Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Carnaval sem traumas

Carnaval sem traumas

13/02/2010 Dado Moura

O Brasil tem o privilégio de promover o mais exuberante carnaval, renomado pela beleza dos desfiles, pela grande quantidade de pessoas mobilizadas para trabalhar na “indústria da alegria”, que atraem milhares de turistas todos os anos.

Ao ritmo de percursionistas, grupos de passistas marcam a cadência e a harmonia de suas evoluções. Todos os integrantes, empenhados num mesmo ardor, desfilam, com esmero, sua animação e alegria ao longo de 60 minutos.

Realmente, é um espetáculo grandioso! 

Hoje, por outro lado, não podemos negar que essa festa se tornou também um modo de extravasar desejos não encarados com tanta naturalidade pela sociedade fora desta época do ano.

Muitos de nós, querendo viver momentos de alegria e prazer, lançamos mão das justificativas de uma liberdade provisória – talvez aspirando anestesiar frustrações ou carências – e avançamos decididos a passar por cima das barreiras do pudor. 
Enredados por tantos atrativos, “pierrôs” e “colombinas” ficam anestesiados por apelos equivocados e, extasiados com a permissividade, consomem drogas, embebedam-se e praticam sexo sem regras – muitas vezes auxiliados pelo Estado, que disponibiliza dispositivos de contracepção para o público.

O excesso é tamanho que, na quarta-feira de cinzas, ainda é possível encontrar pessoas pelas ruas que não conseguiram voltar para casa devido à embriaguez. Adultos e adolescentes perdem o sentido de responsabilidade e se lançam nas corredeiras do “vale tudo”. 
Sabemos que não temos “sete vidas” assim como também não possuímos uma “tecla de retrocesso”, por meio da qual podemos corrigir os atos mal sucedidos. Acreditar que vale tudo pela emoção do sonho realizado pode levar muitos a desfazer os alicerces em que se baseia a nossa vida.

Pois, de alguma maneira, as consequências de nossas opções certamente nos atingem, assim como também atingem as pessoas mais próximas. Estarmos conscientes dessa realidade nos ajuda a favorecer somente a comunhão de nossas verdadeiras alegrias com os demais. 
Buscar oportunidades de realizar nossos sonhos e desejos é nosso direito, entretanto, descobrir como vivê-los de maneira saudável e duradoura é a atitude que precisa ser observada não apenas nos dias de grandes celebrações, mas a cada dia de nossa existência. 
*Dado Moura é articulista e missionário da Comunidade Canção Nova



Onde está a boa educação?

Outrora, o idoso, era respeitado no local de trabalho e na sociedade.


Saneamento básico no Brasil

A infraestrutura que não chega ao esgoto.


Em novos tempos deve-se ter novas práticas

Na Capital fala-se muito em Menos Brasília, Mais Brasil.


Espiritualidade e alegria junina

Junho traz festas de três santos católicos: Antônio, casamenteiro. São João, profeta precursor de Jesus e São Pedro, único apóstolo que caminhou sobre as águas.


Missão do avô

Na família os avós são conselheiros dos pais e dos netos.


A importância das relações governamentais e institucionais

As relações governamentais e institucionais têm sido um instrumento de alta relevância para qualquer organização no atual momento político brasileiro.


Namoro na adolescência: fato ou fake?

O início da adolescência coincide com o final do Ensino Fundamental, fase em que desabrocham as paixões e, com elas, o convite: “quer namorar comigo?”.


Autobiografias: revelações das experiências em família

A curiosidade de muitas pessoas sobre a (auto) biografia de personalidades tem se tornado cada vez mais crescente, nos últimos anos.


What a wonderful world

Louis Daniel Armstrong foi um cantor e instrumentista nascido na aurora do século 20, e foi considerado “a personificação do jazz”.


A violência doméstica

Em Portugal, desde o início do ano, apesar de se combater, por todos os meios, a violência na família, contam-se já mais de uma dezena de mulheres, assassinadas.


O desrespeito ao teto constitucional e o ativismo judicial

O ativismo do Executivo e do Judiciário está “apequenando” o Legislativo.


Indicadores e painéis urbanos aliados à administração pública

A cidade com fatos visualizados está remodelando a forma como os cidadãos e gestores vêm a conhecê-la e governá-la.