Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Bem-vindos a Era do Marketing Digital 4.0

Bem-vindos a Era do Marketing Digital 4.0

15/04/2018 Claudio Stringari

Em qualquer segmento, o objetivo é o mesmo: vender mais.

Já não basta apenas ter um produto de qualidade e um atendimento de excelência para que uma empresa alcance o tão almejado sucesso. Isso passou a ser condição sine qua non para qualquer marca.

Da loja de bairro às marcas globais, qualidade de produto, de atendimento e preço justo são essenciais para sobreviver. Se essa equação estiver solucionada, o negócio já tem 10% do caminho percorrido.

Sim, só 10%! Porque, como disse, isso virou commodity. Os outros 90% passam por itens como logística, sustentabilidade, ponto de venda, promoção, comunicação, marketing, branding e por aí vai... Um dos maiores desafios da atualidade é, sem dúvida, chamar atenção do chamado público-alvo.

Em qualquer segmento, o objetivo é o mesmo: vender mais. Com a presença cada vez maior na vida dos consumidores e com muita influência do meio digital, o marketing se tornou uma ferramenta essencial para qualquer marca.

Prova disso é a pesquisa realizada pela PwC em 2015, que revelou que 77% dos brasileiros são influenciados pelas redes sociais na hora de decidir uma compra. Isso mesmo, a maioria absoluta da população só compra um produto se tiver algum contato anterior (e digital) com a marca.

A transformação da comunicação como um todo abriu portas ao marketing digital, onde o imediatismo fala mais alto. Mas, engana-se quem acha que a estratégia se resume à presença da empresa nas redes sociais. Para funcionar, a comunicação deve ser feita de forma estruturada, direta e atingir o consumidor no momento certo.

O conjunto de atividades envolve o desenvolvimento de identidade, do tom de voz, do mood da marca e o principal: relacionamento adequado com o público. Além disso, devem ser utilizadas estratégias em SEO (Search Engine Optimization), que têm como objetivo melhorar a posição da empresa nas buscas orgânicas do Google e em outros sites.

Não podemos esquecer também do Inbound Marketing, que visa atrair o público por meio de conteúdo (o chamado Branded Content), reunindo interessados em serviços, tendências ou produtos e distribuindo informações em portais, blogs, e-mail marketing e outros canais.

O marketing digital auxilia não só na construção de uma reputação, mas no aumento da audiência on-line. E o investimento nesse meio cresce mais de 30% anualmente no Brasil, segundo o Interactive Advertising Bureau (IAB). Diferente do marketing tradicional, o retorno sobre investimentos no mundo digital se dá com mais facilidade, pelo fato de ser mensurável, com métricas mais simples e claras.

Com investimentos menores que os feitos em campanhas publicitárias tradicionais, é possível promover produtos, serviços e empresas, principalmente de pequeno e médio portes, que, via de regra, não conseguiriam relevância. Enquanto na forma tradicional estudamos os 4Ps (produto, preço, praça e promoção), no marketing digital as estratégias contemplam muito mais Ps.

Seguindo uma ordem, começamos pela pesquisa, passamos pelo planejamento, pesquisa (das histórias das marcas e produtos), produção, publicação, promoção, propaganda, personalização e precisão.

E os resultados? Eles vêm de forma maximizada e, como dito anteriormente, de maneira mais assertiva. Mesmo com todos os recursos a nossa disposição, é preciso pensar sempre além e tentar incorporar novas formas de otimizar o marketing digital.

Um exemplo? Já estão sendo estudados e aplicados o uso de inteligência virtual na comunicação, assim como a Siri, da Apple, e a Alexa, da Amazon - uma forma de inovar com o uso de muita tecnologia. O resumo de tudo isso seria apenas reforçar o papel estratégico do marketing e como ele deve ser amplamente utilizado.

Afinal, seja online ou de maneira tradicional, garantir uma boa comunicação dentro e fora da empresa é o caminho certo para se tornar referência na área de atuação, conquistando o mercado e atraindo cada vez mais novos clientes. E, por fim, vendendo e lucrando mais. Afinal, lucro não é pecado!

* Claudio Stringari é vice-presidente da Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil - Seção Paraná (ADVB-PR) e sócio da Central Press.

Fonte: Central Press



Como resolver problemas que parecem impossíveis?

Existe um ditado polinésio que diz o seguinte: você pode estar em cima de uma baleia, mas pescando carpas miúdas.


A queda de 93% no uso do cheque

Na infância e juventude - anos 50 e 60 do século passado - ouvi muitos comentários de que comerciantes, fazendeiros e endinheirados da época lucravam pagando seus compromissos com cheque de outras praças, que demoravam dias para ser liquidados.


Supervisionar ou treinar seu time?

Supervisionar atividades e resultados da equipe é um dos maiores desafios para inúmeros líderes.


Gestão empresarial e perspectivas para 2022

Após mais um ano de pandemia, a alta administração das empresas priorizou a sobrevivência enquanto teve de lidar com expectativas frustradas.


O que a pandemia nos ensinou sobre fortalecer nossas parcerias

A pandemia da COVID-19 forçou mudanças significativas na operação de muitas empresas.


O barulho em torno do criado-mudo

Se você entrar agora no site da Amazon e escrever (ou digitar) “criado-mudo”, vai aparecer uma resposta automática dizendo que você não deve usar essa expressão porque ela é racista.


Reputação digital: é possível se proteger contra conteúdos negativos

O ano é 2022 e há quem pense que a internet ainda é uma terra sem lei. A verdade é que a sociedade avançou e o mundo virtual também.


Questão de saúde pública, hanseníase ainda é causa de preconceito e discriminação

Desde 2016, o Ministério da Saúde realiza a campanha Janeiro Roxo, de conscientização sobre a hanseníase.


Desafios para o Brasil retomar o rumo

A tragédia brasileira está em cartaz há décadas.


Mortes e lama: até quando, Minas?

Tragédias no Brasil são quase sempre pré-anunciadas. É como se pertencessem e integrassem a política de cotas. Sim, há cotas também para o barro e a lama. Cota para a dor.


Proteção de dados de sucesso

Pessoas certas, processos corretos e tecnologia adequada.


Perspectivas e desafios do varejo em 2022

Como o varejo lida com pessoas, a sua dinâmica é fascinante. A inclusão de novos elementos é constante, tais como o “live commerce” e a “entrega super rápida”.