Como lidar com a dura realidade

Se olharmos para os acontecimentos apresentados nos telejornais veremos imagens de ações terríveis praticadas por pessoas que jamais se poderia imaginar que fossem capazes de decair tanto.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


O aumento da corrupção no país: Brasil, que país é este?

Recentemente, a revista The Economist, talvez a mais importante publicação sobre a economia do mundo, mostrou, um retrato vergonhoso para o Brasil no que diz respeito ao aumento da corrupção no país, avaliação feita pela Transparência Internacional, que mede a corrupção em todos os países do mundo.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins


O voto jovem nas eleições de 2024

O voto para menores de 18 anos é opcional no Brasil e um direito de todos os adolescentes com 17 ou 16 anos completos na data da eleição.

Autor: Wilson Pedroso


Um novo e desafiador ano

Janeiro passou. Agora, conseguimos ter uma ideia melhor do que 2024 reserva para o setor de telecomunicações, um dos pilares mais dinâmicos e relevante da economia.

Autor: Rafael Siqueira


Desafios da proteção de dados e a fraude na saúde

Segundo o Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) R$ 34 bilhões dos gastos das operadoras médico-hospitalares com contas e exames, em 2022, foram consumidos indevidamente por fraudes, como, por exemplo, reembolso sem desembolso, além de desperdícios com procedimentos desnecessários no país.

Autor: Claudia Machado


Os avanços tecnológicos e as perspectivas para profissionais da área tributária

Não é de hoje que a transformação digital vem impactando diversas profissões.

Autor: Fernando Silvestre


Inteligência Artificial Generativa e o investimento em pesquisa no Brasil

Nos últimos meses, temos testemunhado avanços significativos na área da inteligência artificial (IA), especialmente com o surgimento da inteligência artificial generativa.

Autor: Celso Hartmann


Oppenheimer e Prometeu

Quando eu saí do cinema após ter visto “Oppenheimer” a primeira vez, falei para meu filho: “É Oscar de Melhor Filme, Melhor Ator, Melhor Ator Coadjuvante”.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Interferência política e a desvalorização da Petrobras

Recentemente, o presidente Lula chamou o mercado de voraz por causa das quedas no valor das ações da Petrobras equivalentes a aproximadamente 60 bilhões de reais.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins