Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Big Data para tudo e todos

Big Data para tudo e todos

19/03/2014 Juliana Ferreira

Quando se fala das vantagens do Big Data para o varejo, as pessoas logo associam o assunto a contribuições para os negócios de internet, em especial para o varejo online, esquecendo que obter dados estruturados e conseguir realizar análises acuradas é importante para qualquer segmento ou negócio, seja no mundo virtual ou físico.

O big sonho das companhias é encontrar uma maneira eficiente de armazenar, extrair, filtrar e cruzar estruturadamente informações estratégicas que permitam ações direcionadas ao público-alvo da empresa. E não necessariamente, essas ações são feitas por meio de canais de mídias digitais. Esses dados ajudam a conhecer como ninguém o cliente e também facilita a escolha das melhores ferramentas para comunicação com esse cliente.

Diante disso, também se torna muito mais fácil obter retorno dos investimentos. Hoje, as empresas conseguem entender o que as pessoas desejam comprar e como fazer para aquele produto ou serviço chegar rapidamente à frente do seu consumidor. Um exemplo disso são os anúncios de produtos que aparecem nas páginas das pessoas no Facebook de acordo com os assuntos que cada um mais gosta. Isso é Big Data no mundo real. Isso significa que alguém conseguiu extrair dados do seu perfil e transformou seus posts em informações sobre seus desejos de consumo.

Além de direcionar os esforços de marketing e vendas, Big Data também fornece informações estratégicas para todas as áreas de uma organização, pois pode melhorar o sistema de logística, auxiliar o departamento de RH a contratar pessoas com o perfil desejado, e claro, disponibilizar dados extremamente estratégicos para o negócio. É possível, por exemplo, cruzar dados demográficos e sobre hábitos de consumo para definir as regiões em que devem ser abertas novas lojas de uma rede varejista.

Mas em meio a tanto conteúdo, qual é a maneira mais eficiente de gerenciar tudo isso? O maior desafio é criar estruturas de sistemas de armazenamento de informações, consolidando tudo de forma estruturada, para que haja velocidade na entrega do conteúdo para atender às necessidades das corporações. O novo modelo não desafia apenas a criação de um ambiente tecnológico favorável. Os profissionais da área de TI e marketing também precisam estar aptos a analisar e saber rapidamente o que fazer com as informações extraídas.

A realidade é que Big Data faz parte hoje de praticamente todos os setores e atividades. Acredite que suas características e informações estão sendo armazenadas o tempo todo e que alguém já te conhece melhor do que você imagina. E diante disso, um dos setores mais interessados em “espiar” a vida dos consumidores é o varejo, que está investindo bastante em testes para aprimoramento da tecnologia. Se tudo der certo, em um futuro não muito distante, quando você pensar que deseja algo, esse produto estará bem à sua frente e você terá poucos segundos para refletir se deve comprá-lo.

*Juliana Ferreira é sócia-diretora executiva da A2F, empresa especializada em soluções críticas na área de Tecnologia da Informação.



Os desafios de tornar a tecnologia acessível à população

Vivemos uma realidade em que os avanços tecnológicos passaram a pautar nosso comportamento e nossa sociedade.


O uso do celular, até para telefonar

Setenta e sete por cento dos brasileiros utilizam o smartphone para pagar contas, transferir dinheiro e outros serviços bancários.


Canto para uma cidade surda

O Minas Tênis Clube deu ao Pacífico Mascarenhas o que a cidade de Belo Horizonte deve ao Clube da Esquina; um cantinho construído pelo respeito, gratidão, admiração, reconhecimento, apreço e amor.


Como acaso tornou famoso notável compositor

Antes de alcançar a celebridade, e a enorme fortuna, Verdi, passou muitas dificuldades financeiras.


Gugu e a fragilidade da vida

A sabedoria aconselha foco no equilíbrio emocional e espiritual diante da fragilidade e fugacidade da vida.


Quando o muro caiu

O Brasil se preparava para o segundo turno das eleições presidenciais, entre o metalúrgico socialista Luís Inácio Lula da Silva e a incógnita liberal salvacionista Fernando Collor de Melo, quando a televisão anunciou a queda do muro de Berlim.


Identidade pessoal e identidade familiar

Cada família gesta a sua identidade, ainda que algumas vezes, de forma inconsciente.


Desprezo e ingratidão

Não sei o que dói mais: se a ingratidão se o desprezo.


A classe esquecida pelo governo

O fato é que a classe média acaba por ser a classe esquecida pelo governo.


O STF em defesa de quem?

A UIF, antigo COAF, foi criada como uma unidade do Ministério da Justiça (hoje, no BACEN) para fazer uma coisa muito simples: receber dos bancos notificações de que alguém teria realizado uma transação suspeita, anormal.


O prazer da leitura

Ao contrário do que se possa pensar, não tenho muitos amigos. Também não são muitos os conhecidos.


Desmoralização do SFT

A moralidade e a segurança jurídica justificam a continuidade da prisão em segunda instância. A mudança desta postura favorece a impunidade dos poderosos e endinheirados.