Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Como aplicar a arte da guerra aos negócios

Como aplicar a arte da guerra aos negócios

26/09/2017 Chinghua Tang

Hoje em dia, podemos prontamente aplicar a arte da guerra ao mundo dos investimentos.

Um dos livros sobre estratégia militar mais importantes da história, o clássico “A Arte da Guerra”, de Sun Tzu, marcou gerações de líderes em todo o mundo. Suas táticas influenciaram governantes ocidentais e orientais e, até hoje, são utilizadas por empresários e estrategistas modernos.

A obra é também uma das principais influências do imperador Tang Taizong, responsável por transformar a China no maior e mais poderoso país do mundo. Herdeiro dessa tradição, o imperador se utilizou das estratégias de Sun Tzu para combater inimigos durante a Dinastia Tang (618-907), saudada por historiadores como a época de ouro do país.

Trazidos para os dias atuais, os princípios da arte da guerra que Taizong utilizou podem ser aplicados a qualquer tipo de conflito ou atividade competitiva, seja um torneio esportivo, uma batalha jurídica, uma campanha política ou a competição nos negócios.

Entre os ensinamentos deixados por Taizong, um dos mais importantes é a necessidade de conhecer profundamente a si mesmo, assim como saber identificar os pontos fortes e as fraquezas de seus inimigos. O imperador costumava dizer que um grande líder deve saber dominar as suas fraquezas e controlar os seus desejos, para evitar a confusão da mente.

Por isso, é necessário adquirir autoconhecimento por meio do autoexame e da observação de outras pessoas. Entender as táticas de seu concorrente, portanto, é útil para traçar os próprios planos e mudar as estratégias, quando necessário. Entre as razões de sucesso da dinastia Tang também estão a sabedoria e o caráter excepcional de Taizong, que soube aproveitar as melhores oportunidades para agir, perdoou seus antigos inimigos, recrutou homens capazes e manteve a prática da sinceridade em seu governo.

Para isso, ele estabeleceu uma ligação emocional com seus soldados, aprendeu a ouvir os outros, incentivou a transparência e puniu quando necessário. Hoje em dia, por exemplo, podemos prontamente aplicar a arte da guerra ao mundo dos investimentos, no qual os princípios fundamentais são, primeiramente, não perder dinheiro; depois, tentar obter ganhos escolhendo os momentos adequados para agir.

Para obter a vitória – ou seja, ter um lucro superior a longo prazo –, o líder precisa exercitar a disciplina e o autocontrole.

* Chinghua Tang fez graduação na London School of Economics e foi o primeiro chinês a conseguir um MBA em Harvard.



Liderança desengajada é obstáculo para uma gestão de mudanças eficaz

O mundo tem experimentado transformações como nunca antes, impulsionadas por inovações tecnológicas, crises econômicas e transições geracionais, dentre outros acontecimentos.

Autor: Francisco Loureiro


Neoindustrialização e a nova política industrial

Com uma indústria mais produtiva e competitiva, com equilíbrio fiscal, ganha o Brasil e a sociedade.

Autor: Gino Paulucci Jr.


O fim da ‘saidinha’, um avanço

O Senado Federal, finalmente, aprovou o projeto que acaba com a ‘saidinha’ (ou ‘saidão’) que vem colocando nas ruas milhares de detentos, em todo o país, durante os cinco principais feriados do ano.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Brasil e a quarta chance de deixar a população mais rica

O Brasil é perseguido por uma sina de jogar fora as oportunidades. Sempre ouvimos falar que o Brasil é o país do futuro. Um futuro que nunca alcançamos. Vamos relembrar as chances perdidas.

Autor: J.A. Puppio


Dia Bissexto

A cada quatro anos, a humanidade recebe um presente – um presente especial que não pode ser forjado, comprado, fabricado ou devolvido – o presente do tempo.

Autor: Júlia Roscoe


O casamento e a política relacional

Uma amiga querida vem relatando nas mesas de boteco a saga de seu filho, que vem tendo anos de relação estável com uma moça, um pouco mais velha, que tem uma espécie de agenda relacional bastante diferente do rapaz.

Autor: Marco Antonio Spinelli


O que esperar do mercado imobiliálio em 2024

Após uma forte queda em 2022, o mercado imobiliário brasileiro vem se recuperando e o ano de 2023 mostrou este avanço de forma consistente.

Autor: Claudia Frazão


Brasileiros unidos por um sentimento: a descrença nacional

Um sentimento – que já perdura algum tempo, a propósito - toma conta de muitos brasileiros: a descrença com o seu próprio país.

Autor: Samuel Hanan


Procurando o infinito

Vocês conhecem a história do dragãozinho que procurava sem parar o infinito? Não? Então vou te contar. Era uma vez….

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


A reforma tributária é mesmo Robin Hood?

O texto da reforma tributária aprovado no Congresso Nacional no fim de dezembro encerrou uma novela iniciada há mais de 40 anos.

Autor: Igor Montalvão


Administrar as cheias, obrigação de Governo

A revolução climática que vemos enfrentando é assustadora e mundial. Incêndios de grandes proporções, secas devastadoras, tempestades não vistas durante décadas e uma série de desarranjos que fazem a população sofrer.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Escravidão Voluntária

Nossa única revolução possível é a da Consciência. Comer com consciência. Respirar com consciência. Consumir com consciência.

Autor: Marco Antonio Spinelli