Portal O Debate
Grupo WhatsApp

As Redes Sociais como um recurso para a aprendizagem

As Redes Sociais como um recurso para a aprendizagem

14/07/2013 Naiana Kubota

O avanço da tecnologia nos possibilita que estejamos conectados à Internet cada vez mais, o que nos traz vários benefícios.

Entre eles, destaca-se a interação das pessoas em longa distância, por meio das famosas Redes Sociais. E como utilizar esse meio de comunicação em prol da educação? Educadores encontram nas redes sociais a interação com os alunos, não deixando de lado os objetivos pedagógicos.

As Redes Sociais nos auxiliam para sabermos quais os interesses dos alunos, o que facilita muito o preparo dos conteúdos ministrados, aguçando o interesse e a participação de todos. Ao utilizar as Redes Sociais, possibilitamos que os alunos encontrem o conhecimento fora do ambiente da sala de aula, interagindo com seus colegas e professores num ambiente em que ele busca compartilhar o que sabe. É claro que não basta utilizar a rede social, é preciso fazer com que o aluno reflita e adquira conhecimento da matéria.

Para isso, é importante que os educadores tenham formação complementar, oferecendo subsídios pedagógicos aliados às Tecnologias da Informação. Por meio de capacitações, os professores estão mais aptos e preparados para lidar com as ferramentas tecnológicas, sabendo utilizá-las de forma adequada à necessidade da comunidade na qual estão inseridos. Muitas vezes, os alunos têm contato com a tecnologia e não sabem tirar proveito dessas novas ferramentas.

Sendo assim, os educadores têm a oportunidade de oferecer conhecimento por meio de algo que eles estimam conhecer. Utilizar as Redes Sociais na educação influencia no aprendizado dos alunos, pois muitos apenas a utilizam para jogos, deixando de adquirir algo que realmente faça sentido em suas vidas. Para concluir, registro o relato da professora de matemática Miriam Dias, com licenciatura pela USP, que atua na rede municipal de ensino de Caçapava.

A experiência dela como educadora pode servir de estímulo a muitos outros professores que podem fazer uso das novas formas de comunicação para estimular seus alunos a aprender mais e melhor. "Este ano foi a primeira vez que utilizei as redes sociais no ensino público, na escola Edmir Viana. Desenvolvemos um blog onde os alunos e responsáveis poderiam ter acesso às datas e conteúdos de provas e trabalhos e onde também poderiam ser postados os melhores trabalhos dos alunos, realizados com o apoio da informática educacional.

A experiência foi muito boa, pois estimulou os alunos a trabalharem nos temas das aulas com mais empenho para fazer do seu trabalho o melhor desenvolvido e vê-lo postado no blog. E a parte mantida por mim (professora) com as datas de provas e trabalhos foi um começo para evitar que os alunos deixassem de fazer as atividades por esquecerem ou por não estarem sabendo das entregas, quando faltavam à aula.

É uma maneira também dos responsáveis acompanharem as atividades do aluno. Além disso, o mais interessante foi que o meio virtual proporcionou um caminho para alguns alunos que eram muito tímidos ou que não costumavam participar em sala de aula tirarem suas dúvidas ou deixarem comentários. O projeto ainda precisa ser aprimorado, ampliado e desenvolvido com mais tempo, mas já foi uma experiência gratificante", destaca a educadora de Caçapava.

*Naiana Kubota é Graduada em Pedagogia e atua na Empresa Planeta Educação em Caçapava, São Paulo.



Senado e STF colidem sobre descriminalizar a maconha

O Senado aprovou, em dois turnos, a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) das Drogas, que classifica como crime a compra, guarda ou porte de entorpecentes.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


As histórias que o padre conta

“Até a metade vai parecer que irá dar errado, mas depois dá certo!”

Autor: Dimas Künsch


Vulnerabilidades masculinas: o tema proibido

É desafiador para mim escrever sobre este tema, já que sou um gênero feminino ainda que com certa energia masculina dentro de mim, aliás como todos os seres, que tem ambas as energias dentro de si, feminina e masculina.

Autor: Viviane Gago


Entre o barril de petróleo e o de pólvora

O mundo começou a semana preocupado com o Oriente Médio.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Nome comum pode ser bom, mas às vezes complica!

O nosso nome, primeira terceirização que fazemos na vida, é uma escolha que pode trazer as consequências mais diversas.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


A Cilada do Narcisista

Nelson Rodrigues descrevia em suas crônicas as pessoas enamoradas de si mesmas com o termo: “Ele está em furioso enamoramento de si mesmo”.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Brasil, amado pelo povo e dividido pelos governantes

As autoridades vivem bem protegidas, enquanto o restante da população sofre os efeitos da insegurança urbana.

Autor: Samuel Hanan


Custos da saúde aumentam e não existe uma perspectiva que possa diminuir

Recente levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indica que os brasileiros estão gastando menos com serviços de saúde privada, como consultas e planos de saúde, mas desembolsando mais com medicamentos.

Autor: Mara Machado


O Renascimento

Hoje completa 2 anos que venci uma cirurgia complexa e perigosa que me devolveu a vida quase plena. Este depoimento são lembranças que gostaria que ficasse registrado em agradecimento a Deus, a minha família e a vários amigos que ficaram ao meu lado.

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


Argentina e Venezuela são alertas para países que ainda são ricos hoje

No meu novo livro How Nations Escape Poverty, mostro como as nações escapam da pobreza, mas também tenho alguns comentários sobre como países que antes eram muito ricos se tornaram pobres.

Autor: Rainer Zitelmann


Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes