Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Churrascaria é um bom negócio?

Churrascaria é um bom negócio?

26/09/2014 Izaias Berni

Somente a cidade de São Paulo abriga cerca de 500 churrascarias, segundo dados da Associação Brasileira de Gastronomia, Hospedagem e Turismo (Abresi).

Muitos acreditam que esse mercado perdeu espaço no Brasil depois da chegada dos restaurantes japoneses, mas, ainda que a cozinha oriental venha cada vez mais caindo no gosto das pessoas, ninguém dispensa o bom e tradicional cardápio das churrascarias. Há muitos anos à frente de uma indústria que atende esse setor, posso dizer que ele é potencial para o mercado food service.

Uma tendência chamada “sensorialidade e prazer” reforça que esse mercado tende a crescer e ainda é uma boa opção de investimento. Esse movimento significa “prazer em comer” e é isso o que as redes de churrascarias buscam oferecer ao cliente: pratos selecionados, ambiente agradável e atendimento premium. É na churrascaria que famílias se reúnem para celebrar acontecimentos, casais comemoram datas especiais e empresas realizam eventos corporativos.

Participando ativamente desse universo, ressalto que as churrascarias estão atentas ao novo perfil do consumidor e buscam agregar tecnologia em todos os processos de produção e atendimento. Elas estão inserindo em suas cozinhas equipamentos que garantem agilidade, desempenho e segurança no preparo das refeições servidas.

Com novas opções culinárias surgindo e chegando ao país, é necessária muita expertise para se manter firme no cenário gastronômico brasileiro. Mas, assim como o Brasil é diversificado e acolhedor, o mercado food service também é, e, com certeza, há muito espaço para novos negócios associados ao churrasco.

*Izaias Berni é diretor comercial da Cozil, indústria que há 29 anos cria e desenvolve equipamentos para cozinhas profissionais.



Administração estratégica: desafios para o sucesso em seu escritório jurídico

Nos últimos 20 anos o mercado jurídico mudou significativamente.


Qual o melhor negócio: investir em ações ou abrir a própria empresa?

Ser um empresário ou empresária de sucesso é o sonho de muitas pessoas.


Intercooperação: qual sua importância no pós- pandemia?

Nos últimos dois anos, o mundo enfrentou a maior crise sanitária dos últimos 100 anos.


STF e a Espada de Dâmocles

O Poder Judiciário, o Ministério Público e a Polícia Investigativa são responsáveis pela persecução penal.


Lista tríplice, risco ao pacto federativo

Desde o tempo de Brasil-Colônia, a lista tríplice tem sido o instrumento para a nomeação de promotores e procuradores do Ministério Público.


ESG: prioridade da indústria e um mar de oportunidades

Uma pesquisa divulgada recentemente pelo IBM Institute for Business Value mostra que a sustentabilidade tem ocupado um lugar diferenciado no ranking de prioridades de CEOs pelo mundo se comparado a levantamentos anteriores.


Como conciliar negócios e família?

“O segredo para vencer todas as metas e propostas é colocar a família em primeiro lugar.”, diz a co-fundadora da Minucci RP, Vivienne Ikeda.


O limite do assédio moral e suas consequências

De maneira geral, relacionamento interpessoal sempre foi um grande desafio para o mundo corporativo, sobretudo no que tange aos valores éticos e morais, uma vez que cada indivíduo traz consigo bagagens baseadas nas próprias experiências, emoções e no repertório cultural particular.


TSE, STF e a censura prévia

Sabe-se que a liberdade de expressão é um dos mais fortes pilares da democracia.


Sociedade civil e a defesa da democracia

As últimas aparições e discursos do presidente da República vêm provocando uma nova onda de empresários, instituições e figuras públicas em defesa da democracia e do sistema eleitoral no Brasil.


Para além do juramento de Hipócrates: a ética na prática médica

“Passarei a minha vida e praticarei a minha arte pura e santamente. Em quantas casas entrar, fá-lo-ei só para a utilidade dos doentes, abstendo-me de todo o mal voluntário e de toda voluntária maleficência e de qualquer outra ação corruptora, tanto em relação a mulheres quanto a jovens.” (Juramento de Hipócrates).


O sentido da educação

A educação requer uma formação pessoal, capaz de fazer cada ser humano estar aberto à vida, procurando compreender o seu significado, especialmente na relação com o próximo.