Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Atenção: JOGUE tudo isso fora!

Atenção: JOGUE tudo isso fora!

14/04/2011 Marizete Furbino

"A vida não é perdida através da morte; a vida é perdida minuto a minuto, através do dia a dia aborrecido, e em todos os milhares de modos medíocres.”  (Stephen Vincent Benet)

Os sentimentos negativos são danosos à sua própria saúde; por isso e por muito mais os jogue fora.

Afigura-se correto afirmar que a mágoa é um tenebroso sentimento que deve ser arrancado de maneira brusca e rápida de dentro de qualquer profissional, pois, além de remetê-lo sempre a um passado doloroso, causando dor e sofrimento, tal sentimento o destrói, conduzindo-o a uma baixa auto-estima e cobrindo o seu caminho de tristeza, impedindo-o de vislumbrar o futuro, de caminhar, de desenvolver e crescer, levando-o até mesmo a adoecer. Alimentar a mágoa é o mesmo que ter o cuidado de fazer um chá de cicuta e tomá-lo diariamente. Isso só irá prejudicá-lo e conduzi-lo ao caos.

É de se ressaltar que outro sentimento nocivo é a raiva, e esta ocorre muitas vezes quando você encontra-se com seu interior “ferido”. Independente de sua intensidade possui a raiva a capacidade de gerar um descontentamento, conduzindo-o a um “belo” mal-estar, tendo o poder de emitir vibrações negativas, sendo em demasia perniciosa à sua saúde por estar associada a inúmeras moléstias. Dentre essas, podemos citar a hipertensão, a depressão, a fadiga e até mesmo um câncer. Então, para que cultivá-la deixando-a permanecer dentro de você? Jogue-a fora!

Diante do exposto, não podemos esquecer do ódio, que também é um sentimento funesto que igualmente está associado a inúmeras enfermidades advindas do sofrimento psíquico. Este somente serve para render-lhes rugas, não apenas em seu rosto, mas, o que é pior, em sua alma, arruinando relacionamentos, movendo o seu coração de forma a provocar atitudes que irão gerar um “tumulto” desnecessário em sua vida e na vida dos outros, impedindo-o de enxergar, valorizar, vislumbrar e vivenciar o que de bom a vida lhe oferece. Isso vai, com certeza, matá-lo aos poucos.

Releve notar, ainda, que outro sentimento infausto denomina-se vingança e esta pode ser considerada como um transtorno neurótico que gera um impulso doentio pernicioso, perturbador e destruidor que, além de provocar danos ao outro, provoca danos irreversíveis em quem o pratica, uma vez que “arranha” e denigre a imagem de ambos. A vingança demonstra de forma clara e bem nítida quem é o suposto vingador, pois é este, através de suas ações, quem demonstra falta de maturidade, de ética e de caráter, sendo visto como um psicopata nocivo e perigoso. Quando ele está próximo sempre isso sinaliza cautela, o que o faz perder espaço, tanto na vida pessoal como na vida profissional e organizacional; assim, mais “feio na fita” fica quem é o vingador devido à sua capacidade nociva de ação. Importante lembrar que vingança gera vingança, tornando-se um círculo muitas das vezes vicioso e que gera somente efeitos catastróficos.

Ainda neste discurso, no que diz respeito a um outro sentimento danoso, podemos ressaltar a  tristeza. E esta deve ser jogada imediatamente fora, pois dela advém o desânimo, a frustração e, por conseguinte, a baixa autoestima, o impedindo de seguir em frente na caminhada de cabeça erguida, conduzindo-o em um período curto de tempo à depressão. Temos o direito de ficarmos tristes, mas devemos ter a sabedoria de conviver com períodos da vida que nos conduzem à tristeza, não deixando-nos abater e tendo nós o cuidado de monitorá-la de forma a não deixá-la passar em nossa vida como um vulcão, fazendo inúmeros estragos, estragos esses muitas vezes, além de prejudiciais, irreparáveis. É de suma importância aprender a refletir e analisar sobre os fatos que geraram a tristeza, bem como, aprender, desenvolver e crescer com estes.

É fato incontroverso que outro sentimento altamente perigoso é o ressentimento, pois sabe-se que este faz gerar a angústia e a amargura, deixando-o “azedo” e de mal com a vida, garantindo apenas prejuízo em quem o sente. Lembrar de um passado ruim que gerou de certa forma uma frustração, seguida de um ressentimento e permanecer ruminando o mesmo é querer sofrer duas vezes ou mais. Este sentimento corrobora para comprometer o seu presente, prejudicando o seu futuro, uma vez que deixa de certa forma “embaçado” o seu caminho, prejudicando a sua forma de caminhar. Pensando assim, para que cultivar o ressentimento se este em nada de bom em sua vida acrescenta?

Ainda no desfile de sentimentos negativos e prejudiciais, observa-se ainda outro sentimento nocivo à saúde, que é a “danada” da inveja, este um sentimento tão perverso que é como se fosse uma sede insaciável, o que faz obscurecer por completo a vida do invejoso, impedindo-o de se desenvolver e/ou crescer. E isso se deve ao fato de que simplesmente o invejoso vive em “sintonia” com a vida alheia, esquecendo-se de cuidar de sua própria vida. Contudo, a inveja deveria ser repugnante, pois, carrega consigo a tristeza, a melancolia, o egoísmo, a dor e o ódio. É importante ressaltar que o invejoso aparece carregado de desgostos, altamente descontente com a sua própria vida, cheio de angústias e totalmente revoltado, inalando egoísmo. Deixa de viver, tornando-se deplorável em meio ao seu convívio, uma vez que não quer o bem para ninguém. Não sabe compartilhar e nem se alegrar com os demais, além das reações “monstruosas”,  fazendo até a mudar de cor quando age.

De igual forma, a maledicência pode ser considerada o símbolo número um da mediocridade humana. Infelizmente o ser humano mal resolvido e não realizado não se contenta em somente ter a inveja do outro, mas teima em utilizar a língua como uma arma, assassinando o outro sempre que pode. Esse tipo de gente pensa que, ofuscando a luz do outro, a sua poderá brilhar. Mero equívoco! Para que você brilhe, você necessita somente da sua própria luz, o que depende única e exclusivamente de você, e não do outro. Assim, a maledicência deve ser banida literalmente de nossa vida, uma vez que em nada esta contribuirá para o nosso crescimento e/ou desenvolvimento.

Como se vê, dos sentimentos ou atitudes acima citadas, importante perceber que todos eles devem ser jogados fora, pois, além de serem perniciosos, causando danos e/ou prejuízos muitas vezes irreparáveis, predispõem a moléstias diversas em quem os abriga. Assim, é de suma importância salientar que nossa mente é como o mar, movimentada através dos nossos pensamentos. Cabe a você ter a sabedoria de cultivar bons pensamentos e de se tornar um ser humano cada vez melhor.

* Marizete Furbino, com formação em Pedagogia e Administração pela UNILESTE-MG, especialização em Empreendedorismo, Marketing e Finanças pelo UNILESTE-MG. É Administradora, Consultora de Empresa e Professora Universitária no Vale do Aço/MG - e-mail: marizetefurbino@yahoo.com.br



Os desafios de tornar a tecnologia acessível à população

Vivemos uma realidade em que os avanços tecnológicos passaram a pautar nosso comportamento e nossa sociedade.


O uso do celular, até para telefonar

Setenta e sete por cento dos brasileiros utilizam o smartphone para pagar contas, transferir dinheiro e outros serviços bancários.


Canto para uma cidade surda

O Minas Tênis Clube deu ao Pacífico Mascarenhas o que a cidade de Belo Horizonte deve ao Clube da Esquina; um cantinho construído pelo respeito, gratidão, admiração, reconhecimento, apreço e amor.


Como acaso tornou famoso notável compositor

Antes de alcançar a celebridade, e a enorme fortuna, Verdi, passou muitas dificuldades financeiras.


Gugu e a fragilidade da vida

A sabedoria aconselha foco no equilíbrio emocional e espiritual diante da fragilidade e fugacidade da vida.


Quando o muro caiu

O Brasil se preparava para o segundo turno das eleições presidenciais, entre o metalúrgico socialista Luís Inácio Lula da Silva e a incógnita liberal salvacionista Fernando Collor de Melo, quando a televisão anunciou a queda do muro de Berlim.


Identidade pessoal e identidade familiar

Cada família gesta a sua identidade, ainda que algumas vezes, de forma inconsciente.


Desprezo e ingratidão

Não sei o que dói mais: se a ingratidão se o desprezo.


A classe esquecida pelo governo

O fato é que a classe média acaba por ser a classe esquecida pelo governo.


O STF em defesa de quem?

A UIF, antigo COAF, foi criada como uma unidade do Ministério da Justiça (hoje, no BACEN) para fazer uma coisa muito simples: receber dos bancos notificações de que alguém teria realizado uma transação suspeita, anormal.


O prazer da leitura

Ao contrário do que se possa pensar, não tenho muitos amigos. Também não são muitos os conhecidos.


Desmoralização do SFT

A moralidade e a segurança jurídica justificam a continuidade da prisão em segunda instância. A mudança desta postura favorece a impunidade dos poderosos e endinheirados.