Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Comemoração do desaforo

Comemoração do desaforo

28/02/2010 Nicolau Amaral

A pedido de um senador do PT, o Senado teve no último dia 8 de fevereiro uma sessão especial para lembrar o Dia Nacional do Aposentado, que é comemorado em 24 de janeiro, ocasião em que os nossos representantes estavam em recesso, ou melhor, fazendo absolutamente nada de importante — como se fizessem alguma coisa digna durante todo o ano.

Comemorar o quê, pergunto eu? Só se for a desgraça que se tornou a vida dos aposentados que ganham acima de um salário mínimo neste país. Segundo um senador, o mesmo que propôs esta “linda homenagem”, a perda acumulada de aposentadorias e pensões foi de 78,84% no período compreendido entre 2004 a 2009. Será que os que decidem a nossa vida conseguiriam viver com meros 21,16% do que imaginavam e do que fora acordado receber após tanto tempo trabalhado? Claro que não, este pensamento é coisa de gente mixa, como nós aposentados nos tornamos e que só servimos para reclamar e exigir o que nos é de direito.

Fomos enganados, tungados e roubados por um bando que resolveu economizar sobre o que é nosso para sobrar um pouco mais para eles próprios fazerem suas políticas assistencialistas — estratégia de marketing político às nossas custas.

A expectativa de vida está aumentando, a taxa de nascimento hoje está praticamente negativa, muito em razão do alto custo de vida e da falta de planejamento do governo, que não garante educação, saúde e segurança, que acabam sendo bancadas por todos nós brasileiros. Portanto, o que fazer para se garantir um futuro com um pouco da dignidade que imaginávamos ter, com uma aposentadoria merecida, não nababesca, mas que iria pelo menos garantir uma certa independência? Não estou pensando só em quem se aposentou, preocupo-me também com os jovens que estão entrando agora no mercado de trabalho, bem como aqueles que já estão no meio de suas vidas profissionais e que vivem as dificuldades do desemprego, do subemprego e dos salários cada vez mais achatados em virtude dos escorchantes impostos, a maior carga tributária do mundo, que só serve para pagar os que se encastelaram no poder, ou como virou moda neste atual governo, para ajudar países com problemas, como se no nosso estivesse tudo em ordem.

As eleições estão se aproximando e só faltam nove meses para darmos o troco naqueles que se elegeram prometendo e que não cumpriram suas promessas. Somos nove milhões de aposentados recebendo acima do salário mínimo e nas urnas vamos dar o troco a quem nada fez por nós. Não vamos reeleger ninguém!

* Nicolau Amaral é empresário da área de Comunicação - [email protected]

Blog



O Renascimento

Hoje completa 2 anos que venci uma cirurgia complexa e perigosa que me devolveu a vida quase plena. Este depoimento são lembranças que gostaria que ficasse registrado em agradecimento a Deus, a minha família e a vários amigos que ficaram ao meu lado.

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


Argentina e Venezuela são alertas para países que ainda são ricos hoje

No meu novo livro How Nations Escape Poverty, mostro como as nações escapam da pobreza, mas também tenho alguns comentários sobre como países que antes eram muito ricos se tornaram pobres.

Autor: Rainer Zitelmann


Como a integração entre indústria e universidade pode trazer benefícios

A parceria entre instituições de ensino e a indústria na área de pesquisa científica é uma prática consolidada no mercado que já rendeu diversas inovações em áreas como TI e farmacêutica.

Autor: Thiago Turcato


Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


De quem é a América?

Meu filho tinha oito anos de idade quando veio me perguntar: “papai, por que os americanos dizem que só eles vivem na América?”.

Autor: Leonardo de Moraes


Como lidar com a dura realidade

Se olharmos para os acontecimentos apresentados nos telejornais veremos imagens de ações terríveis praticadas por pessoas que jamais se poderia imaginar que fossem capazes de decair tanto.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


O aumento da corrupção no país: Brasil, que país é este?

Recentemente, a revista The Economist, talvez a mais importante publicação sobre a economia do mundo, mostrou, um retrato vergonhoso para o Brasil no que diz respeito ao aumento da corrupção no país, avaliação feita pela Transparência Internacional, que mede a corrupção em todos os países do mundo.

Autor: Ives Gandra da Silva Martins


O voto jovem nas eleições de 2024

O voto para menores de 18 anos é opcional no Brasil e um direito de todos os adolescentes com 17 ou 16 anos completos na data da eleição.

Autor: Wilson Pedroso


Um novo e desafiador ano

Janeiro passou. Agora, conseguimos ter uma ideia melhor do que 2024 reserva para o setor de telecomunicações, um dos pilares mais dinâmicos e relevante da economia.

Autor: Rafael Siqueira


Desafios da proteção de dados e a fraude na saúde

Segundo o Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) R$ 34 bilhões dos gastos das operadoras médico-hospitalares com contas e exames, em 2022, foram consumidos indevidamente por fraudes, como, por exemplo, reembolso sem desembolso, além de desperdícios com procedimentos desnecessários no país.

Autor: Claudia Machado


Os avanços tecnológicos e as perspectivas para profissionais da área tributária

Não é de hoje que a transformação digital vem impactando diversas profissões.

Autor: Fernando Silvestre