Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Coaching: A lição que nós já sabemos de cor

Coaching: A lição que nós já sabemos de cor

14/02/2010 André Girotto

Falar de atendimento ao cliente é algo já muito citado por inúmeros autores, mas o que é pouco falado é que o bom atendimento ao cliente não deve ser apenas para aqueles clientes que compram o nosso serviço diretamente, que são nossos clientes externos, mais sim todos aqueles que de certa forma compram algo de nós, sejam idéias, imagens ou um conceito, com colaboradores e familiares que são nossos clientes internos.

 Para afirmarmos se isso realmente tem sentido fizemos uma pesquisa com um grande grupo de gerentes comerciais e vendedores com as seguintes perguntas.

 1. O que nós queremos dos nossos clientes?
Respostas mais citadas: Confiança Fidelidade Respeito Amizade Regularidade com o nosso produto entre outros.   2. O que nós queremos dos nossos amigos, colegas de empresa e familiares?   Será que gostaríamos de obter tais respostas assim citadas acima?   Vemos então que apesar de existir um ou outro ponto divergente, em geral nossos objetivos de resposta tanto com os clientes externos e internos são praticamente o mesmo.   Esse é um conceito chave, pois para ser um bom coaching e obter de nossos colaboradores bom resultados e conseguir vender a eles nossas idéias e valores devemos entender que eles também são nossos clientes e assim também devemos tratar-los.   Com um cliente nós estamos sempre sorrindo, sempre prontos a ajudar, auxiliando, pró-ativos para as necessidades, estamos sempre dispostos a ouvi-los com atenção e fazer com que eles se sintam importantes. Nos dedicamos em fazer um pós venda de ótima qualidade, monitorando-o após a venda para saber dos resultados, benefícios e satisfação dele em utilizar nossos produtos. Com os clientes externos, somos muito bons e por isso conseguimos ao fazer tudo isso aqueles benefícios citados anteriormente.   Agora o cumulo da loucura é agir totalmente diferente com nossos clientes internos e esperarmos os mesmos resultado.   Já pensaram se descemos algumas broncas, ou constantemente criticássemos os nossos clientes, ou simplesmente não tivéssemos tempo e nem paciência para ouvi-los e se nunca os elogiássemos será que continuaríamos tendo clientes fiéis e comprando constantemente nossos produtos?   Você leitor deve estar pensando “mas aqueles são clientes e dependemos deles para receber nossos salários, por isso fazemos isto, mesmo quando não estamos com vontade”.   Pois é, e se não tivermos apoio, respeito, comprometimento, fidelidade daqueles que estão ao nosso lado, será que também não estamos fadados ao fracasso?   * André Girotto - Diretor da Net Profit Brasil, Trainer e Coaching de gestores e participantes da TOTVS Interior Paulista.



Prisão após condenação em segunda instância

Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 410/18, que deixa clara a possibilidade de prisão após condenação em segunda instância, avança na CCJ da Câmara Federal.


Sou uma péssima professora!

Sou uma péssima professora! Primeiramente, porque ser professor não foi minha primeira escolha de carreira.


As ferramentas tecnológicas e a educação

Os avanços tecnológicos podem estar a serviço da Educação, na medida em que permitem um maior acesso à informação e mais rapidez nas trocas do conhecimento.


Eu, professor

Comecei a dar aulas aos 18 anos. Meus alunos, em um supletivo de bairro, eram todos mais velhos que eu.


Gestão pública é o caminho contra a corrupção

A corrupção é pré-requisito do desenvolvimento, já dizia Gunnar Myrdall, Prêmio Nobel de Economia, em 1974.


Quando a desinformação é menos tecnológica e mais cultural

Cenário é propício para o descrédito de pesquisas, dados, documentos e uma série de evidências de veracidade.


Igualdade como requisito de existência

Na última cerimônia de entrega do EMMY, o prêmio da TV Norte Americana, um ator negro foi premiado, fruto de reconhecimento praticamente unânime de seu trabalho.


Liderança é comunicação, conexão e confiança

Cada dia que passa, percebo que uma boa comunicação e liderança têm total relação com conexão.


“A educação é a arma mais poderosa…” mas para quem?

Tudo o que se cria ou se ensina no mundo tem dois lados. Geralmente as intenções são boas e as pessoas as tornam ruins.


“Golpe do Delivery”

Entregadores usam máquina de cartão para enganar consumidor.


A inclusão educacional e o mês das crianças

O tema da inclusão está na ordem do dia, dominando as agendas no mês das crianças.


A velha forma de fazer política não tem fim

Ser político no Brasil é um grande negócio, uma dádiva caída do céu, visto as grandes recompensas de toda a ordem obtidas pelos políticos.