Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Com coração de pai

Com coração de pai

18/03/2021 Sandro Arquejada

O Papa Francisco, por meio do documento “Patris Corde” proclamou 2021 como o Ano de São José.

Esse documento, cuja tradução significa “Coração de pai”, aborda, justamente, o coração paterno, cheio de amor e acolhimento de São José ao seu filho adotivo, Jesus.

Interessante notar que, em meio aos novos rumos que a humanidade tomou forçosamente, devido à pandemia, muitos homens tiveram que estar mais tempo presente em casa, trabalhando remotamente.

Mesmo que tenha sido por uma obrigação, converteu-se em chance, para o pai estar mais presente na vida dos filhos e da esposa.

Com a revolução industrial, o homem se viu obrigado a sair de sua oficina, sua lavoura, enfim, de seu meio de sustento, que geralmente ficava ao lado ou próximo de sua casa e possibilitava tanto o contato afetivo, como a transmissão de sua profissão aos seus filhos.

Ir para as fábricas, para as cidades, provocou, em muitos casos, o distanciamento dos filhos. Até nessa época, o pai era muito mais presente na vida dos seus rebentos.

No século passado, foram as mulheres que tiveram inserção no mercado de trabalho, provocando outra mudança de comportamento e na sociedade.

Vemos hoje muitos filhos criados pelos avós ou em creches e escolinhas infantis ou simplesmente, pela mãe, que sendo solteira ou mesmo casada, assume sozinha o cuidado das crianças.

Um outro Papa, São João Paulo II, em meados dos anos 80, afirmou que a plenitude do ser masculino está na paternidade.

Ou seja, quando o homem se torna pai, descobre um motivo nobre em sua existência, desde que doe tudo o que ele é e tem, pela vida e pelo bem de alguém indefeso e dependente dele, seu filho.

Nenhum ser humano chega à plenitude de si, a razão de sua existência, sem compreender que fazer o bem ao outro é o verdadeiro motivo de sua vida.

A busca por satisfação e realização de metas próprias são boas, mas nos preenchem até o ponto em que começamos a desejar outro objetivo ainda maior.

A vida dos santos nos ensina que dedicar-se a salvar, proteger e suprir o semelhante traz uma realização que não se compara a nenhuma outra.

Para termos um exemplo, cito o trabalho dos médicos que se voluntariam em países subdesenvolvidos e me pergunto: será que algum deles tem dilemas existenciais em sua alma?

Creio que não, porque quando fazemos o bem sem esperar retribuição, salvamos, primeiramente, a nós mesmos.

Assim também será com um pai e uma mãe que abrem mão de certos confortos para si mesmos, e se dedicam em tempo, à amizade ou ensinando algo a seus filhos, e se esforçam para vê-los felizes.

Esse documento “Patris Corde” tem muito a ensinar, a nós homens, nesse tempo atual. Nem é necessário gerar na carne para colocar isso em prática.

Eis o que disse o Papa Francisco: “A felicidade de José não se situa na lógica do sacrifício de si mesmo, mas na lógica do dom de si mesmo”. Se fizermos por amor, não se torna obrigação ou peso. 

“O mundo precisa de pais”, precisa de Josés que, com coração de pai, acolham, deem de si mesmos aos filhos, às esposas, aos jovens, aos idosos, aos menos favorecidos, enfim, ao próximo!

Aprendamos a ser inspirados por São José em nossas atitudes.

* Sandro Arquejada é missionário da Comunidade Canção Nova.

Para mais informações sobre São José clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Assessoria de Imprensa Canção Nova



Que ingratidão…

Durante o tempo que fui redactor de jornal local, realizei numerosas entrevistas a figuras públicas: industriais, grandes proprietários, políticos, artistas…


Empresa Cooperativa x Empresa Capitalista

A economia solidária movimenta 12 bilhões e a empresa cooperativa gera emprego e riqueza para o país.


O fundo de reserva nos condomínios: como funciona e a forma correta de usar

O fundo de reserva é a mais famosa e tradicional forma de arrecadação extra. Normalmente, consta na convenção o percentual da taxa condominial que deve ser destinado ao fundo.


E se as pedras falassem?

Viver na Terra Santa é tentar diariamente “ouvir” as pedras! Elas “contemplaram” a história e os acontecimentos, são “testemunhas” fiéis, milenares porém silenciosas!


Smart streets: é possível viver a cidade de forma mais inteligente em cada esquina

De acordo com previsões da Organização das Nações Unidas (ONU), mais de 70% da população mundial viverá em áreas urbanas até 2050.


Quem se lembra dos velhos?

Meu pai, quando se aposentou, os amigos disseram: - " Entrastes, hoje, no grupo da fome…"


Greve dos caminhoneiros: os direitos nem sempre são iguais

No decorrer da sua história como república, o Brasil foi marcado por diversas manifestações a favor da democracia, que buscavam uma realidade mais justa e igualitária.


Como chegou o café ao Brasil

Antes de Cabral desembarcar em Porto Seguro – sabem quem é o décimo sexto neto do navegador?


Fake news, deepfakes e a organização que aprende

Em tempos onde a discussão sobre as fake news chega ao Congresso, é mais que propício reforçar o quanto a informação é fundamental para a sustentabilidade de qualquer empresa.


Superando a dor da perda de quem você ama

A morte é um tema que envolve mistérios, e a vivência do processo de luto é dolorosa. Ela quebra vínculos, deixando vazio, solidão e sentimento de perda.


A onda do tsunami da censura

A onda do tsunami da censura prévia, da vedação, da livre manifestação, contrária à exposição de ideias, imagens, pensamentos, parece agigantar em nosso país. Diz a sabedoria popular que “onde passa um boi passa uma boiada”.


O desserviço do senador ao STF

Como pode um único homem, que nem é chefe de poder, travar indefinidamente a execução de obrigações constitucionais e, com isso, impor dificuldades ao funcionamento de um dos poderes da República?