Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Como prever o futuro

Como prever o futuro

31/01/2013 Paulo Salvador Ribeiro Perrotti

Precisamos encarar a realidade: simplesmente não sabemos prever o futuro. Erram grosseiramente nas suas previsões desde economistas famosos até consultorias internacionais em várias áreas.

Logicamente, precisamos ouvir tudo o que pudermos ouvir, exercitar metodicamente o planejamento, mas precisamos reconhecer que, novamente, não sabemos prever o futuro. Ninguém sabe e nem pode saber. Quem afirmar que pode prever ou montar um complexo modelo estatístico de forecast é ingênuo ou picareta.

Então, o que nos resta? Precisamos proteger nossas empresas e nosso patrimônio contra um futuro absolutamente desconhecido. A resposta é simples: reforçar paranoicamente o caixa e adiantar todas as ações que pudermos adiantar, reforçando o caixa imaginário do tempo. Só lidamos com dois recursos: dinheiro e tempo. Precisamos tê-los em estoque! Estocar dinheiro e tempo sempre foi um excelente conselho e não consta nos anais quem se arrependeu de ter dinheiro ou tempo em excesso. 
Como você estoca dinheiro? Bem, leia meus outros 500 artigos e verá que o tema é recorrente. Como você estoca tempo? Leia os mesmos artigos e verá que o tema também é frequente. Adiante o cronograma e reduza custos de forma obstinada, cruel, metódica, como se o mundo fosse acabar amanhã, como se sua empresa fosse quebrar depois de amanhã. 
Seja paranóico e determinado na estocagem de tempo e de dinheiro. Planeje o que puder e toque a vida em frente. Você precisa acertar entre 50 a 60 % do seu plano e os outros 40 % (as surpresas) você “tira de letra” com seu estoque de caixa e de tempo. É assim! O resto é poesia, complicação desnecessária e preguiça.
Ah, e não se esqueça de acompanhar semanalmente as vendas (ou até diariamente) e os seus planos de ação. 
* Paulo Ricardo Mubarack é diretor da Mubarack Consultoria



Onde está a boa educação?

Outrora, o idoso, era respeitado no local de trabalho e na sociedade.


Saneamento básico no Brasil

A infraestrutura que não chega ao esgoto.


Em novos tempos deve-se ter novas práticas

Na Capital fala-se muito em Menos Brasília, Mais Brasil.


Espiritualidade e alegria junina

Junho traz festas de três santos católicos: Antônio, casamenteiro. São João, profeta precursor de Jesus e São Pedro, único apóstolo que caminhou sobre as águas.


Missão do avô

Na família os avós são conselheiros dos pais e dos netos.


A importância das relações governamentais e institucionais

As relações governamentais e institucionais têm sido um instrumento de alta relevância para qualquer organização no atual momento político brasileiro.


Namoro na adolescência: fato ou fake?

O início da adolescência coincide com o final do Ensino Fundamental, fase em que desabrocham as paixões e, com elas, o convite: “quer namorar comigo?”.


Autobiografias: revelações das experiências em família

A curiosidade de muitas pessoas sobre a (auto) biografia de personalidades tem se tornado cada vez mais crescente, nos últimos anos.


What a wonderful world

Louis Daniel Armstrong foi um cantor e instrumentista nascido na aurora do século 20, e foi considerado “a personificação do jazz”.


A violência doméstica

Em Portugal, desde o início do ano, apesar de se combater, por todos os meios, a violência na família, contam-se já mais de uma dezena de mulheres, assassinadas.


O desrespeito ao teto constitucional e o ativismo judicial

O ativismo do Executivo e do Judiciário está “apequenando” o Legislativo.


Indicadores e painéis urbanos aliados à administração pública

A cidade com fatos visualizados está remodelando a forma como os cidadãos e gestores vêm a conhecê-la e governá-la.