Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Aprendizados durante a pandemia e a importância da inovação para o mercado

Aprendizados durante a pandemia e a importância da inovação para o mercado

03/12/2020 Thiago Ramos

O momento atual tem sido de muito aprendizado para todos.

Pessoas e empresas nunca tiveram de lidar, em passado recente, com uma crise de tamanha magnitude como a atual - causada pela pandemia do novo coronavírus.

Mas se há uma coisa que estamos aprendendo, e com a qual evoluindo a cada dia, é a forma como nos relacionamos com a tecnologia.

Presente de maneira quase integral em nossas vidas, empresas e usuários perceberam que sua adoção pode ser muito mais benéfica do que pensávamos.

Em evento virtual recente promovido pela Trend Micro, tive a honra de bater um papo com dois grandes nomes do mercado brasileiro de tecnologia e inovação: Leonardo Queiroz, vice-presidente de Crescimento da Kroton, e Gilberto Barbosa Mota, Chief Information Security Officer do Grupo SADA.

Nessa conversa abordamos diversos assuntos. Dentre eles, como a transformação digital sendo está impulsionada com força total neste ano, e como esse processo está modificando a vida das pessoas, das organizações e da sociedade de maneira mais ampla. A conversa está disponível aqui para quem quiser assistir.

Com esse forte movimento de digitalização observado, quais foram os principais aprendizados que podemos tirar deste ano, e como podemos continuar nessa trilha com vista a seguir atendendo às demandas em 2021?

Ao pensar nessas questões, tanto do ponto de vista de experiência do usuário e melhores práticas de negócios como também de oportunidades de carreira e de expansão do conhecimento, abordei esses pontos com os gestores no bate-papo. Listo aqui as principais reflexões:

Resiliência

Um dos grandes desafios do ano para todos foi encontrar a resiliência necessária para lidar com o momento. Na pandemia, todos os processos de negócios precisam funcionar com exatidão e agilidade.

Para isso, as companhias de maneira geral tiveram de fazer uma preparação de seus times, especialmente na parte de negócio, para trabalhar de forma remota.

Além disso, foi preciso estruturar um processo de monitoramento das atividades de forma mais constante, sempre buscando ajustar caminhos. E isso com muita velocidade. Mas sempre com a prioridade de preservar a vida das pessoas.

Modificar a operação das empresas do presencial para o digital em um prazo curtíssimo de tempo foi um grande aprendizado.

Mas vimos que isso foi possível, e gerou resultados positivos para garantir a produtividade das companhias.

Planejamento dos negócios

Do ponto de vista das empresas, a primeira questão está sendo entender para onde vamos no futuro próximo. Como os colaboradores e os consumidores estão se sentindo, e como podemos atender a esses anseios e sentimentos.

Com essa clareza, as companhias poderão realizar seu planejamento de forma acelerada, veloz e respondendo às necessidades do mercado.

Um dos grandes aprendizados que tivemos neste ano foi que tudo aquilo que havíamos pensado antes precisou passar por uma reestruturação. Agora a visão de momento é atender às novas expectativas.

As pessoas vão passar a trabalhar cada vez mais em casa. Com isso, já se pensa em expansão de processos e trabalhos em home office.

Além disso, uma forte onda de conscientização do usuário passa a ter nova prioridade. Especialmente em readaptação de estrutura e convergência nos aspectos de tecnologia e segurança da informação.

Inovação com segurança

Ponto de atenção de gestores e lideranças de grandes companhias está sendo como inovar digitalmente garantindo a segurança da informação.

Um dos desafios é conseguir compreender os anseios dos usuários e a forma como eles querem atuar, trabalhar ou consumir.

E também captar o entendimento do porquê de aquele formato que ele entende ser bom traz benefícios para si e para a empresa.

Ao entender isso, é importante garantir todos os aspectos de segurança para que ele possa desempenhar aquele formato.

Atender às necessidades do usuário, entendê-lo e trazê-lo para perto da operação. O mercado seguirá mudando muito rapidamente.

Com um mundo muito mais disruptivo, as empresas precisarão buscar as melhores formas de aplicar as diferentes necessidades das pessoas com o uso de tecnologia.

E como o pensamento da segurança da informação na concepção dessas inovações deve estar embutido.

O usuário no centro da experiência

Ter o cliente no centro do negócio, de modo a entender o que ele quer para conseguir entregar um produto ou serviço na medida da necessidade dele. Isso requer agilidade e determinação para compreender essas mudanças.

Ao entender o usuário, conseguiremos entregar a melhor solução, produto ou serviço. E sempre pensando no aspecto de segurança, para que ele se sinta confortável como usuário.

As empresas terão cada vez mais o cliente no centro do negócio, compreendendo seus anseios. E isso requer agilidade e determinação para interpretar as constantes mudanças.

O ano de 2020 foi desafiador. Ao mesmo tempo em que enfrentamos as adversidades apresentadas pela seriedade da situação, pudemos também avançar nos desafios e tirar aprendizados que não seriam possíveis em situações normais.

Cabe agora a cada um de nós fortalecer esses ensinamentos e seguir evoluindo rumo ao avanço da tecnologia e da inovação.

Sempre pensando no bem-estar das pessoas e nas melhores práticas de segurança — especialmente na parte digital.

* Thiago Ramos é especialista em gestão em tecnologia da informação e Regional Account Manager para Minas Gerais da Trend Micro, líder global em cibersegurança e segurança em nuvem.

Fonte: RPMA Comunicação



Administração de escritórios de advocacia requer planejamento e controle de fluxos

A maneira como uma corporação é administrada repercute diretamente em sua evolução.


Mortes e vidas virtuais

Um grande empresário da internet divulgou recentemente a criação de um universo totalmente on-line.


Contra a ignorância política e administrativa

A pesquisa da consultoria Quaest, que encontrou, entre os pesquisados, 78% que apenas “já ouviram falar” do STF e 80% do TSE e o não conhecimento das funções daqueles dois órgãos superiores, é a mais escandalosa prova da ignorância do povo que recentemente, em outro levantamento, também mostrou não saber o que faz o Congresso Nacional.


Análise de dados e a saúde dos colaboradores nas empresas

Como a análise de dados está ajudando empresas a melhorar a saúde dos colaboradores.


16 senadores suplentes, sem votos, gozam das benesses no Senado

Quando o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), pretende colocar em votação Emenda Constitucional para acabar com a figura de SENADOR SUPLENTE?


Há tempos são os jovens que adoecem

Há alguns anos o Netflix lançou uma série chamada “Thirteen Reasons Why”, ou, em tradução livre, “As Treze Razões”.


Administração estratégica: desafios para o sucesso em seu escritório jurídico

Nos últimos 20 anos o mercado jurídico mudou significativamente.


Qual o melhor negócio: investir em ações ou abrir a própria empresa?

Ser um empresário ou empresária de sucesso é o sonho de muitas pessoas.


Intercooperação: qual sua importância no pós- pandemia?

Nos últimos dois anos, o mundo enfrentou a maior crise sanitária dos últimos 100 anos.


STF e a Espada de Dâmocles

O Poder Judiciário, o Ministério Público e a Polícia Investigativa são responsáveis pela persecução penal.


Lista tríplice, risco ao pacto federativo

Desde o tempo de Brasil-Colônia, a lista tríplice tem sido o instrumento para a nomeação de promotores e procuradores do Ministério Público.


ESG: prioridade da indústria e um mar de oportunidades

Uma pesquisa divulgada recentemente pelo IBM Institute for Business Value mostra que a sustentabilidade tem ocupado um lugar diferenciado no ranking de prioridades de CEOs pelo mundo se comparado a levantamentos anteriores.