Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Como reerguer as empresas da Região Serrana

Como reerguer as empresas da Região Serrana

27/02/2011 Marcos Morita

São inúmeros os desafios a serem vencidos pelos moradores da região serrana do Rio de Janeiro, vítima de uma das maiores tragédias ambientais do Brasil. Centenas de empresas foram afetadas em maior ou menor grau pela tragédia: telefones mudos, caminhos intransitáveis, perda de matérias-primas, máquinas e produtos destruídos.

Conforme pesquisa da FIRJAN (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro), mais de 60% das empresas tiveram suas atividades afetadas, com prejuízos na casa dos 150 milhões de reais.

Pacotes de ajuda serão implantados pelo governo para amenizar a situação dos empresários, seja através de taxas mais competitivas ou valores disponíveis para financiamento. Parcerias e acordos estão sendo firmados com bancos e organismos nacionais e internacionais.

Considerando apenas Nova Friburgo, a cidade mais castigada pelas chuvas, são quase mil pequenas e médias empresas produtoras de moda íntima, responsáveis por mais de 20 mil postos de trabalho.

Diante de tantos desafios, listo abaixo alguns pequenos conselhos que poderão ser úteis na retomada das atividades.

- Fluxo de Caixa: faça uma revisão do capital de giro, incluindo as despesas para a retomada das atividades. Dê prioridade àquelas relacionadas às atividades produtivas: infraestrutura, máquinas e matérias-primas.

- Fornecedores: renegocie eventuais perdas com matérias-primas, fornecimento de lotes menores ou fracionados, devoluções, entregas programadas e compras futuras. Qualquer prazo ou condição especial ajudará a colocar o estoque e as contas em ordem.

- Clientes: avalie a carteira de pedidos versus o prazo médio de retomada das atividades. Classifique-os através de uma curva ABC, avaliando-os conforme faturamento, margens e frequência de compras. Agende reuniões com os principais parceiros, propondo alternativas de contorno às entregas.

- Parcerias: o networking (rede de relacionamentos) será fundamental nesta hora. A troca de favores deve ser a tônica neste momento, seja diretamente ou através de associações ou cooperativas. Compartilhamento de matérias-primas, transportes, funcionários e sublocação de máquinas e equipamentos são algumas possibilidades.

- Clima organizacional: Tão importante quanto o ambiente interno devem ser as preocupações com o bem estar dos colaboradores, afetados direta ou indiretamente pela tragédia. Avalie as situações mais delicadas, oferecendo ajuda ou mesmo um afastamento temporário das atividades. Criar um programa interno é também uma boa iniciativa.

Enfim, tão importante quanto reerguer as cidades, casas, estradas, pontes e atrações turísticas demonstradas à exaustão nos noticiários noturnos, está a retomada das atividades econômicas, severamente castigadas. Ao contrário da solidariedade de milhares de brasileiros envolvidos na reconstrução e envio de bens de primeira necessidade, os concorrentes estão à espreita, esperando eventuais brechas que porventura sejam deixadas pelas empresas da região. É preciso força de vontade e sabedoria para fazer tudo voltar a funcionar outra vez.

* Marcos Morita - É mestre em Administração de Empresas e professor da Universidade Mackenzie. Especialista em estratégias empresariais, é colunista, palestrante e consultor de negócios. Há mais de quinze anos atua como executivo em empresas multinacionais. - E-mail: [email protected]



As histórias que o padre conta

“Até a metade vai parecer que irá dar errado, mas depois dá certo!”

Autor: Dimas Künsch


Vulnerabilidades masculinas: o tema proibido

É desafiador para mim escrever sobre este tema, já que sou um gênero feminino ainda que com certa energia masculina dentro de mim, aliás como todos os seres, que tem ambas as energias dentro de si, feminina e masculina.

Autor: Viviane Gago


Entre o barril de petróleo e o de pólvora

O mundo começou a semana preocupado com o Oriente Médio.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Nome comum pode ser bom, mas às vezes complica!

O nosso nome, primeira terceirização que fazemos na vida, é uma escolha que pode trazer as consequências mais diversas.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


A Cilada do Narcisista

Nelson Rodrigues descrevia em suas crônicas as pessoas enamoradas de si mesmas com o termo: “Ele está em furioso enamoramento de si mesmo”.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Brasil, amado pelo povo e dividido pelos governantes

As autoridades vivem bem protegidas, enquanto o restante da população sofre os efeitos da insegurança urbana.

Autor: Samuel Hanan


Custos da saúde aumentam e não existe uma perspectiva que possa diminuir

Recente levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indica que os brasileiros estão gastando menos com serviços de saúde privada, como consultas e planos de saúde, mas desembolsando mais com medicamentos.

Autor: Mara Machado


O Renascimento

Hoje completa 2 anos que venci uma cirurgia complexa e perigosa que me devolveu a vida quase plena. Este depoimento são lembranças que gostaria que ficasse registrado em agradecimento a Deus, a minha família e a vários amigos que ficaram ao meu lado.

Autor: Eduardo Carvalhaes Nobre


Argentina e Venezuela são alertas para países que ainda são ricos hoje

No meu novo livro How Nations Escape Poverty, mostro como as nações escapam da pobreza, mas também tenho alguns comentários sobre como países que antes eram muito ricos se tornaram pobres.

Autor: Rainer Zitelmann


Marcas de um passado ainda presente

Há quem diga que a infância é esquecida, que nada daquele nosso passado importa. Será mesmo?

Autor: Paula Toyneti Benalia


Quais são os problemas que o perfeccionismo causa?

No mundo complexo e exigente em que vivemos, é fácil se deparar com um padrão implacável de perfeição.

Autor: Thereza Cristina Moraes


De quem é a América?

Meu filho tinha oito anos de idade quando veio me perguntar: “papai, por que os americanos dizem que só eles vivem na América?”.

Autor: Leonardo de Moraes