Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Com tarifas mais baratas haverá investimento na telefonia móvel?

Com tarifas mais baratas haverá investimento na telefonia móvel?

26/06/2014 Dane Avanzi

Com o intuito de tirar o Brasil do topo do ranking dos países das tarifas mais caras do mundo, segundo dados da UIT, a Anatel aprovou semana passada uma proposta para reduzir os valores das ligações de celulares entre operadoras diferentes.

Segundo o texto da norma, até 2019, o Valor de Remuneração de Uso de Rede da Telefonia Móvel deverá ser reduzido em mais de 90%, passando dos atuais R$ 0,23 para R$ 0,02. O Valor de Remuneração de Uso de Rede da Telefonia Móvel é o valor que as operadoras de celular pagam para usar as redes umas das outras.


Com a medida, a Anatel espera que os preços das ligações entre operadoras diferentes fiquem mais próximos dos preços cobrados para chamadas entre usuários da mesma operadora e também de fixo para móvel, uniformizando a tarifação e criando um ambiente de maior concorrência. Hoje, com o intuito de economizar, muitos brasileiros possuem vários planos para poderem usufruir das promoções de todas as operadoras, especialmente daquelas que oferecem chamadas gratuitas entre clientes da mesma operadora.

Em breve, o consumidor não precisará mais utilizar desse subterfúgio para economizar. De um modo geral, a norma beneficia os consumidores. Entretanto, a Anatel deve continuar pressionando as operadoras para que haja mais investimentos em qualidade e infraestrutura para não cairmos no “ganha mas não leva”. O efeito colateral que pode advir dessa medida é a queda da qualidade do serviço - que já é sofrível nas grandes cidades, especialmente em horários de pico. Hoje mesmo assisti um comercial da operadora OI que ofertava chamadas ilimitadas a 10 centavos ao dia, com limite de 30 minutos.

Após os 30 minutos a tarifa sobe para R$ 1,65. Ora, na prática quem consegue controlar se falou 30 minutos no dia?! Claro está o fito de ludibriar o consumidor. A Anatel, que outrora impediu na Justiça que a TIM, recém multada, lançasse uma promoção de 50 centavos ao dia, permitirá essa de 10 centavos? A operadora em questão é líder nacional de reclamações no Procon, sendo a principal razão de reclamação valores indevidos. Alguns pacotes ofertados prometem a concessão de bônus vinculados à compra de créditos.

Muitos consumidores compram os créditos, mas não são bonificados. Esse estelionato em massa vem ocorrendo há meses, sob o olhar tácito das autoridades da Anatel e Ministério Público. Quando o consumidor brasileiro será tratado com respeito? Enquanto isso, nos EUA a T-Mobile, quarta maior operadora do país, em atitude inédita, anuncia um test-drive para consumidores experimentarem o serviço de 4G recém inaugurado, por uma semana com chip ativado em Iphone 5S.

Quanto tempo teremos que esperar para que uma de nossas operadoras tenha suficiente confiança em sua própria rede para ofertar uma promoção como essa? Pelo andar da carruagem, não será logo.

*Dane Avanzi é vice-presidente da Aerbras, diretor superintendente do Instituto Avanzi, advogado especializado em telecomunicação e autor dos livros “Radiocomunicação digital: sinergia e produtividade” e “Como gerenciar projetos”.



Proliferação de municípios, caminho tortuoso

Este é um ano de eleições municipais no Brasil. Serão eleitos 5.570 prefeitos, igual número de vice-prefeitos e milhares de vereadores.

Autor: Samuel Hanan


“Vaquinha virtual” nas eleições de 2024

A campanha para as eleições municipais de 2024 ainda não foi iniciada de fato, mas o financiamento coletivo já está autorizado.

Autor: Wilson Pedroso


Cotas na residência médica: igualdade x equidade

Um grande amigo médico, respeitado, professor, preceptor de Residentes Médicos (com letras maiúsculas), indignado com uma reportagem publicada, em periódico do jornal Estado de São Paulo, no dia 05 do corrente mês, enviou-me uma cópia, requestando que, após a leitura, tecesse os comentários opinativos.

Autor: Bady Curi Neto


O impacto das enchentes no RS para a balança comercial brasileira

Nas últimas semanas, o Brasil tem acompanhado com apreensão os estragos causados pelas enchentes no Rio Grande do Sul.

Autor: André Barros


A força do voluntariado nas eleições

As eleições de 2022 contaram com mais de 1,8 milhão de mesários e mesárias, que trabalharam nos municípios de todo o país. Desse total, 893 mil foram voluntários.

Autor: Wilson Pedroso


A força da colaboração municipal

Quando voltamos nossos olhares para os municípios brasileiros espalhados pelo país, notamos que as paisagens e as culturas são diversas, assim como as capacidades e a forma de funcionamento das redes de ensino, especialmente aquelas de pequeno e médio porte.

Autor: Maíra Weber


As transformações universais que afetam a paz

Recentemente a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP) aprovou projeto proposto pelo governo estadual paulista para a criação de escola cívico-militar.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


Por um governo a favor do Brasil

A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos estados, dos municípios e do Distrito Federal, constitui-se em estado democrático de direito e tem como fundamentos a soberania, a cidadania, a dignidade da pessoa humana, os valores sociais do trabalho, da livre iniciativa e do pluralismo político.

Autor: Samuel Hanan


Coração de Stalker

Stalking vem do Inglês e significa Perseguição. Uma perseguição obsessiva, implacável, com envolvimento amoroso e uma tentativa perversa de controle.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Na crise, informação

“Na gestão da crise, é muito importante a informação.” Com esta sentença afirmativa, o governador do Rio Grande do Sul abriu sua participação no Roda Viva, da TV Cultura.

Autor: Glenda Cury


Hiperconectividade: desafio ou poder da geração Alpha?

Qual adulto diante de um enigma tecnológico não recorreu ao jovem mais próximo? Afinal, “eles já nasceram com o celular!”.

Autor: Jacqueline Vargas


Governar não é negar direitos para distribuir favores

Ao se referir a governos, o economista e escritor norte-americano Harry Browne (1917/1986) disse que o governo é bom em uma coisa.

Autor: Samuel Hanan