Portal O Debate
Grupo WhatsApp

“Bom dia Brasil”

“Bom dia Brasil”

11/05/2020 Humberto Pinho da Silva

Tenho o costume de escutar, diariamente, a TV Globo. Gosto de estar atualizado.

Embora português, estou ligado, a esse País, pelo coração, onde casei na Bela Vista – já lá vão muitas décadas, – na cidade de São Paulo.

Quase todos os dias assisto aos noticiários da Globo, mormente, o: “Bom Dia Brasil”, transmitido no horário, que melhor me convém.

Ouço os pareceres do simpático “Chico”, que aprecio, e os comentários oportunos da Ana, e colaboradores, para que o noticiário, seja informativo, sem ser maçador.

Em nações, como no reino de Espanha, ao comprar uma publicação, facilmente se descobre as tendências e religiosas, do jornal. Alguns mantêm junto ao cabeçalho, a ideologia seguida; mas noutros países, as tendências são camufladas, tendo articulistas de diferentes ideologias.

Desconheço, para julgar com retidão, se no “Bom Dia Brasil”, as notícias são “cozinhadas”, e apresentadas de forma a agradar, a “este” ou “àquele”. Penso que não. Desgosta-me, porém, verificar que, para eles, Portugal quase não existe.
Falam da Europa, da Ásia, da América, mencionam países…mas de Portugal? …

Eu sei: há muitos brasileiros que caçoavam dos portugueses. Alguns chegam ou chegavam a zombar os meus compatriotas, que eram amesquinhados, no local de trabalho e na mass-media.

Escrevi “chegavam” e “eram”, porque descobriram que Portugal servia de trampolim para a Europa. Os que troçavam outrora dos que vinham “nos tamancos aéreos portugueses”, apressaram-se, agora, afadigadamente, a buscar antepassado, que lhes permita adquirir a cidadania europeia.

Voltando a Globo. Gostaria de saber porque tratam assim o pobre Portugal, que recebe de braços abertos, tantos trabalhadores, empresários e artistas brasileiros, receosos da violência?

Será que descobriram o nosso país, como os portugueses encontraram, no século XIX e mesmo XX, a árvore das patacas?

Partiam ainda em criança…Acreditando em Silva Pinto, autor do livro: “No Brasil”, tão mal eram recebidos! … e tão mal eram tratados”…

Conheço o bom povo brasileiro, aquele que é temente a Deus e guarda os nobres valores de seus avós. Esse, merece meu respeito e admiração. E ainda é, felizmente, a maioria.

Este desabafo não é dirigido a eles, mas sim, àqueles que “confundem” amizade com cifrões…e depois de servidos,” mordem” nos que lhes deram o pão…

* Humberto Pinho da Silva

Fonte: Humberto Pinho da Silva



Investimentos registram captação de R$ 46 bi no primeiro trimestre

O segmento de fundos de investimentos fechou o primeiro trimestre de 2022 com absorção líquida de R$ 46,1 bilhões, movimentação de 56,9% menor do que o observado no mesmo período de 2021.


Não são apenas números

Vinte e duas redações receberam nota mil, 95.788, nota zero, e a média geral de 634,16.


Formas mais livres de amar

A busca de afeição, o preenchimento da carência que nos corrói as emoções, nos lança a uma procura incessante de aproximação com outra pessoa: ânsia esperançosa de completude; algum\a outro\a me vai fazer feliz.


Dia da Educação: transformação das pessoas, do mercado e da sociedade

A Educação do século 21 precisa, cada vez mais, conciliar as competências técnicas e comportamentais.


Uma carta à Elon Musk

O homem mais rico do mundo, Elon Musk, acaba de chegar a um acordo para adquirir uma das redes sociais mais importantes do mundo, o Twitter, por US$ 44 bilhões.


Liberdade de expressão: lembrança do passado recente

Na manhã do dia 19 de agosto de 1968, tropas da polícia e do Exército invadiram a Universidade de Brasília, agredindo violentamente vários estudantes dentro das salas de aula.


Mitos sobre a recuperação judicial

Criou-se uma verdadeira quimera quando o tema é recuperação judicial e o objetivo deste artigo é desmistificar alguns dos mitos sobre esse instituto.


Quem vive em união estável tem direito à pensão por morte?

A pensão por morte é um benefício do INSS destinado aos dependentes de um segurado quando o instituidor faleceu.


O que a inveja desperta em você?

Inveja é um sentimento de natureza humana que se caracteriza por ódio ou rancor em relação a algo de bom que o outro tem, e você não.


“Os bem-comportados podem sair”

Havia na empresa onde trabalhei quase quarenta anos, o costume, enraizado na tradição, de não abandonar o local de trabalho, sem o chefe do departamento, dizer: “Podem sair!”


Dados sobre religião entre jovens nos USA

As religiões cristãs no ocidente têm motivos para preocupação diante de um crescente número de ‘sem religião’ entre as novas gerações.


Tecnologia e EPIs

Áudio e vídeo inteligente para a segurança de colaboradores de infraestrutura crítica.