Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Cartel, São Paulo como exemplo ao Brasil

Cartel, São Paulo como exemplo ao Brasil

15/08/2013 Dirceu Cardoso Gonçalves

Se o processo de Alckmin for à frente, será um marco na historia da administração pública e da democracia brasileira.

Ao processar por corrupção e danos morais, a ré confessa Siemens, dela exigindo a pronta devolução de tudo o que através do seu ato criminoso possa ter recebido indevidamente do Estado por conta do cartel que teria fraudado as concorrências do metrô e trens paulistas, o governador Geraldo Alckmin faz o mínimo que todo administrador público cioso deveria fazer ao ver seu governo envolvido num escândalo.

Com o processo, estabelece o ambiente capaz e insuspeito para investigar o ocorrido, definir responsabilidades e, ainda, promover devidas reparações ao erário e a penalização dos envolvidos, sejam eles agentes públicos ou privados. Tornou-se hábito no Brasil, não sério, mas democrático – e até antes – os políticos denunciarem mirabolantes esquemas errantes supostamente praticados por seus adversários. Esses malfeitos caem como petardos na opinião pública, provocando indignação e, evidentemente, o desgaste dos destinatários.

Isso costuma ocorrer às vésperas do período eleitoral e muitos dos denunciados acovardam-se, limitando-se a evasivas e ao “não sei”, já transformado em piada nacional. Passadas as eleições, denunciantes e denunciados esquecem tudo e o povo fica desinformado sobre o que efetivamente aconteceu, mas com a sensação de que todos do meio são a chamada “farinha do mesmo saco”. Ao processar a empresa que confessa participar do cartel que prejudica São Paulo, Alckmin puxa o fio da meada que, poderá trazer para o processo as outras participantes da fraude, tendo a oportunidade de também processá-las e delas cobrar reparação.

Ainda conseguirá prospectar as aves de rapina dessa novela para colocar nas costas de cada uma, de dentro ou de fora do governo, o fardo que lhes couber. Assim fazendo presta um grande serviço a São Paulo, ao país e à administração pública, demonstrando que, só quando o administrador quer, é possível fazer fechar as torneiras da corrupção. O processo ainda abre a porta para que o governo federal e os outros estados, se os governantes puderem e quiserem, fazer o mesmo, já que as empresas citadas têm obras por todo o país e, se montaram um cartel criminoso em São Paulo, é provável que assim tenham agido em outras regiões.

Desde os famosos escândalos das pedras preciosas, do metro de estrada transformado em banquete, do vazamento de informações econômicas privilegiadas a apaniguados do poder, dos sanguessugas e do próprio mensalão onde, mesmo condenados, os participantes ainda estão impunes, o povo só tem motivos para reprovar o comportamento dos políticos. Eles bombardeiam a opinião pública com as denúncias e depois esquecem tudo.

O denunciado, por interesse, também não costuma reagir à altura e tudo acaba em “pizza”. Se o processo de Alckmin for à frente, será um marco na historia da administração pública e da democracia brasileira. E, finalmente, se ficar provado que as empresas agiram em cartel, todas terão, obrigatoriamente, de se ser banidas do país por falta de idoneidade. É assim que se muda o Brasil...

* Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves - dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo).
 



As histórias que o padre conta

“Até a metade vai parecer que irá dar errado, mas depois dá certo!”

Autor: Dimas Künsch


Vulnerabilidades masculinas: o tema proibido

É desafiador para mim escrever sobre este tema, já que sou um gênero feminino ainda que com certa energia masculina dentro de mim, aliás como todos os seres, que tem ambas as energias dentro de si, feminina e masculina.

Autor: Viviane Gago


Entre o barril de petróleo e o de pólvora

O mundo começou a semana preocupado com o Oriente Médio.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Nome comum pode ser bom, mas às vezes complica!

O nosso nome, primeira terceirização que fazemos na vida, é uma escolha que pode trazer as consequências mais diversas.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


A Cilada do Narcisista

Nelson Rodrigues descrevia em suas crônicas as pessoas enamoradas de si mesmas com o termo: “Ele está em furioso enamoramento de si mesmo”.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Brasil, amado pelo povo e dividido pelos governantes

As autoridades vivem bem protegidas, enquanto o restante da população sofre os efeitos da insegurança urbana.

Autor: Samuel Hanan


Custos da saúde aumentam e não existe uma perspectiva que possa diminuir

Recente levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indica que os brasileiros estão gastando menos com serviços de saúde privada, como consultas e planos de saúde, mas desembolsando mais com medicamentos.

Autor: Mara Machado


O Renascimento

Hoje completa 2 anos que venci uma cirurgia complexa e perigosa que me devolveu a vida quase plena. Este depoimento são lembranças que gostaria que ficasse registrado em agradecimento a Deus, a minha família e a vários amigos que ficaram ao meu lado.

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


Argentina e Venezuela são alertas para países que ainda são ricos hoje

No meu novo livro How Nations Escape Poverty, mostro como as nações escapam da pobreza, mas também tenho alguns comentários sobre como países que antes eram muito ricos se tornaram pobres.

Autor: Rainer Zitelmann


Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


De quem é a América?

Meu filho tinha oito anos de idade quando veio me perguntar: “papai, por que os americanos dizem que só eles vivem na América?”.

Autor: Leonardo de Moraes