Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Contabilidade em prol do empreendedorismo

Contabilidade em prol do empreendedorismo

11/02/2013 Vagner Jaime Rodrigues

A pesquisa/2012 do Sebrae Nacional sobre empreendedorismo mostrou que a proporção dos brasileiros que almeja ter um negócio próprio é de 43,5% da população economicamente ativa.

É um índice significativamente maior do que os 24,7% que desejam fazer carreiras como funcionários de outras organizações. Não é sem razão, portanto, que, em um ranking de 67 países, o Brasil ocupe o quarto lugar quanto ao número de empreendedores. São 37 milhões de pessoas que já possuem um negócio ou realizaram alguma ação, nos meses anteriores à pesquisa, visando ao desenvolvimento de uma empresa própria.

Em 2012, 30,2% da população adulta,entre 18 e 64 anos, estavam envolvidos na criação ou administração de um negócio. Entre 2002 e 2012, essa taxa apresentou aumento de 44%, saltando de 20,9% para 30,2%. Trata-se, sem dúvida, de um ótimo sintoma para a economia nacional, na qual as micro e pequenas empresas são aproximadamente 97% de todo o parque corporativo e empregam praticamente metade da mão de obra nacional.

A longevidade dessas organizações, contudo, está longe de ser uma regra geral para a maioria nosprimeiros cinco anos de sua vida. Para garantir o sucesso desses empreendimentos, como, aliás, de qualquer outro, um dos principais requisitos é manter contabilidade e gestão eficientes. Sem esse equilíbrio, fica difícilmanter o foco e, portanto, o sucesso do negócio. Por essa razão, é fundamental que essas empresas contem com serviço de contabilidade e gestão especializado e especificamente concebido para seu perfil.

Afinal, não se pode dar os mesmos tratamentos tributário, de  fluxo decaixa, obrigações acessórias e outras questões alusivas à administração genericamente oferecidos a organizações de maior porte. Suas peculiaridades, que representam conquistas legislativas importantes ao longo do tempo, exigem conhecimento e personalização no atendimento às suas demandas. Assim, um serviço eficiente de gestão, contabilidade e consultoria tributária para as pequenas e microempresas deve incluir diagnóstico geral  sobre o seu modelo de administração empresa e proposição de soluções, adequadas.

Nessa fase inicial, é realizada uma análise crítica das práticas contábeis vigentes e treinamento de atualização para os novos modelos. Também são necessários treinamento para a mudança e definição de indicadores de desempenho. Obviamente, tais serviços são melhor realizados por empresas e profissionais conhecedores da realidade das pequenas e microempresas, com expertise nos tema.

É fundamental manter o foco correto. Com certeza, serviços de contabilidade e gestão altamente especializados nas pequenas e microempresas são essenciaispara o seu sucesso, crescimento e longevidade.

*Vagner Jaime Rodrigues é mestre em contabilidade e sócio da Trevisan Gestão & Consultoria.



Os desafios de tornar a tecnologia acessível à população

Vivemos uma realidade em que os avanços tecnológicos passaram a pautar nosso comportamento e nossa sociedade.


O uso do celular, até para telefonar

Setenta e sete por cento dos brasileiros utilizam o smartphone para pagar contas, transferir dinheiro e outros serviços bancários.


Canto para uma cidade surda

O Minas Tênis Clube deu ao Pacífico Mascarenhas o que a cidade de Belo Horizonte deve ao Clube da Esquina; um cantinho construído pelo respeito, gratidão, admiração, reconhecimento, apreço e amor.


Como acaso tornou famoso notável compositor

Antes de alcançar a celebridade, e a enorme fortuna, Verdi, passou muitas dificuldades financeiras.


Gugu e a fragilidade da vida

A sabedoria aconselha foco no equilíbrio emocional e espiritual diante da fragilidade e fugacidade da vida.


Quando o muro caiu

O Brasil se preparava para o segundo turno das eleições presidenciais, entre o metalúrgico socialista Luís Inácio Lula da Silva e a incógnita liberal salvacionista Fernando Collor de Melo, quando a televisão anunciou a queda do muro de Berlim.


Identidade pessoal e identidade familiar

Cada família gesta a sua identidade, ainda que algumas vezes, de forma inconsciente.


Desprezo e ingratidão

Não sei o que dói mais: se a ingratidão se o desprezo.


A classe esquecida pelo governo

O fato é que a classe média acaba por ser a classe esquecida pelo governo.


O STF em defesa de quem?

A UIF, antigo COAF, foi criada como uma unidade do Ministério da Justiça (hoje, no BACEN) para fazer uma coisa muito simples: receber dos bancos notificações de que alguém teria realizado uma transação suspeita, anormal.


O prazer da leitura

Ao contrário do que se possa pensar, não tenho muitos amigos. Também não são muitos os conhecidos.


Desmoralização do SFT

A moralidade e a segurança jurídica justificam a continuidade da prisão em segunda instância. A mudança desta postura favorece a impunidade dos poderosos e endinheirados.