Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Com quem fica o piano?

Com quem fica o piano?

20/10/2010 Celso Fernandes

TEVÊ À MANIVELA(Que diabos, Pitágoras tinha ou não “nós” nos dedos...)

A piada pode ser meio que sem graça, mas que contada de trás para diante talvez cause algum novo tipo de efeito. Agora, quanto aquela outra do nosso incansável “colecionador de palanques” seja lá motivo de aplausos em uma outra categoria, cabe ao consumidor.

Para quem não viu o mesmo em recente horário político eleitoral, com sua idolatrada sucessora, mais deu a impressão de programa “De Frente com Gabi”, no SBT. (Como, se eu falei em aborto? Negativo. Nada de aborto, afinal, temos tantas leis para serem legalizadas).

Lembre-se, estamos em campanha para debater um outro tipo de assunto. O que não se fez antes, tal a corrupção combatida nunca antes nesse país... Isso tudo todo mundo já ouviu. E se não ouviu, melhor que mude no aparelho auditivo.

E alto lá! Quem já levou – na boa soma de votos dia 3 p.p. – não leva mais. Anote que em pouco vamos ter a “Câmara dos Artistas” versão 2011. Nada de BBB´s na réplica do Pedro Bial, pererecas soltas na Fazenda 3, glu-glu-glus briguentos do Sérgio Malandro etc., coisa e tal.

Vamos ter, isto sim, aqueles que irão bater uma bola, ops, nas horas de folga no Senado. Atletismo dos bons aposentados no “pimba na gorduchinha”, bem como de alguns personagens mais hilários saídos da “Escolinha do Professor Raimundo” para animar a festa.

Portanto, se a “voz do novo político é a voz do povo...”, por que não acrescentar um título a mais por aqui em nome da nossa santa malvadeza em questão? ´´Everardo, um brasileiro``. Graduado a categoria de Vossa Excelência por direito adquirido e ponto final.

E não vamos esquecer do bordão da infielmente tua ´´Florentina`` a ser ensaiado a cada sessão extraordinária em tão honrada Casa. Muito pelo que, no óbvio do assunto, se para um bom entendedor meia palavra basta, eis a questão. (eu falei em aborto?, pudera, vou dar ´´Luz para Todos``). Risco de apagão, por hora, é só no Palácio de Beakman, de 600 quartos, que a Rainha Elizabeth resolveu pindurar as contas.

Uma vez que a cúpula está reformada, como não entrei nesse pacote (do tipo saldão 50% Off politicamente correto), ´´si`` eleito, na próxima gestão, não só vou criar o ´´bolsa conversa-fiada``, como também vou ampliar o ´´bolsa risada``. (Ora, dia destes não falaram em ´´Lei da Felicidade``?). Eles criam tudo! This is amazing... (esto es increíble!). E Tiririca neles! Se o palhaço não souber, que venha o quadro-negro, giz, apagador e a boa e inesquecível professora Manuela, que lembro desde pequenininho. E que nessa onda de ´´promessas-marolinhas`` todas, em meio a lei do ´´relaxa e goza`` (pois a Marta não está morta, sic) há os mais adeptos e simpatizantes de partido do naipe da ´´(es)quadrilha da fumaça`` que apostam na criação do Aerodilma – com D. (®) – a sair voando sobre as torres de Absulândia Brazilian Now! Claro, ao lado daquela outra não menos famosa aeronave, o Aerolula. Sucatear ou vender para a coleta seletiva isso não pode.

Se a ordem é viajar, viajar, na lua jogamos até bumerangue.! Voe D. (®). Voe L. Antes que sucateiem, repetimos, que o meu piloto automático sumiu! Abre aspas. ´´Imaginem só o paradigma, ops, (gastei) anos/luz que o Palhaço ´´2222``, vulgo da Silva (que conquistou 1.353.820 votos) não vai levar para soletrar sobre a nossa ´´sustentabilidade insustentável`` em plenário. Não querendo desmerecer aqui os méritos de ninguém, que fique bem grifado. Sou Federal, minha gente!``. Fecha aspas.

A propósito, com tanta evolução, tecnologia de ponta, maquetes tão-bem montadas para se levar na lábia qualquer eleitor ainda no ´´filódromo`` do ´´fome (quase) zero``, vamos aperfeiçoar ainda o político-virtual. Igual àqueles figurantes das novelas globais que só Confirmam, Anulam ou passam em Branco a cada capítulo será por falta de opção. Em 3D vai ser o máximo! Porém, desse fardo não quero carregar porque o meu bico de papagaio não aguenta mais. Efeito cascata, dominó, essas coisas (idem) não pode.

Ou não foi o pai Aristóteles – o GRANDE filósofo Aristóteles! – que postulou para lição de muitos: ´´Nós somos aquilo que fazemos repetidamente. Excelência, então, não é um modo de agir, mas um hábito``. Entretanto, fico mais é com o logro das mãos à palmatória do matemático Pítagoras que tinha mania de contar tudo na ponta dos dedos, menosprezando as calculadoras de bolso, aquelas produzidas made in Paraguay! E que diabos, nascido ele em Samos, tinha que morrer justamente numa terra batizada de Mataponto? Olheiras de burro, vá lá! Engolir sapos, bom...

Maybe, maybe! Abortar, abortar, PtCâmbio! Abortar...

– Querida, a minha bolsa também estourou. Com quem fica o piano?

PS.: Na Terra do Nunca – e não tem nada a ver com a fada Sininho nem muito menos com o líder Peter Pan – combatendo-se tanta corrupção desse jeito, bem nesse finalzinho de ´´´guverno``, será que ainda dá tempo para mais um escândalo à lá Erenice Guerra? Claro, por precaução e medida de segurança, estas breves e mal rebocadas palavras foram devidamente monitoradas.

* Celso Fernandes - Jornalista, poeta e escritor, autor de “As duas faces de Laura”, “O Sedutor”, “Sonho de Poeta” (Ed. Edicon), entre outros. Colunista de Moda, Cultura & TV, escreve semanalmente em jornais, revistas e sites relacionados às áreas.

Blog: Moda Rouge Batom



Brasil, amado pelo povo e dividido pelos governantes

As autoridades vivem bem protegidas, enquanto o restante da população sofre os efeitos da insegurança urbana.

Autor: Samuel Hanan


Custos da saúde aumentam e não existe uma perspectiva que possa diminuir

Recente levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indica que os brasileiros estão gastando menos com serviços de saúde privada, como consultas e planos de saúde, mas desembolsando mais com medicamentos.

Autor: Mara Machado


O Renascimento

Hoje completa 2 anos que venci uma cirurgia complexa e perigosa que me devolveu a vida quase plena. Este depoimento são lembranças que gostaria que ficasse registrado em agradecimento a Deus, a minha família e a vários amigos que ficaram ao meu lado.

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


Argentina e Venezuela são alertas para países que ainda são ricos hoje

No meu novo livro How Nations Escape Poverty, mostro como as nações escapam da pobreza, mas também tenho alguns comentários sobre como países que antes eram muito ricos se tornaram pobres.

Autor: Rainer Zitelmann


Como a integração entre indústria e universidade pode trazer benefícios

A parceria entre instituições de ensino e a indústria na área de pesquisa científica é uma prática consolidada no mercado que já rendeu diversas inovações em áreas como TI e farmacêutica.

Autor: Thiago Turcato


Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


De quem é a América?

Meu filho tinha oito anos de idade quando veio me perguntar: “papai, por que os americanos dizem que só eles vivem na América?”.

Autor: Leonardo de Moraes


Como lidar com a dura realidade

Se olharmos para os acontecimentos apresentados nos telejornais veremos imagens de ações terríveis praticadas por pessoas que jamais se poderia imaginar que fossem capazes de decair tanto.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


O aumento da corrupção no país: Brasil, que país é este?

Recentemente, a revista The Economist, talvez a mais importante publicação sobre a economia do mundo, mostrou, um retrato vergonhoso para o Brasil no que diz respeito ao aumento da corrupção no país, avaliação feita pela Transparência Internacional, que mede a corrupção em todos os países do mundo.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins


O voto jovem nas eleições de 2024

O voto para menores de 18 anos é opcional no Brasil e um direito de todos os adolescentes com 17 ou 16 anos completos na data da eleição.

Autor: Wilson Pedroso


Um novo e desafiador ano

Janeiro passou. Agora, conseguimos ter uma ideia melhor do que 2024 reserva para o setor de telecomunicações, um dos pilares mais dinâmicos e relevante da economia.

Autor: Rafael Siqueira