Portal O Debate
Grupo WhatsApp

China, responsável pelo coronavírus

China, responsável pelo coronavírus

20/03/2020 Julio César Cardoso

O presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM-RJ), equivoca-se redondamente ao tentar amenizar as críticas ao governo chinês, responsável direto pela calamidade do coronavírus no mundo.

O deputado muitas vezes extrapola as suas limitações  de alçada como  um dos chefes do Poder Legislativo - para se comportar como se fosse o próprio presidente da República.

O deputado Rodrigo Maia não tem competência constitucional para pedir desculpas às autoridades chinesas. Isso caberia ao chefe do Executivo, se fosse necessário.

O parlamentar devia se colocar no lugar  daqueles que foram mortos ou estão sendo atingidos pelo coronavírus e se filiar aos que desejam indenização do governo chinês pelo grande mal que está  causando ao país e ao mundo.

É inaceitável a censura do deputado Rodrigo Maia às críticas corretíssimas de Eduardo Bolsonaro, que teve a coragem de chamar à responsabilidade o governo chinês.

Vamos deixar de hipocrisia e frouxidão. Afinal, não é nenhuma inverdade que a China é a verdadeira culpada pela pandemia do coronavírus. Portanto, ela tem de pagar pelas mortes, pelos doentes e pelos prejuízos causados aos países.

Na contramão do posicionamento do deputado Rodrigo Maia, leiam o artigo do Brasil Agora: "O deputado Jim Banks (R-IN) declarou, nesta segunda-feira (16), que os Estados Unidos deveriam começar a forçar a China a “pagar a carga e o custo incorridos” devido ao coronavírus de Wuhan.

O congressista do estado da Indiana, EUA, disse durante uma aparição no Tucker Carlson Tonight, da FoxNews, que os EUA deveriam colocar o ônus financeiro, causado pelo coronavírus, à China, e apresentou várias maneiras de fazer isso:

“Precisamos começar forçando a China a pagar a carga e o custo incorridos nos Estados Unidos da América devido ao coronavírus. Eu acho que existem muitas maneiras de fazer isso”, disse Banks.

Ele continuou:

“O presidente poderia forçar a China a aliviar grande quantidade de dívida americana. Ele poderia instituir tarifas à China e designar as verbas para um fundo de auxílio às vítimas de coronavírus para pagar os custos incorridos aos americanos e aos contribuintes, devido à negligência da China, que levou à crise que a América está enfrentando.”

Ao ser questionado se ele acredita que o governo Trump seguirá nessa direção, Banks respondeu afirmativamente:

“Espero que sim […]. Não tenho dúvidas de que o presidente Trump fará tudo o que puder para responsabilizar a China pelo que causou aos americanos. A China precisa pagar, e o Congresso trabalhará com membros do governo Trump para decidir a melhor maneira de responsabilizá-los”, acrescentou.

O vírus, que se originou em Wuhan, na China, (omitido por muito tempo pelo governo chinês), já infectou mais de 189.000 pessoas em todo o mundo. Atualmente, o número de casos nos Estados Unidos supera os 5.100 casos."

E mesmo assim, o deputado Rodrigo Maia, do alto de sua empáfia, ainda deseja lamber as botas dos comunistas chineses?

* Júlio César Cardoso

Fonte: Júlio César Cardoso



8 de janeiro

Venho aqui versar a defesa Dos patriotas do “mal”

Autor: Bady Curi Neto


Aborto legal e as idiossincrasias reinantes no Congresso Nacional

A Câmara dos Deputados, em uma manobra pouco ortodoxa do seu presidente, aprovou, nessa semana, a tramitação em regime de urgência do Projeto de Lei nº 1904/2024, proposto pelo deputado Sóstenes Cavalcante (PL-RJ), integrante da ala bolsonarista e evangélica, que altera, sensivelmente, as regras de tratamento do crime de aborto.

Autor: Marcelo Aith


Há solução para as enchentes, mas será que há vontade?

Entre o fim de abril e o início de maio de 2024, a maior tragédia climática da história se abateu sobre o Rio Grande do Sul.

Autor: Alysson Nunes Diógenes


Primeiro semestre: como estão as metas traçadas para 2024?

O que mais escutamos nas conversas é: “Já estamos em junho! E daqui a pouco é Natal!”

Autor: Elaine Ribeiro


Proliferação de municípios, caminho tortuoso

Este é um ano de eleições municipais no Brasil. Serão eleitos 5.570 prefeitos, igual número de vice-prefeitos e milhares de vereadores.

Autor: Samuel Hanan


“Vaquinha virtual” nas eleições de 2024

A campanha para as eleições municipais de 2024 ainda não foi iniciada de fato, mas o financiamento coletivo já está autorizado.

Autor: Wilson Pedroso


Cotas na residência médica: igualdade x equidade

Um grande amigo médico, respeitado, professor, preceptor de Residentes Médicos (com letras maiúsculas), indignado com uma reportagem publicada, em periódico do jornal Estado de São Paulo, no dia 05 do corrente mês, enviou-me uma cópia, requestando que, após a leitura, tecesse os comentários opinativos.

Autor: Bady Curi Neto


O impacto das enchentes no RS para a balança comercial brasileira

Nas últimas semanas, o Brasil tem acompanhado com apreensão os estragos causados pelas enchentes no Rio Grande do Sul.

Autor: André Barros


A força do voluntariado nas eleições

As eleições de 2022 contaram com mais de 1,8 milhão de mesários e mesárias, que trabalharam nos municípios de todo o país. Desse total, 893 mil foram voluntários.

Autor: Wilson Pedroso


A força da colaboração municipal

Quando voltamos nossos olhares para os municípios brasileiros espalhados pelo país, notamos que as paisagens e as culturas são diversas, assim como as capacidades e a forma de funcionamento das redes de ensino, especialmente aquelas de pequeno e médio porte.

Autor: Maíra Weber


As transformações universais que afetam a paz

Recentemente a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP) aprovou projeto proposto pelo governo estadual paulista para a criação de escola cívico-militar.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Por um governo a favor do Brasil

A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos estados, dos municípios e do Distrito Federal, constitui-se em estado democrático de direito e tem como fundamentos a soberania, a cidadania, a dignidade da pessoa humana, os valores sociais do trabalho, da livre iniciativa e do pluralismo político.

Autor: Samuel Hanan