Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Aprendizados durante a pandemia e a importância da inovação para o mercado

Aprendizados durante a pandemia e a importância da inovação para o mercado

03/12/2020 Thiago Ramos

O momento atual tem sido de muito aprendizado para todos.

Pessoas e empresas nunca tiveram de lidar, em passado recente, com uma crise de tamanha magnitude como a atual - causada pela pandemia do novo coronavírus.

Mas se há uma coisa que estamos aprendendo, e com a qual evoluindo a cada dia, é a forma como nos relacionamos com a tecnologia.

Presente de maneira quase integral em nossas vidas, empresas e usuários perceberam que sua adoção pode ser muito mais benéfica do que pensávamos.

Em evento virtual recente promovido pela Trend Micro, tive a honra de bater um papo com dois grandes nomes do mercado brasileiro de tecnologia e inovação: Leonardo Queiroz, vice-presidente de Crescimento da Kroton, e Gilberto Barbosa Mota, Chief Information Security Officer do Grupo SADA.

Nessa conversa abordamos diversos assuntos. Dentre eles, como a transformação digital sendo está impulsionada com força total neste ano, e como esse processo está modificando a vida das pessoas, das organizações e da sociedade de maneira mais ampla. A conversa está disponível aqui para quem quiser assistir.

Com esse forte movimento de digitalização observado, quais foram os principais aprendizados que podemos tirar deste ano, e como podemos continuar nessa trilha com vista a seguir atendendo às demandas em 2021?

Ao pensar nessas questões, tanto do ponto de vista de experiência do usuário e melhores práticas de negócios como também de oportunidades de carreira e de expansão do conhecimento, abordei esses pontos com os gestores no bate-papo. Listo aqui as principais reflexões:

Resiliência

Um dos grandes desafios do ano para todos foi encontrar a resiliência necessária para lidar com o momento. Na pandemia, todos os processos de negócios precisam funcionar com exatidão e agilidade.

Para isso, as companhias de maneira geral tiveram de fazer uma preparação de seus times, especialmente na parte de negócio, para trabalhar de forma remota.

Além disso, foi preciso estruturar um processo de monitoramento das atividades de forma mais constante, sempre buscando ajustar caminhos. E isso com muita velocidade. Mas sempre com a prioridade de preservar a vida das pessoas.

Modificar a operação das empresas do presencial para o digital em um prazo curtíssimo de tempo foi um grande aprendizado.

Mas vimos que isso foi possível, e gerou resultados positivos para garantir a produtividade das companhias.

Planejamento dos negócios

Do ponto de vista das empresas, a primeira questão está sendo entender para onde vamos no futuro próximo. Como os colaboradores e os consumidores estão se sentindo, e como podemos atender a esses anseios e sentimentos.

Com essa clareza, as companhias poderão realizar seu planejamento de forma acelerada, veloz e respondendo às necessidades do mercado.

Um dos grandes aprendizados que tivemos neste ano foi que tudo aquilo que havíamos pensado antes precisou passar por uma reestruturação. Agora a visão de momento é atender às novas expectativas.

As pessoas vão passar a trabalhar cada vez mais em casa. Com isso, já se pensa em expansão de processos e trabalhos em home office.

Além disso, uma forte onda de conscientização do usuário passa a ter nova prioridade. Especialmente em readaptação de estrutura e convergência nos aspectos de tecnologia e segurança da informação.

Inovação com segurança

Ponto de atenção de gestores e lideranças de grandes companhias está sendo como inovar digitalmente garantindo a segurança da informação.

Um dos desafios é conseguir compreender os anseios dos usuários e a forma como eles querem atuar, trabalhar ou consumir.

E também captar o entendimento do porquê de aquele formato que ele entende ser bom traz benefícios para si e para a empresa.

Ao entender isso, é importante garantir todos os aspectos de segurança para que ele possa desempenhar aquele formato.

Atender às necessidades do usuário, entendê-lo e trazê-lo para perto da operação. O mercado seguirá mudando muito rapidamente.

Com um mundo muito mais disruptivo, as empresas precisarão buscar as melhores formas de aplicar as diferentes necessidades das pessoas com o uso de tecnologia.

E como o pensamento da segurança da informação na concepção dessas inovações deve estar embutido.

O usuário no centro da experiência

Ter o cliente no centro do negócio, de modo a entender o que ele quer para conseguir entregar um produto ou serviço na medida da necessidade dele. Isso requer agilidade e determinação para compreender essas mudanças.

Ao entender o usuário, conseguiremos entregar a melhor solução, produto ou serviço. E sempre pensando no aspecto de segurança, para que ele se sinta confortável como usuário.

As empresas terão cada vez mais o cliente no centro do negócio, compreendendo seus anseios. E isso requer agilidade e determinação para interpretar as constantes mudanças.

O ano de 2020 foi desafiador. Ao mesmo tempo em que enfrentamos as adversidades apresentadas pela seriedade da situação, pudemos também avançar nos desafios e tirar aprendizados que não seriam possíveis em situações normais.

Cabe agora a cada um de nós fortalecer esses ensinamentos e seguir evoluindo rumo ao avanço da tecnologia e da inovação.

Sempre pensando no bem-estar das pessoas e nas melhores práticas de segurança — especialmente na parte digital.

* Thiago Ramos é especialista em gestão em tecnologia da informação e Regional Account Manager para Minas Gerais da Trend Micro, líder global em cibersegurança e segurança em nuvem.

Fonte: RPMA Comunicação




O que é empreendedorismo de impacto social?

O empreendedorismo vem crescendo nestes últimos anos como uma alternativa de sobrevivência e busca de realização pessoal.


Ações mais comuns na Justiça do Trabalho

O ano que passou não foi fácil para o trabalhador. O desemprego aumentou.


Síndrome de Tourette: o popular tique nervoso

A Síndrome de Tourette é pouco conhecida e atinge apenas 0,6% da população em geral. É popularmente conhecida como “tique nervoso”.


Quanto você pagaria por uma vacina contra a Covid-19?

A Constituição brasileira prevê que a saúde é direito de todos e dever do Estado (art. 196), mas permite expressamente a atuação da iniciativa privada no setor (art. 199).


Janeiro Branco

Todo cuidado conta! Em 2014, na cidade de Uberlândia, Minas Gerais, o psicólogo Leonardo Abrahão idealizou a companha conhecida como "Janeiro Branco".


A arte de escrever para crianças

Escrever para crianças, é arte delicada que poucos dominam.


2021, o ano das bolsas

O ano de 2021 deverá ser um dos melhores anos para os investidores do mercado de ações; entretanto, existe uma combinação de fatores que devem ser analisados ainda em 2020, principalmente para os que desejam começar a investir ainda neste ano.


Agro é vida – Adube um meio ambiente melhor

Os adubos são caminho seguro para aumentar a produção das culturas e, assim, colocar mais alimento à mesa.


A CPMF e o imposto da janela

Em 1696, os britânicos encontraram uma maneira criativa de um novo imposto e começaram a taxar as janelas.


Sementes de esperança

Em 1500, quando, na carta-relatório do Descobrimento do Brasil ao rei português D. Manoel, o escriba Pero Vaz de Caminha relatou que "aqui em se plantando tudo dá", jamais poderia imaginar que, 520 anos depois, um bem intangível de imenso valor também estaria brotando de nossa abençoada terra: a esperança.


Antes inimigos declarados, bancos começam a flertar com o Bitcoin

Estamos vivenciando um momento único na humanidade e também na história do Bitcoin.


São Sebastião, o mártir da perseverança

São Sebastião foi martirizado na última e pior perseguição do Império Romano, que foi a de Diocleciano, por volta do ano 300 d.C.